sábado, 31 de maio de 2008

WMOC: A HORA DOS PORTUGUESES (I)


O Orientovar inaugura hoje uma nova rubrica que, periodicamente, dará a conhecer as impressões e expectativas de alguns dos nossos atletas que marcarão presença nos Campeonatos do Mundo de Veteranos de Orientação Pedestre (WMOC’08).

Para tal, colocámos a cada um deles duas questões muito simples:

1. O que podemos esperar do WMOC 2008?

2. Quais as expectativas quanto à sua prestação pessoal?

É chegada “A HORA DOS PORTUGUESES!”



ALBANO JOÃO
COC
M45


1. Eu espero que seja um evento que orgulhe todos os portugueses, principalmente aqueles que estão ligados á Orientação. Em termos desportivos, espero um evento bem organizado, tanto em termos logísticos como técnicos. No comité organizativo temos pessoas com excelente capacidade que certamente irão apresentar mapas de boa qualidade, traçagem de percursos aliciantes, boa logística e boas actividades paralelas. Sabendo da capacidade das pessoas que estão na Organização, aliado ao conhecimento que tenho de anteriores WMOC, não tenho duvidas que será um evento de excelente nível, que todos os participantes irão recordar com saudade. Espero ainda que após o WMOC 2008 e de acordo com a expectativa de receitas interessantes, parte dessas verbas sejam para apostar na formação de jovens e dos seus técnicos, de modo a incrementar os últimos resultados que têm sido de boa qualidade.

2. Atendendo aos condicionalismos de preparação física, pois só tenho oportunidade de treinar 3 a 4 vezes por semana - e mesmo esses treinos têm de ser de preparação aérobica, pois as lesões não me permitem fazer preparação anaeróbica -, ficarei satisfeito se for à final A, tanto na prova de Sprint como na prova de Distância Longa.



PAULO VIEIRA
CP ARMADA
M35

1.
Eu penso que podemos esperar três realidades do WMOC 2008: Mostrar ao Mundo a grande capacidade e qualidade organizativa de provas de Orientação; publicitar as excelentes paisagens e os magníficos mapas de Orientação de Portugal; e ter mais um acréscimo na divulgação da Orientação em Portugal.

2. Em virtude de ter estado ausente nas últimas duas épocas, a minha expectativa é de, simplesmente, participar no meio dos melhores do Mundo, sem olhar a resultados.



LUÍS BUCHA
CP EPAL
M35

1.
Do WMOC 2008 só podemos esperar um grande evento, muito bem concebido e organizado, em que os envolvidos na Organização tudo farão para proporcionar excelentes momentos de orientação, lazer, confraternização e a devida dose de competição. Naturalmente que, sendo uma prova com as características especiais de contar com uma enorme presença da “veterania” deste desporto, é por isso mesmo uma fonte de inspiração e motivação para todos.

2. Quanto a expectativas pessoais, essas estão num patamar muito modesto. Não tenho grandes esperanças de conseguir uma prestação desportiva de relevo, muito pelo contrário, mas antes pretendo obter alguma satisfação pessoal se conseguir fazer o melhor possível e ao alcance das minhas capacidades.



JOÃO PAULO MARTINS
CLAC
M40

1.
Acho que podemos esperar uma prova ao mais alto nível organizativo e onde, quem nos visita, possa sair muito satisfeito. Penso que a Federação Portuguesa de Orientação está a fazer tudo para que assim seja e a divulgação nos meios de comunicação está a aparecer a nível nacional, o que é muito importante. E, quem sabe, uma medalhita para Portugal????

2. Quanto à minha prestação, não espero muito. Espero uma experiência nova. Nunca tinha pensado em participar num Campeonato do Mundo mas surgiu esta oportunidade, irei tentar desfrutar ao máximo e fazer o melhor que for capaz. Tenho poucas possibilidades de treinar como devia, mas a paixão que tenho por esta modalidade às vezes faz aparecer resultados que não esperamos.

0
oo
Dentro de poucos dias aqui voltaremos, dando a conhecer mais quatro heróis. Fique atento.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: