segunda-feira, 19 de maio de 2008

ORIENTAÇÃO (MESMO) PARA TODOS!



“Viemos ao engano mas ainda bem que viemos. Muito obrigados por nos terem convencido. Só é pena não haver disto mais vezes.” Foi desta forma, espontânea e sincera, que um grupo de “seniores” do concelho de Estarreja exprimiu o sentimento dominante no final dum primeiro contacto com a Orientação. Como que a fazer jus ao dito: “Nunca é tarde para aprender”.

Já foi um dos pontos negros ambientais do nosso País. Hoje, Estarreja é um concelho virado para o futuro, com uma política de desenvolvimento amiga do ambiente e com modelos de proximidade às populações que incidem na promoção de actividades culturais e desportivas de enorme abrangência e impacto. Prova disso mesmo são os “Domingos em Movimento”, um projecto pioneiro no concelho e que pretende sensibilizar a população de todas as idades para a prática regular de actividades de recreação e lazer, que vão da marcha à hidroginástica, da dança aos jogos colectivos. Ou à Orientação, como aconteceu na manhã de ontem.

Aproveitando a realização da prova Local do Clube OriEstarreja, a escola Municipal do Desporto de Estarreja estabeleceu uma parceria que permitiu a doze “jovens”, com idades compreendidas entre os 55 e os 70 anos, descobrir o “desporto da floresta”. O mapa do Torrão do Lameiro foi o palco de todas as deambulações, levando os “aspirantes a orientistas” ao encontro duma floresta lindíssima, toda ela verde e flores. Vencidos apenas dois dos nove pontos distribuídos ao longo dum percurso circular, já todos haviam esquecido as juras de poupar o calçado domingueiro e se embrenhavam alegremente floresta dentro, uma olhadela no mapa, outra no trilho ou na linha de água.

Francisco Marques Pinto é daqueles que vinha “por causa do prémio do peddy-paper” e acabou por se ver mergulhado na floresta. “Eu não fazia ideia que isto era assim. E digo-lhe que gosto mais disto do que aquilo que fazemos lá no Pavilhão com o professor”, confessa. Para António Rasteiro, a Orientação já não é novidade: “Tinha participado já em duas ocasiões e gostei. Veja lá que até comprei uma bússola. Anda sempre comigo no carro e trago-a para estas coisas.” Foi ele o principal responsável por levar o grupo pelo bom caminho. E que bem que o fez.

Para um dos monitores da Escola Municipal do Desporto de Estarreja, Samuel Almeida, “esteve pouca gente porque o tempo não ajudou. E depois também alterámos o horário das actividades, passando-o para as dez horas. As pessoas levantam-se, ainda vão para as terras, depois vão à missa… é cedo para elas!” Quanto ao Clube OriEstarreja, esta foi mais uma oportunidade para promover a modalidade, situação para a qual “podem contar connosco”, no dizer dos seus responsáveis. Na manhã de ontem, a adesão pode não ter sido grande, mas esta “rapaziada” mostrou aquilo que vale. Foram poucos, mas bons!

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: