sábado, 12 de dezembro de 2015

25 Anos FPO: Clube de Orientação do Minho



Numa altura em que festejamos os 25 anos da FPO, qual a palavra que de imediato lhe vem à mente? (Porquê?)

Tânia Covas Costa (T. C. C.) - Evolução. Pela forma como a Orientação em Portugal tem evoluído ao longo destes 25 anos, a todos os níveis. Também é o que se pretende para o futuro: mais e melhor Orientação, em termos de resultados desportivos e do número de praticantes.

Qual a “dívida” que o .COM tem para com a Federação em matéria do seu aparecimento e desenvolvimento?

T. C. C. - Relativamente à génese do clube, nasceu em 2002 com os atletas e técnicos que pertenciam à Secção de Orientação da ARCCa, Associação Recreativa e Cultural do Campo, Gerês, que por questões de dar uma maior dimensão às suas atividades, aproximá-las da maioria dos seus sócios e procurar uma melhor centralidade, decidiram criar um clube de raiz em Braga. Assim, num projeto de continuidade nasceu o .COM, um clube que de certa forma já nasceu adulto. Ao longo destes 13 anos de existência, o .COM tem recebido da Federação vários tipos de apoios, que foram fundamentais no seu crescimento, nomeadamente o apoio aos jovens, não só a nível financeiro como também a nível competitivo, através da organização de estágios e participação em provas no estrangeiro. Pode-se acrescentar o apoio a um dos melhores atletas de orientação português, o Davide Machado.

Como definiria o .COM neste momento?

T. C. C. - O .COM está direcionado para a formação de jovens. Pretendemos criar jovens capazes de dar continuidade ao trabalho do clube, jovens vencedores, campeões no desporto e na vida! Em 2015 o clube alcançou vários títulos nacionais, principalmente no Desporto Escolar e participou em provas internacionais, a representar a seleção nos escalões mais jovens.

Como vê o atual estado da Orientação em Portugal?

T. C. C. - Com alguma apreensão mas também com algum otimismo! Verifica-se uma diminuição do número de participantes nas provas e todas as consequências que daí advém (menor encaixe financeiro, diminuição do apoio dos clubes aos atletas, etc). No entanto, acredito que se trata de uma modalidade com grande potencial pois alia o desporto à natureza e à inteligência do praticante e por isso ainda tem uma margem muito grande de desenvolvimento.

Três ideias breves para três tópicos muito concretos: Comunicação, Desporto Escolar e Provas Locais.

T. C. C. - Comunicação - Os clubes e atletas de Orientação devem investir mais na divulgação de todas as atividades de Orientação, no passar a palavra, no aliciar e apoiar a participação de novos praticantes.

Desporto Escolar - Aumento do número de grupos/ equipa e número de praticantes, melhor formação por parte dos professores e incremento do apoio e acompanhamento dos clubes a estes grupos.

Provas Locais - Proliferação deste tipo de provas por todo o país, dando a conhecer a modalidade, chamando novos praticantes e ainda permitindo apoiar a atividade dos grupos equipa do Desporto Escolar e dos clubes.

Um desejo neste soprar das 25 velas.

T. C. C. - Que a Orientação "dê o salto"! Se torne mais conhecida por todos, "mais apetecível" de experimentar e mais aliciante nos desafios que coloca em cada percurso.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: