terça-feira, 1 de dezembro de 2015

25 Anos FPO: Clube da Natureza de Alvito



Numa altura em que festejamos os 25 anos da FPO, qual a palavra que de imediato lhe vem à mente?

Joaquim Patrício (J. P.) - Satisfação! Porque nos possibilita continuar a praticar uma atividade desportiva única que reúne a realização física à continuada mobilização de estruturas mentais e à fruição dos espaços naturais.

Qual a “dívida” que o CN Alvito tem para com a Federação em matéria do seu aparecimento e desenvolvimento?

J. P. - Inicialmente, em 1993, criámos uma secção de Orientação num clube local (GDC Alvito) que filiámos na FPO. Ao segundo ano, em 1995, tivemos de optar pela criação do Clube face ao desprezo que nos movia o corpo directivo, unicamente interessado no Futebol e no Bar, ainda que jamais aquele clube tivesse tido a projeção mediática que a Orientação lhe vinha oferecendo a nível regional e nacional. Será, portanto, a Orientação a "mãe" do nosso clube! O clube, em boa hora, criou-se nesta dissidência e enveredou, então, por uma via alternativa dando azo à formação humana, social e desportiva das crianças e jovens desta região, de uma forma diversificada e eclética, envolvendo a realização de outras atividades físicas e desportivas: Atletismo, BTT, Campismo, Natação, Pedestrianismo e Triatlo, além da Orientação. O clube desenvolve, também, um projeto de Formação Desportiva: Escolinhas (Atletismo, BTT e Natação), Escola de Natação e Escola de Triatlo. O clube desenvolve, ainda, um projeto para os mais velhos "Sénior 55+ Ativo" com Caminhadas, Danças, Ginástica Aquática e Ginástica Sénior.

Ao longo destas duas décadas, com o empenho na divulgação e na promoção do Desporto nesta região alentejana e com o trabalho desenvolvido na formação da juventude local, o clube tem ganho a confiança e merecido a consideração das entidades locais, regionais e nacionais, com a atribuição de galardões vários, aos três níveis territoriais Em termos desportivos tem tido alguma relevância no Atletismo distrital e regional, no BTT regional, na Orientação e Triatlo nacionais, sendo amplamente considerado pelas estruturas associativas distritais e federativas nacionais das modalidades em que se encontra envolvido. Em termos associativos é promotor da cooperação inter-associativa, sendo Colectividade "Elo" no concelho, ocupando a Presidência na Federação Distrital e tendo lugar no Conselho Nacional da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto.

Como definiria o CN Alvito neste momento?

J. P. - O CN Alvito, como qualquer outra estrutura associativa, tem um processo de desenvolvimento ondulatório. Esta última época foi caracterizada por uma quebra notória dos resultados desportivos, só com um atleta campeão do Alentejo e seis campeões distritais, além de dois títulos coletivos no Atletismo; três campeões nacionais na Orientação e um no Triatlo. Muito pouco para o habitual! No entanto, a nível organizativo, o clube desenvolveu inúmeras realizações, só ou em parceria com outras entidades, de que se destacam: 1º Troféu Ori Feira d'Aires e 14º Grande Prémio de Atletismo Feira d' Aires, em Viana do Alentejo, Caminhada pela Família e 29ª Escalada do Mendro, na Vidigueira, IV Costa Alentejana "O" Meeting, Estágio de seleções jovens de Ori-BTT e I Costa Alentejana MTBO Trophy, na região litoral alentejana, I Olimpíadas da AMCAL em Alvito e, ainda, um Conselho Nacional da CPCCRD em Viana do Alentejo.

Para a época que agora se iniciou, tivemos já a comemoração do nosso 20º Aniversário, perspectiva-se uma melhoria de resultados desportivos com um novo projeto de formação no Atletismo e estão planeadas algumas realizações de nível nacional em que depositamos elevadas expetativas: I Trail dos Santos, I Jogos Tradicionais Infantis da AMCAL, II Costa Alentejana MTBO Trophy (+ Campeonato Nacional de Sprint), Caminhar em Alvito'16, 30ª Escalada do Mendro e II Olimpíadas da AMCAL.

Como vê o atual estado da Orientação em Portugal?

J. P. - A nossa Orientação segue em regime de cruzeiro! Não há aumento de praticantes na Pedestre e o BTT e as Corridas de Aventura estão em baixa. O Trail está a começar. Em termos de rendimento tivemos uma década de desenvolvimento com a introdução de novos processos de captação, ensino e treino. Actualmente, esse processo está "ao ralenti", por falta de meios, de técnicos e porque houve estagnação no desenvolvimento técnico dos atletas que passaram a dedicar-se menos e tendo havido alguns abandonos. Julgo que terão de se encontrar novas formas de prática, mais acessíveis aos iniciantes; regionalizar parte do calendário desportivo e realizar eventos com menores meios; alterar a calendarização anual (a Pedestre está parada três meses e o BTT cinco meses!); e contratar um coordenador técnico com qualificação internacional (estrangeiro) para dirigir todo o processo técnico a nível nacional.

Três ideias breves para três tópicos muito concretos: Comunicação, Desporto Escolar e Provas Locais.

J. P. - Comunicação - Mudar o O-TV...

Desporto Escolar - Desenvolver lobby...

Provas locais – Regionalizar...

Um desejo neste soprar das 25 velas.

J. P. - Projeto 2040 - um lustro para o crescimento e para o desenvolvimento técnico!

[Foto gentilmente cedida por Joaquim Patrício]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: