quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

25 Anos FPO: Clube Aventura da Madeira


Numa altura em que festejamos os 25 anos da FPO, qual a palavra que de imediato lhe vem à mente?

António Ferro Olival (A. F. O.) - Competência! Continuamos a ter na "pequena" FPO uma enorme competência e organização, com grande capacidade de resposta a todos os desafios e complexidades inerentes à organização da nossa extraordinária modalidade – Orientação. Parabéns a todas as pessoas que contribuem para a existência da Orientação em Portugal e no Mundo!

Qual a “dívida” que CA Madeira tem para com a Federação em matéria do seu aparecimento e desenvolvimento?

A. F. O. - O Clube Aventura da Madeira surgiu em 1997, tendo por base a organização de provas de aventura, onde a Orientação era a disciplina base. A relação com a FPO surge mais tarde, nos anos seguintes, com a organização dos primeiros eventos de Orientação de caráter federado na Madeira. A FPO e o nível de organização das provas, os regulamentos, os resultados e a divulgação da modalidade na internet foram, incontestavelmente, um exemplo que seguimos para tantas outras organizações e modalidades que o Clube dinamiza atualmente.

Como definiria o CAMadeira neste momento?

A. F. O. - O Clube Aventura da Madeira tem cerca de 50 praticantes de Orientação. Este ano voltou a organizar uma prova da Taça de Portugal, passados 9 anos da primeira prova nacional e internacional organizada na Madeira em 2006. Em 2015 foi feito um grande esforço logístico e financeiro para realizar a prova com o mínimo exigido, em face do reduzido número de participantes inscritos. Apesar de um saldo financeiro altamente deficitário, julgamos ter cumprido com as expetativas dos orientistas que conseguiram estar presentes. No futuro, e como temos vindo a fazer nos últimos anos, vamos garantir a organização de cerca de 8 a 10 percursos entre floresta e urbanos, anualmente, e tentar introduzir novas vertentes com base na Orientação, indo de encontro à procura atual.

Como vê o atual estado da Orientação em Portugal?

A. F. O. - Apesar de haver muitas atividades e eventos competitivos, e a recente introdução da Orientação de Precisão, julgamos que já existiram mais participantes nas provas em geral e maior entusiasmo de clubes e orientistas. No entanto a Orientação tem magia suficiente para voltar a recuperar uma dinâmica de crescimento de outros tempos. É necessário continuar a insistir na interação com o Desporto Escolar e igualmente cativar as famílias, pois estas são, em nossa opinião, um grande suporte para o aumento consolidado de praticantes de todas as gerações na Orientação.

Três ideias breves para três tópicos muito concretos: Comunicação, Desporto Escolar e Provas Locais.

A. F. O. - Comunicação - Comunicar a Orientação de forma prática, proporcionando experiências positivas a grupos de decisores e junto de potenciais patrocinadores que, conhecendo, possam valorizar o desporto Orientação.

Desporto Escolar - Interagir com a organização do Desporto Escolar no sentido de ser possível proporcionar experiências aos jovens em organizações de referência.

Provas Locais - Voltar a introduzir os Quadros Competitivos Regionais, por Distrito ou em conjunto de Distritos.

Um desejo neste soprar das 25 velas.

A. F. O. - Que a FPO continue com a mesma dinâmica e competência, regulando e incentivando a prática da Orientação em Portugal e no mundo.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: