sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

25 Anos FPO: Associação Desportiva do Mondego



Numa altura em que festejamos os 25 anos da FPO, qual a palavra que de imediato lhe vem à mente?

Rui Mora (R. M.) - Satisfação. Por fazer parte desta modalidade e por dar os parabéns a quem, ao longo destes 25 anos, conseguiu conduzir e dinamizar a Orientação a um nível Alto de projecção internacional. Satisfação por ver que, apesar da crise nacional, continuamos com um sorriso no rosto.

Qual a “dívida” que ADM tem para com a Federação em matéria do seu aparecimento e desenvolvimento?

R. M. - A dívida da ADM - Ori-Mondego é grande e nunca será esquecido todo o apoio que a FPO tem dado a esta recente Associação que fez no dia 18 de Novembro um ano de idade. Desde o primeiro momento em que informamos a FPO da nossa pretensão em criar a ADM, obtivemos todo o apoio e encorajamento. Só dessa forma tivemos força para avançar com o projeto. Audaciosos, elevamos a fasquia. A FPO mostrou ter confiança em nós e por esse facto temos uma enorme divida de gratidão.

Como definiria o ADM neste momento?

R. M. - Somos uma associação Jovem mas já com provas dadas no seio da Orientação proveniente de um projecto anterior. O passado fica registado na Historia, nele obtivemos a experiencia e o “know-how” que nos permite levar todos os projetos a que nos propomos com profissionalismo. Embora sejamos todos voluntários, não somos de forma alguma amadores. O futuro faz-se caminhando e começámos 2015 com um objetivo ambicioso: Trazer a Orientação para o Desporto Escolar na Figueira da Foz. Tal só foi conseguido com o apoio da FPO e com a parceria do Agrupamento de Escolas Figueira Mar que nos abriu as portas mal tomou conhecimento do nosso propósito. Realizámos algumas Ações de Formação a docentes e a alunos, inclusive de Orientação Adaptada, dando a conhecer a modalidade e despertando o gosto pela mesma. O Desporto Escolar é, desde então, a nossa grande aposta. Acreditamos que o futuro da Orientação passa pela formação e pelas Escolas, aumentando assim o número de atletas, permitindo a subsistência da modalidade.

Ainda em 2015, a convite da FPO, integrámos o comité organizador do Europeu de Orientação em BTT. Foi uma experiência bastante engrandecedora para os elementos da ADM que marcaram presença nos dias de provas. Realizámos o Campeonato Nacional Absoluto 2015 e uma etapa de Pre-O, em 7 e 8 novembro, e pensamos que o balanço terá sido positivo. Para nós ficou, em termos de balanço, o sentimento de dever cumprido. O sentimento de que o grupo continua unido e agora ainda mais motivado para a realização de grandes feitos. O nosso curto percurso só é possível graças aos nossos atletas que nesta época somaram vários triunfos de referência, aos nossos sócios, e dirigentes. Todos eles são os alicerces da ADM e neles reside a razão da nossa existência.

Como vê o atual estado da Orientação em Portugal?

R. M. - O estado actual da Orientação parece que se tem mantido nestes últimos dois, três anos. Houve uma diminuição de atletas, mas agora, creio, manteve-se. Acredito que os quadros competitivos tenham de ser revistos, tornados mais motivadores para os atletas. O aparecimento de novas vertentes desportivas, como o Trail, retirou alguns atletas à Orientação, mas com uma reestruturação de quadros competitivos, que não desgaste tanto os atletas, que não obrigue a organizações muito complicadas, penso que poderemos de futuro aumentar de novo o número de participantes. Acredito igualmente que se deva investir na Formação e investir muito na divulgação da Orientação em todas as suas vertentes, como desporto de inclusão e multidisciplinar que é.

Três ideias breves para três tópicos muito concretos: Comunicação, Desporto Escolar e Provas Locais.

R. M. - Comunicação - A Comunicação da modalidade tem de ser melhorada. Os clubes em parceria com a FPO têm de investir mais na divulgação da Orientação. Com ações de formação, ações de divulgação em eventos locais, participação em exposições de cariz nacional desportivo, feiras desportivas, parcerias com empresas e outras modalidades desportivas. Acredito que ainda muito pode ser feito a fim de dar a conhecer a Orientação para que num futuro breve, quando falamos de Orientação, toda a gente reconheça a modalidade e sinta vontade de a experimentar. Sonho que vai ser possível ver a Orientação como o desporto de eleição da maioria, e quando o homem sonha…
Desporto Escolar – O Desporto Escolar será o futuro da modalidade. Se começarmos a construir na base, o objectivo final será forte.
Provas Locais -As Provas Locais são importantes na divulgação mas tem de ser em parceria com todos. Um evento local com 30 ou 40 atletas não parece relevante, mas se voltarmos aos rankings regionais, por exemplo, muito provavelmente juntamos três ou quatro clubes e já temos 150 atletas ou mais e já motiva todos, atletas, organizadores e os apoios necessários para a desenvolver a modalidade

Um desejo neste soprar das 25 velas.

R. M. - Para a FPO, que faça muitos mais anos, que consiga continuar a fazer o trabalho que tem feito, lute por feitos internacionais, continuando a trazer ao nosso pais grandes organizações de cariz internacional. Que consiga dar uma maior apoio aos nossos atletas de selecção; acho que tem de haver mais apoio para esses atletas, tanto financeiro, com formativo.Para a ADM, que chegue aos 25 anos com saúde e dever comprido no Associativismo e na Modalidade.

[Foto gentilmente cedida por Rui Mora]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: