sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

25 Anos FPO: Amigos da Montanha



Numa altura em que festejamos os 25 anos da FPO, qual a palavra que de imediato lhe vem à mente?

Jorge Silva (J. S.) - Desporto. Porque a Orientação leva-nos para o conceito de desporto em sentido muito abrangente: competição, lazer, socialização, desafios pessoais e turismo.

Qual a “dívida” que os Amigos da Montanha têm para com a Federação em matéria do seu aparecimento e desenvolvimento?

J. S. - Os Amigos da Montanha filiaram-se na FPO no inicio dos anos 2000. Apesar disso, não participavam em provas. apenas organizavam, para um grupo muito restrito de directores, algumas actividades de Orientação, utilizando mapas militares. Em 2006 a Secção deixa de existir, por não haver interessados em continuar com esta actividade. Em 2007, a Associação de Forjães, de nome ACARF, que tinha uma Secção de Orientação, decide cessar essa actividade. Os atletas ficam sem clube e decidem apresentar uma proposta aos Amigos da Montanha de reactivação da Secção de Orientação, com vista a participar em provas federadas e organizar provas homologadas pela FPO. A proposta foi aceite e iniciou-se esta segunda vida da Orientação nos Amigos da Montanha. Desde aí, a Secção tem tido altos e baixos. Temos sentido sobretudo dificuldade em recrutar jovens. Em 2009 iniciámos também a participação em provas de Orientação em BTT. Neste momento a equipa de Orientação dos Amigos da Montanha é constituída por 16 atletas.

Como definiria os Amigos da Montanha neste momento?

J. S. - Os nossos feitos situam-se sobretudo ao nível da organização de eventos e na divulgação da modalidade. Temos assim criados mapas em diversos locais dos concelhos de Barcelos, Viana do Castelo, Esposende e Caminha, que são decisivos para que se possa praticar Orientação.

Como vê o atual estado da Orientação em Portugal?

J. S. - As provas têm muito pouca adesão, sendo ainda mais grave a situação na Orientação em BTT, tornando muito difícil a organização de eventos.

Três ideias breves para três tópicos muito concretos: Comunicação, Desporto Escolar e Provas Locais.

J. S. - Comunicação - Parece que não temos sido eficazes. Mesmo assim, reconheço a minha pouca habilitação para sugerir outras medidas.

Desporto Escolar - Ainda consegue ser o universo que fornece mais atletas aos clubes com vista a tornarem-se federados.

Provas locais - Organizamos todos os anos provas locais. Da nossa experiência, concluímos que a grande maioria dos participantes acabam por ser atletas federados ou do Desporto Escolar.

Um desejo neste soprar das 25 velas.

J. S. - Organizar eventos com 1000 atletas.

[Foto gentilmente cedida por Jorge Silva]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: