quinta-feira, 29 de outubro de 2015

XX Gala do Desporto: FPO indica candidatos ao Prémio "Desportistas do Ano"



Luís Gonçalves, Inês Domingues e Ricardo Esteves são os nomes indicados pela Federação Portuguesa de Orientação para concorrer ao prémio “Desportistas do Ano”, da Confederação do Desporto de Portugal, nas categorias de Atleta Masculino, Atleta Feminino e Jovem Promessa, respectivamente.


Organizada pela Confederação do Desporto de Portugal, a Gala do Desporto celebra este ano o seu 20º aniversário. Este facto faz com que o tema escolhido para o evento seja, precisamente, “20 anos da Gala do Desporto”. Momento único de reunião de todo o desporto português, a cerimónia está agendada para o próximo dia 11 de Novembro, no Casino do Estoril, e nela serão entregues os prémios aos melhores desportistas do ano, nas categorias de Jovem Promessa, Equipa, Treinador, Atleta Masculino e Atleta Feminino e ainda os prémios “Personalidade do Ano”, “Momento dos Campeões” e “Alto Prestígio CDP”.

Campeões e medalhados em Campeonatos do Mundo e da Europa encontram-se entre os candidatos indicados pelas federações desportivas ao Prémio “Desportistas do Ano”. Quanto à Federação Portuguesa de Orientação, as escolhas recaíram sobre Luís Gonçalves, Inês Domingues e Ricardo Ferreira, apontados nas categorias de Atleta Masculino, Atleta Feminino e Jovem Promessa, respectivamente. Caberá agora a um júri composto por mais de uma centena de personalidades ligadas ao desporto, a tarefa de eleger os cinco candidatos finais de cada categoria. No dia 28 de outubro, na Praça Central do Centro Comercial Colombo, serão divulgados os nomes dos finalistas que passam às votações finais. Os vencedores de cada uma das cinco categorias irão ser anunciados na Gala do Desporto, após o apuramento dos resultados da votação online, aberta ao público em geral, e das personalidades presentes no evento.


Esta nomeação não é só importante para mim, mas também para o meu treinador e para o meu grupo de treino”

Campeão Nacional de Distância Longa e de Estafetas em título, virtual vencedor da Taça de Portugal de Orientação Pedestre no escalão H18, 6º classificado no Campeonato da Europa de Jovens (Sprint) e 5º classificado nos Mundiais de Desporto Escolar (Distância Longa), Ricardo Esteves é, com todo o mérito, o atleta indicado ao prémio na categoria “Jovem Promessa”. Trata-se duma repetição, depois de já ter sido indicado em 2014 na sequência do seu título Europeu Jovem de Sprint, e que o atleta vê desta forma: “Sinceramente não estava à espera de voltar a ser nomeado pela FPO como Jovem Promessa para a Gala do Desporto. Ainda assim fico contente por ver que todo o trabalho que tenho desenvolvido é reconhecido nacionalmente.”

Atribuindo a sua indigitação “às prestações em competições internacionais, dando maior importância ao facto de ter sido 6º classificado no Sprint do EYOC deste ano”, Ricardo Esteves faz deste um momento de partilha: “Esta nomeação não é só importante para mim, mas também para o meu treinador e para o meu grupo de treino, dando-nos mais motivação para continuarmos a evoluir em conjunto.” Vencer o Prémio é, contudo, algo que não está nas cogitações do atleta: “Primeiro teria de ser um dos cinco nomeados finais e só depois poderia pensar em ganhar. Mas mesmo que seja um dos nomeados finais sei que será complicado, porque a Orientação é um desporto pouco conhecido em Portugal e decerto que não darão muito valor aos meus resultados”, diz. Ainda assim, mesmo que não seja sequer nomeado, duma coisa Ricardo Esteves está absolutamente seguro: “Continuarei a dar o meu melhor para fazer ainda mais do que já foi feito.”


Esta distinção tem um grande valor, tanto a nível pessoal como para a Orientação de Precisão em geral”

No rescaldo duma prestação brilhante nos Mundiais de Orientação de Precisão disputados na Croácia, onde alcançou o 7º lugar na Final de TempO, Inês Domingues começou por referir que a sua nomeação se terá devido a “termos atingido uma classificação nunca antes atingida por portugueses num Mundial de Orientação de Precisão”, englobando Luís Gonçalves, o nomeado na categoria Atleta Masculino, nesta sua apreciação. Para a bi-campeã nacional de TempO, o seu resultado [e o de Luís Gonçalves] “foi um momento importante na história da participação portuguesa em Campeonatos do Mundo e que nos colocou num patamar mais alto, junto das nações mais fortes.” Falando da sua indigitação, em particular, a atleta referiu: “Eu definitivamente não estava nada à espera de ser nomeada, porque, por um lado, tinha a ideia (aparentemente errada) que esta vertente da Orientação ainda passasse um pouco despercebida naquilo que é todo o mundo da Orientação. Por outro lado, acho que nunca me apercebi realmente da grandiosidade daquilo que conseguimos atingir, ficando atrás de três seleções apenas.”

Afirmando que “ao sermos distinguidos, o nosso esforço está ser valorizado e isto é mais um incentivo para continuar a trabalhar e evoluir ainda mais, Inês Domingues faz questão de vincar que “esta distinção tem um grande valor, tanto a nivel pessoal como para a Orientação de Precisão em geral”, constituindo, num panorama mais geral, “uma maneira de realçar esta vertente da Orientação.” E quanto ao resultado final? Inês mostra-se pragmática: “Desde ser nomeado até ganhar vai um longo caminho e penso que esse mérito recairá sobre alguém que tenha obtido ainda melhores resultados que nós, tendo conseguido alcançar um lugar de topo.”


Para o TrailO português é um sinal de evolução nos resultados globais e do excelente trabalho que os clubes e a FPO têm vindo a fazer”

Por último as impressões – “muito breves” - de Luís Gonçalves, que atribui a sua nomeação ao histórico 6º lugar alcançado na Final de TempO dos Mundiais da Croácia. Falando da sua nomeação, o virtual vencedor da Taça de Portugal de Orientação de Precisão Invacare 2015 não poderia ser mais direto: “Não estava à espera, por um lado porque não me lembrava que existia esta nomeação anualmente e porque em 2015 existiram outros lugares de relevo, tanto no Europeu de Jovens de Orientação Pedestre, como nos Mundiais de Veteranos de Orientação em BTT”, destacando, nomeadamente, os nomes de Ricardo Esteves e Carlos Simões.

Quanto ao significado desta distinção, Luís Gonçalves vê-a “com enorme satisfação, porque estou a representar a Orientação no universo desportivo nacional e interpreto-a como reconhecimento pelos resultados obtidos nas provas do WTOC e pelo envolvimento na dinamização do TrailO em Portugal.” E acrescenta: “Para o TrailO português é um sinal de evolução nos resultados globais e do excelente trabalho que os clubes e a FPO têm vindo a fazer.” Mas, tal como os outros dois nomeados, vencer não está nos horizontes do atleta. A razão é simples: “Existem noutras modalidades amadoras atletas que alcançaram excelentes resultados. Portugal teve, em 2015, inúmeros campeões europeus e mundiais que merecem figurar entre os melhores e lutar pela vitória final”, conclui.

Saiba mais informações e conheça todos os nomeados em http://www.cdp.pt/gala.html.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: