sexta-feira, 7 de agosto de 2015

WOC 2015: Thierry Gueorgiou e Ida Bobach, os "reis" da Distância Longa



Com as vitórias de Thierry Gueorgiou e de Ida Bobach na final de Distância Longa, chegaram ao fim os Campeonatos do Mundo de Orientação 2015. No “desterro” de Glen Afric, triunfos tão saborosos quanto sofridos, ante concorrência de altíssimo nível.


Tal como sucedera em 2014, o francês Thierry Gueorgiou, o suiço Daniel Hubmann e o norueguês Olav Lundanes concluiram por esta ordem a final masculina de Distância Longa que encerrou os Campeonatos do Mundo de Orientação WOC 2015, disputado na lindíssima região de Inverness, na Escócia. Na verdade eram eles os grandes favoritos – os únicos favoritos! - a ocupar os lugares do pódio, sobretudo se pensarmos que, desde 2008, os três repartem entre si o título mundial desta distância. Marcada pelo equilíbrio, a prova colocou em confronto os três gigantes e as suas linhas de progressão praticamente sobrepuseram-se desde o início até ao fim. Apesar dos erros cometidos, as diferenças relativas entre eles raramente ultrapassaram um minuto e Hubmann chegou mesmo a comandar já muito perto do fim. Mas com o título mais apetecido à sua mercê – e numa altura em que se aproxima rapidamente do seu final de carreira -, Thierry Gueorgiou não se fez rogado e acabou por ser o mais rápido e o único atleta a baixar a barreira dos 100 minutos, concluindo com o tempo de 1:39:46. O gaulês chega assim ao seu 13º título mundial, o quarto na Distância nos últimos cinco anos e o terceiro consecutivo.

Hubmann e Lundanes, como se disse, ocuparam as posições imediatas, com mais 25 segundos e 57 segundos, respetivamente, que o vencedor. A França viria ainda a classificar dois atletas até ao 10º lugar, com Frederic Tranchand a terminar na 4ª posição, alcançando o seu melhor resultado de sempre nesta distância, e Lucas Basset a ser o 9º classificado. Também a Suiça colocou mais dois atletas no top 10, com Fabian Hertner e Matthias Kyburz a ocuparem, por esta ordem, as 5ª e 6ª posições. Quanto a Manuel Horta, o único português presente nesta final, terminou na 55ª posição num conjunto de 74 atletas.


Triunfo claro de Ida Bobach

“Sei que poderia ter feito melhor e por isso sinto-me desapontada com o 4º lugar de hoje. Mas, espero por uma nova oportunidade na Estafeta de amanhã”. Com estas palavras, Ida Bobach exprimia o que lhe ia na alma no final da prova de Distância Média da passada terça-feira. Depois, foi o que sabemos: a atleta soube deitar para trás das costas as “águas passadas” e, com um percurso absolutamente notável, contribuir significativamente para o histórico primeiro título de sempre das dinamarquesas na Estafeta. Foi, pois, com o sabor dessa vitória tão especial que se apresentou na linha de partida ao início da tarde de hoje, pronta para quebrar um jejum de 41 anos da seleção feminina da Dinamarca, depois de Mona Nørgaard ter vencido a prova de Distância Longa (na altura designada por “Distância Clássica”), na quinta edição dos Mundiais, disputada precisamente na Dinamarca, mais propriamente em Silkeborg.

Contratastando com as dificuldades certamente sentidas ao longo dos 9,7 km do seu percurso (com 440 metros de desnível), a história desta vitória é fácil de contar. Consistência, concentração e uma forma física excecional foram as receitas para o sucesso, coroado com um triunfo claro em 1:15:35. Ida Bobach conquista, assim, a sua primeira medalha de ouro individual em Campeonatos do Mundo, selando da melhor forma a participação das dinamarquesas no WOC 2015, onde alcançaram 4 dos 5 títulos em disputa (a sueca Annika Billstam, Campeã do Mundo de Distância Média, foi a única atleta a lograr quebrar o predomínio das dinamarquesas). Apontada à partida como uma forte candidata às medalhas, a norueguesa Mari Fasting esteve igual a si própria e garantiu a segunda posição, a 2:44 de Ida Bobach. Apesar de alguns pequenos erros, a atleta esteve irrepreensível na parte final da prova, recuperando lugares atrás de lugares até chegar, aos 30 anos de idade, á sua primeira medalha individual em Campeonatos do Mundo. Defendendo aqui o título mundial alcançado em Itália no ano passado, a russa Svetlana Mironova foi a terceira classificada a 3:04 da vencedora. Sete segundos mais lenta que a russa, Tove Alexandersson – apontada por muitos como a grande candidata ao título – não foi além da quarta posição. Correndo pela primeira vez uma final de Distância Longa dos Campeonatos do Mundo, a russa Natalia Vinogradova alcançou um excelente 5º lugar enquanto a britânica Catherine Taylor fechou o pódio, depois do 5º lugar alcançado na final de Distância Média. Este resultado terá sido determinante para o reordenamento das seleções no tocante à próxima edição dos Mundiais, com a Letónia a descer à segunda divisão, por troca com a Grã-Bretanha. Quanto à portuguesa Patricia Casalinho foi a 64ª classificada entre as 69 atletas que alinharam à partida.


Resultados

Masculinos
1. Thierry Gueorgiou (França) 1:39:46 (+ 00:00)
2. Daniel Hubmann (Suiça) 1:40:11 (+ 00:25)
3. Olav Lundanes (Noruega) 1:40:43 (+ 00:57)
4. Frederic Tranchand (França) 1:41:26 (+ 01:40)
5. Fabian Hertner (Suiça) 1:41:44 (+ 01:58)
6. Matthias Kyburz (Suiça) 1:42:21 (+ 02:35)
7. Olle Bostrom (Suécia) 1:42:36 (+ 02:50)
8. Gustav Bergmann (Suécia) 1:43:25 (+ 03:39)
9. Lucas Basset (França) 1:44:22 (+ 04:36)
10. Hans Gunnar Omdal (Noruega) 1:44:38 (04:52)
(…)
55. Manuel Horta (Portugal) 2:21:08 (+ 41:22)

Femininos
1. Ida Bobach (Dinamarca) 1:15:35 (+ 00:00)
2. Mari Fasting (Noruega) 1:18:19 (+ 02:44)
3. Svetlana Mironova (Rússia) 1:18:39 (+ 03:04)
4. Tove Alexandersson (Suécia) 1:18:46 (+ 03:11)
5. Natalia Vinogradova (Rússia) 1:19:01 (+ 03:26)
6. Catherine Taylor (Grã-Bretanha) 1:19:36 (+ 04:01)
7. Anne Margrethe Hausken Nordberg (Noruega) 1:20:27 (+ 04:52)
8. Sara Luescher (Suiça) 1:21:16 (+ 05:41)
9. Nadiya Volynska (Ucrânia) 1:21:28 (+ 05:53)
10. Hanny Allston (Australia) 1:21:47 (+ 06:12)
(…)
64. Patricia Casalinho (Portugal) 2:31:23 (+ 1:15:48)

Tudo para conferir em www.woc2015.org.

[Foto: WOC2015 / woc2015.org/long/liveblog]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: