sábado, 4 de julho de 2015

WTOC 2015: Antti Rusanen é o novo Campeão do Mundo de TempO



O finlandês Antti Rusanen é o novo Campeão do Mundo de TempO. Numa competição acesamente disputada, foi ele o mais rápido e consistente na grande final de Blato, Zagreb, chegando finalmente ao lugar mais alto do pódio mundial. Luís Gonçalves e Inês Domingues estiveram absolutamente brilhantes, alcançando as 6ª e 7ª posições, respetivamente.


Foi um dia de celebração, aquele vivido no Golf & Country Club Zagreb, em Blato, no sudoeste da capital da Croácia. Por um lado, Antti Rusanen celebrou o seu primeiro título mundial, depois das medalhas de prata em Kiev, Ucrânia (2007) e em Savoie, França (2011) e da medalha de bronze em Vuokatti, Finlândia (2013), todas na vertente de PreO. E, por outro, Portugal colocou dois atletas no top7, numa demonstração de vontade e talento que coloca o nosso País num patamar de grandeza superior nesta particular disciplina da Orientação mundial.

A grande final de Blato foi precedida duma Qualificatória levada a cabo no dia anterior, na cidade de Karlovac e na qual tomaram parte 83 atletas. Para além da desqualificação dos checos Libor Forst, Jiří Kalousek e Pavel Kurfürst, por violação das regras de competição, esta prova ficou marcada pela anulação de uma das oito estações, precisamente a última e que correspondia ao ponto de espectadores. Esta decisão – acertada! - da organização veio provocar algumas mexidas nos 36 apurados para a final, com o checo Tomáš Leštínský a alcançar um score de 188 segundos e a ser o mais rápido, à frente do norueguês Sondre Ruud Bråten e do finlandês Antti Rusanen. O norueguês Martin Jullum, Campeão do Mundo de TempO em título, quedou-se pela 14ª posição. Portugal alinhou nesta competição com quatro atletas, tendo Edgar Domingues (8º), Inês Domingues (20º) e Luís Gonçalves (25º) garantido de forma tranquila a presença na final. Melhor do que os portugueses, só mesmo noruegueses e finlandeses, com quatro atletas cada na decisiva prova.

A final viria a revelar alguns resultados surpreendentes, desde logo com Martin Jullum a ficar de fora do pódio e a ter de se contentar com o 12º lugar. Também a sueca Marit Wiksell, a menina-prodígio da Orientação de Precisão mundial, não foi além do 21º lugar. Bem melhor estiveram os noruegueses Sondre Ruud Bråten e Lars Jakob Waaler, respetivamente terceiro e quarto classificados e os portugueses Luís Gonçalves e Inês Domingues, 6º e 7º classificados. Entre ambas as “parelhas”, posicionou-se o finlandês Lauri Mäkinen, tal como Sondre Ruud Bråten um atleta muito jovem e com um extraordinário futuro à sua frente. Outra grande surpresa terá sido a medalha de prata alcançada pelo eslovaco Ján Furucz, enquanto Antti Rusanen garantia o ouro, por margem confortável, superior a 30 segundos. Dos 35 pontos que constituiram o percurso, o finlandês respondeu erradamente a uma questão apenas, apresentando uma extraordinária velocidade de execução na ordem dos 6 segundos por desafio. Referência ainda para o 32º lugar de Edgar Domingues, quiçá acusando a pressão do extraordinário resultado alcançado na Qualificatória, e para o 23º lugar do espanhol Antonio Hernandez, mostrando que a Orientação ibérica está forte e recomenda-se.


Resultados finais

1. Antti Rusanen (Finlândia) 242,5 segundos
2. Ján Furucz (Eslováquia) 279,5 segundos
3. Sondre Ruud Bråten (Noruega) 286 segundos
4. Lars Jakob Waaler (Noruega) 303 segundos
5. Lauri Mäkinen (Finlândia) 325,5 segundos
6. Luís Gonçalves (Portugal) 336 segundos
7. Inês Domingues (Portugal) 339 segundos
8. Alessio Tenani (Itália) 364 segundos
9. Tomáš Leštínský (República Checa) 379 segundos
10. Martin Fredholm (Suécia) 380 segundos

Resultados completos e demais informações em www.wtoc2015.org.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: