quinta-feira, 2 de julho de 2015

Campeonato do Mundo de Orientação de Precisão WTOC 2015: Uma jornada inesquecível



Na sexta posição…” - Damir Gobec faz uma pausa - “Luís Gonçalves, Portugal”, anuncia. Consumava-se assim, no pódio da competição de TempO, o momento mais alto da Orientação de Precisão portuguesa desde o seu relançamento no nosso País, nesse longínquo mas tão presente dia 14 de Março de 2009. Seis anos de muito trabalho e abnegação, de luta persistente, finalmente coroados com esta “inscrição” no galarim da Orientação de Precisão Mundial. Deste e doutros assuntos aqui se dará conta nos próximos dias, retrospetivando os Campeonatos do Mundo de Orientação de Precisão WTOC 2015 e enfatizando a presença lusa em terras da Croácia. Para já, contudo, impõe-se alguma reflexão.


14 de Março de 2009, 27 de Junho de 2015. Mais de seis anos separam o primeiro, pequenino, quase apenas simbólico, mas fundamental passo no relançamento da Orientação de Precisão em Portugal, deste que é o ponto alto da disciplina até ao momento e que coloca o nosso País num patamar elevado em termos de projecção mundial. Luís Gonçalves e o seu sexto lugar na final de TempO são o corolário de dois períodos marcantes da nossa Orientação de Precisão até à data: O primeiro, praticamente “às cegas”, muito voltado para a vertente paralímpica e assente sobretudo no trabalho do Núcleo de Desporto Adaptado do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada e no apoio de alguns clubes; e depois, a partir de 2012, de forma progressivamente mais estruturada, como são exemplos o trabalho de traçado de percursos de Remo Madella para o Portugal O’ Meeting 2012, em Viseu, a par da criação da Comissão Técnica e da participação de Joaquim Margarido e Ricardo Pinto nos Mundiais da Escócia, verdadeiro ponto de viragem na nossa Orientação de Precisão.

Mas regressando a Zagreb e Karlovac, onde, de 23 a 28 de Junho, tiveram lugar os Campeonatos do Mundo de Orientação de Precisão WTOC 2015, a participação portuguesa não teve apenas em Luís Gonçalves a grande referência. Ainda no TempO, Inês Domingues esteve brilhante, demonstrando uma vez mais a sua enorme qualidade e talento e alcançando o sétimo lugar, a três escassos segundos de Luís Gonçalves. Gonçalves lograria ainda estabelecer o melhor resultado de sempre dum atleta português no PreO, concluindo no 13º lugar, enquanto Edgar Domingues, Inês Domingues e Cláudio Tereso ofereceriam a Portugal o 4º lugar na Estafeta (extra-competição), a escassos sete segundos da Itália e da medalha de bronze.


Organização com nota máxima

Naqueles que foram os Campeonatos do Mundo de Orientação de Precisão mais participados de sempre – 120 atletas de 27 países competiram pelos títulos mundiais de TempO e PreO -, a organização croata merece o mais vivo aplauso. Marcado positivamente pela qualidade dos terrenos, por uma cartografia irrepreensível, pela adequação do traçado de percursos a uma filosofia que prima pela simplicidade do desafio e rejeita a dúvida e pela inexcedível disponibilidade e simpatia de todos os elementos ligados à organização, o WTOC 2015 constituiu um exemplo sublime de como se pode fazer muito e bem. Solidamente apoiados na supervisão da dinamarquesa Vibeke Vogelius e do finlandês Lauri Kontkanen, Damir Gobec e os seus pares colocaram a fasquia a um nível extraordinariamente elevado, marcando a história de doze edições de Campeonatos do Mundo, prestigiando o nome do seu clube, o OK Vihor, e dignificando a sua pátria, a Croácia.

A última palavra é devida àqueles que fizeram questão de fazer chegar a sua força e incentivo à representação nacional de Orientação de Precisão presente na Croácia. Dos apoios da Iziwear, Moltraço e Fapor e que permitiram equipar os atletas, ao trabalho de apoio na divulgação da trajectória portuguesa levado a cabo pelo Nuno Pires e pelo Fernando Costa, a todos um abraço sincero e sentido de agradecimento. Em particular ao Cláudio Tereso, incansável na recolha e difusão dos momentos de maior relevo nesta jornada, e àqueles que, por todos os meios, fizeram chegar regularmente as suas mensagens de apoio à comitiva nacional, a certeza de que um pedacinho destes resultados de sucesso é igualmente deles.


Saudações orientistas

Joaquim Margarido

Sem comentários: