domingo, 31 de maio de 2015

Campeonatos da Europa de Orientação em BTT 2015: Baptiste Fuchs (França)




Nome: Baptiste Fuchs
Idade: 28
Vive em: La Rochette, França
Profissão e grau de escolaridade: Professor de Educação Física.
Anos de prática desportiva: Ciclismo durante 15 anos, Snowboard durante 5 anos, Judo durante 7 anos. E também Esqui, Escalada e Parapente.
Anos de Orientação em BTT: 4 anos.
O que o levou a iniciar-se na Orientação em BTT: Tudo começou com um convite para integrar uma equipa numa prova nocturna de Orientação Pedestre. A experiência foi “mágica” e gostei muito das sensações. Tinha parado com o Ciclismo há dois anos e encontrei na Orientação o desporto que se adequava aos meus gostos e interesses.
Posição atual no ranking de Orientação em BTT da IOF: 4º lugar
Posição atual na Taça do Mundo de Orientação em BTT 2015: 3º lugar



Qual a melhor recordação na Orientação em BTT até ao momento?
- A minha primeira medalha num Campeonato do Mundo, na Polónia, em 2014. O meu melhor resultado até essa altura tinha sido um 7º lugar numa etapa da taça do Mundo e conquistar aquela medalha foi algo de completamente inesperado!

Onde vai buscar a inspiração?
- Penso que podemos aprender muito com os outros e procuro retirar o melhor de cada atleta à minha volta.

Quer mencionar um ou dois aspetos do treino que são as chaves do seu sucesso?
- Ter prazer a treinar no duro e com qualidade.

Quais são as suas metas para os Campeonatos Europeus, em Portugal?
- Conseguir um lugar no top 6 será um bom resultado, mas espero chegar às medalhas. Se fizer uma boa prova, sem erros, penso que poderei subir ao pódio devido a encontrar-me num bom momento de forma.

Qual é o seu maior desafio na competição, e como pretende gerir isso?
- O meu cérebro! Se conseguir manter-me concentrado durante toda a competição, sem pensar em resultados, sem pressões, apenas pelo prazer de correr, penso que conseguirei fazer boas provas.

Qual será a sua maior conquista nesta temporada?
- Um lugar no pódio no final da Taça do Mundo 2015.

Tem algum lema pelo qual orienta o seu modo de vida?
- Viver cada dia como se fosse o último!

Há algo mais que gostaria de partilhar?
- O meu inglês é bastante mau, mas procurarei remediar isso (risos). O “speaker” é um desafio intransponível para mim e também porque gostaria de poder discutir mais com os meus adversários no final de cada prova.

[Foto: Thibaud Guelennoc]

Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: