segunda-feira, 25 de maio de 2015

Campeonato da Europa de Orientação em BTT 2015: Camilla Søgaard (Dinamarca)




Nome: Camilla Søgaard
Idade: 23
Vive em: Aarhus, Dinamarca
Profissão e grau de escolaridade: Estudante Universitária, Curso de Ciências do Desporto
Anos de prática desportiva: Faço Orientação desde os 10 anos e Orientação em BTT desde os 19 anos. Nos dois últimos anos fiz também algumas provas de Corridas de Aventura.
Anos de Orientação em BTT: 5 anos.
O que a levou a iniciar-se na Orientação em BTT: Na realidade, eu detestava andar de bicicleta em criança, mas problemas com os meus joelhos durante três Invernos seguidos, numa altura em que integrava os trabalhos da selecção nacional Júnior de Orientação Pedestre, obrigaram-me a virar-me para a bicicleta como uma forma alternativa de treino. Após ter participado nalgumas competições nacionais de Orientação em BTT; a pedido do meu irmão Rasmus, e de ter participado também no Mundial de Juniores em Itália, em 2011, acabei por cair por inteiro na Orientação em BTT.
Posição atual no ranking de Orientação em BTT da IOF: 15º lugar



Qual a melhor recordação na Orientação em BTT até ao momento?
- Conquistar uma medalha numa prova individual ou como parte integrante duma equipa é sempre algo de fantástico e sinto-me particularmente feliz pela minha medalha de bronze na prova de Distância Longa do último Campeonato do Mundo. Mas conquistar a medalha de bronze na prova de Estafeta Mista de Sprint não oficial, juntamente com o meu irmão, também me diz muito, sobretudo porque ele realmente merece estar lá em cima.

Onde vai buscar a inspiração?
- À selecção nacional e aos meus amigos.

Quer mencionar um ou dois aspetos do treino que são as chaves do seu sucesso?
- Se esta questão tivesse sido colocada no Outono passado, eu diria – muito treino de XCO. Mas tive na altura uma lesão no joelho da qual nem é bom falar. Pelo menos consegui voltar a dar umas pedaladas, mas entretanto caí e fiz uma concussão e portanto, de momento, aquilo que tenho de fazer é ouvir com muito cuidado e atenção a minha cabeça e fazer apenas o que ela diz que “está bem, pode ser feito”.

Quais são as suas metas para os Campeonatos Europeus, em Portugal?
- Fazer algumas provas de forma controlada e inteligente e ver onde é que isso me pode levar. Procurarei não me sentir muito frustrada com eventuais resultados menos bons, porque estou muito longe da forma física com que gostaria de estar nesta altura do ano.

Qual é o seu maior desafio na competição, e como pretende gerir isso?
- Normalmente ando depressa demais em relação àquilo que devia para acompanhar a minha orientação e acabo por cometer alguns erros estúpidos, mas mesmo tendo de reconhecer que a minha velocidade está mais lenta ainda devo colocar uma atenção muito especial no mapa.

Qual será a sua maior conquista nesta temporada?
- Alcançar uma medalha, individualmente ou em conjunto com a equipa de Estafeta, apesar deste início de temporada “merdoso”.

Tem algum lema pelo qual orienta o seu modo de vida?
- Faz aquilo que gostas e fá-lo muitas vezes.

[Foto: Robert Vorvaň Urbaník]

Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: