quinta-feira, 30 de abril de 2015

V Meeting de Orientação de Gouveia: Títulos nacionais bem repartidos



Carolina Delgado, Tiago Gingão Leal, Maria João Sá e Miguel Reis e Silva. São eles os primeiros Campeões Nacionais da presente temporada de Orientação Pedestre no escalão de Elite. Em Gouveia, com as agruras do tempo a complicar e um apagão informático a deixar toda a gente com os nervos em franja, participantes e organização “deram o litro” e são dignos do mais vivo aplauso!


Gouveia foi palco, no passado fim de semana, do seu V Meeting de Orientação, este ano com o valor acrescido da disputa dos Campeonatos Nacionais de Sprint e de Distância Longa. O evento esteve a cargo do CPOC – Clube Português de Orientação e Corrida, Câmara Municipal de Gouveia e Federação Portuguesa de Orientação e pontuou, igualmente, para a Taça de Portugal Vitalis de Orientação Pedestre 2015. A intempérie que se abateu sobre aquela região do País na tarde de sábado e, sobretudo, na manhã de domingo, e os problemas informáticos que impediram a divulgação dos resultados do Campeonato Nacional de Distância Longa por longuíssimas horas, marcaram de forma indelével estes Campeonatos, mostrando uma organização abnegada e voluntariosa até ao limite, mas impotente para fazer face a um conjunto de condicionantes de magnitude superior.

Divivido em duas mangas, o Campeonato Nacional de Sprint disputou-se no sábado e teve o seu início na parte alta da cidade, no Jardim do Santuário, para terminar no centro de Gouveia. Muito técnico nos primeiros pontos e depois já na parte final, o percurso viria a posicionar lado a lado Tiago Romão (GafanhOri) e Tiago Gingão Leal (GD4C) no escalão de Elite masculina, elegendo-os desde logo como grandes favoritos à vitória final. Na decisiva manga, na Senhora dos Verdes, Tiago Gingão Leal viria a anular a diferança de 5 segundos para o seu opositor, recuperando um título que lhe fugira nos dois anos anteriores. A diferença final entre ambos viria a cifrar-se em 42 segundos, cabendo a terceira posição a Miguel Reis e Silva (CMo Funchal), a 55 segundos do vencedor. Na Elite feminina, Carolina Delgado (GD4C) foi a segunda classificada em ambas as mangas, mas a sua maior regularidade viria a valer-lhe o primeiro título nacional da sua carreira no escalão maior da nossa Orientação. Patrícia Casalinho (COC) defendia aqui o título nacional conquistado na Beselga, acabando por recuperar na segunda manga apenas 1:05 dos 1:25 que trazia de desvantagem da parte da manhã. A terceira posição coube a Rita Rodrigues (GafanhOri), a 1:37 da vencedora.

Disputado sob condições climatéricas severas e num cantinho de floresta com tanto de belo como de agreste, o Campeonato Nacional de Distância Longa viria a tornar-se num dos mais duros de sempre. No escalão de Elite masculina, Miguel Reis e Silva necessitou de 1:57:09 para cumprir os 10,1 km do seu percurso de forma vitoriosa, um registo que permite ter uma noção clara de que esta foi uma prova para “homens de barba rija”. Mas também para “mulheres de barba rija”, naturalmente, já que o tempo de 1:34:57 gasto por Maria João Sá (GD4C) em 6,1 km de distância, não é menos revelador das dificuldades duma prova que a atleta designou por “selvagem”. A vitória de Miguel Reis e Silva acaba por ter um impacto positivo duplo, já que permitiu ao atleta conquistar o título que lhe faltava e, ainda por cima, ante um adversário da valia de Tiago Romão, superado pela diferença de 2:10. Maria João Sá, por seu turno, conquistou o seu quinto título nacional de Distância Longa das últimas sete temporadas, ficando, também ela, radiante com a vitória. Patrícia Casalinho e Carolina Delgado, com mais 06:21 e 09:14, respetivamente, que a vencedora, ocuparam os restantes lugares do pódio.

Vale a pena referir, ainda, que a título individual foram vários os atletas que regressaram a casa com ambos os títulos na bagagem. Foram eles Vasco Mendes (GDU Azóia) em H14, Joana Fernandes (.COM) em D20, Jorge Correia (ADFA) em H40, Anabela Vieito (COC) em D40, Santos Sousa (ADFA) em H45, Hermínia Tavares (COV – Natura) em D60, Armandino Cramez (Ori-Estarreja) em H70 e José Grada (Ori-Estarreja) em H75. Coletivamente, o COC – Clube de Orientação do Centro foi o maior “açambarcador”, conquistando nove dos vinte e sete títulos atribuídos. ADFA – Associação de Deficientes das Forças Armadas, com sete títulos e Ori-Estarreja com cinco, ocuparam as posições imediatas. Quanto à Elite, os títulos de Distância Longa couberam ao GD4C e ao COC, respetivamente em masculinos e femininos, enquanto no Sprint o Ori-Estarreja venceu coletivamente a prova masculina, enquanto em femininos o triunfo coube ao GD4C.

Os resultados podem ser consultados em http://www.cpoc.pt/eventos.php?ev=Gouveia05&op=resultados.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: