quarta-feira, 4 de março de 2015

Duas ou Três Coisas Que Eu Sei Dela...



1. Serão os orientistas os futuros guardiões da natureza? A resposta parece ser afirmativa e vem plasmada num estudo da autoria de Charlotta Bjurvald e Robert Johnsson Wetterlöf a propósito do impacto dum evento com a magnitude do O-Ringen Skåne 2014 sobre a flora. Com uma gestão florestal cada vez mais racionalizada e o declínio da interferência da agricultura na forma de vida e tradições das populações, verifica-se uma cada vez mais forte ligação entre a biodiversidade e a perturbação da paisagem. Procurar esclarecer de que forma a floresta reage à presença de 25.000 orientistas foi o objetivo deste estudo, o qual residiu na elaboração dum inventário antes e depois das competições, em três locais distintos, ao nível da camada superficial e mais profunda do solo e posterior análise dos dados obtidos. Os resultados mostraram uma clara diminuição da frequência das espécies dominantes e um aumento da quantidade de terra livre comum a todos os locais observados após o evento, permitindo concluir que a interferência do homem no decurso duma prova de Orientação possibilita que espécies menos dominantes possam incrementar a sua disseminação e, portanto, contribui para o aumento da biodiversidade. “No futuro, a Orientação pode ter uma importante palavra a dizer ao nível da conservação das espécies”, concluem os autores. O artigo pode ser lido - em sueco (!) - em http://www.orientering.se/ImageVaultFiles/id_86777/cf_78/Orienterare_framtidens_naturv-rdare.PDF.


2. É já no próximo sábado que arranca a 6ª edição do Circuito Ori-Alentejo. Conjunto de seis etapas distribuídas pelos municípios de Arraiolos, Estremoz e Mora e organizado pelo GafanhOri – Clube de Orientação da Gafanhoeira – Arraiolos, o Circuito Ori-Alentejo 2015 promete uma descoberta do Alentejo com a Orientação, apresentando-se “em versão renovada, onde a variedade do tipo de provas, sustentada pelo rigor e qualidade das cinco edições anteriores, constituem elementos fulcrais para o Circuito continuar a receber várias centenas de participantes.” Incidindo em seis escalões de competição (Fácil, Médio e Difícil, Masculino e Feminino), um escalão de Iniciação e ainda essa novidade da Caminhada com Mapa – de dificuldade técnica e física baixa -, as atenções do Circuito Ori-Alentejo 2015 voltam-se já para Estremoz onde, no próximo sábado, decorre a primeira etapa, a partir das 13h00. Às 18h30 os interessados poderão ainda participar no “Open de Estremoz”, um Sprint Urbano Noturno a prometer um final de dia em grande. Para saber mais sobre esta etapa e conhecer as restantes, por favor consulte a página do Circuito em http://orialentejo.wix.com/orialentejo.


3. A entrar no seu 16º ano de vida, o programa de Promoção de Atividades de Ar Livre “Mexa-se Mais”, da Câmara Municipal de Oeiras, está de regresso. Até ao final do ano, os oeirenses terão à sua disposição um conjunto de várias modalidades, convidando-os a usufruir do melhor que o concelho tem para oferecer - dos seus parques e jardins ao Passeio Marítimo e a toda a orla ribeirinha -, desfrutando dos seus equipamentos e beneficiando das vantagens da actividade física. Colaborando uma vez mais com o programa, o CPOC – Clube Português de Orientação e Corrida dá o pontapé de saída na edição deste ano, organizando, já no próximo sábado, três atividades de Orientação, duas na vertente Pedestre (percurso Curto com 1,2 km e percurso Longo com 1,8 km) e ainda aquilo que é designado por “Desafio de Orientação de Precisão”, uma variante da Orientação particularmente inclusiva e vocacionada para pessoas com mobilidade reduzida, deslocando-se em cadeira de rodas. As atividades desenrolam-se na Fábrica da Pólvora, com concentração e início agendados para as 9h30. A participação é gratuita, mas a inscrição é necessária para garantir que não faltam mapas. Os interessados poderão inscrever-se ou tirar dúvidas através do e-mail mexasemais@cpoc.pt, indicando o(s) nome(s) completo(s), contacto telefónico e o escalão de participação. Não haverá prémios nem afixação de resultados, mas haverá técnicos do CPOC disponíveis para briefings de introdução à Orientação. Participe e mexa-se mais!


4. Encontra-se publicado na página da Federação Internacional de Orientação o resumo da reunião da Comissão de Orientação de Precisão da IOF, do qual se extraem alguns apontamentos interessantes. O primeiro tem a ver com a necessidade dum maior envolvimento entre o Conselho da IOF e as Comissões, a partir da nomeação de, no mínimo, dois membros do Conselho para fazer a ligação com cada uma das Disciplinas e apoiar as respetivas Comissões. Por seu lado, a Comissão de Orientação de Precisão deverá nomear um “Supervisor de Supervisores”, alguém que garanta a continuidade em termos de experiência e apoio aos Supervisores Internacionais ao longo do tempo. Outro assunto tratado teve a ver com o sistema eletrónico de validação de respostas, sendo apontado o Campeonato do Mundo de Orientação de Precisão em 2016, na Suécia, como o primeiro grande evento em que o mesmo deverá vir a ser aplicado. Neste momento estão em fase de preparação alguns documentos, um dos quais é um “handbook” que permita ter presentes, de forma agilizada, os procedimentos ao nível do Secretariado com vista à recolha e produção de resultados de forma rápida e sem erros. A Taça da Europa, presentemente com caráter “não oficial”, foi outra das matérias largamente discutidas, continuando na ordem do dia a possibilidade de a tornar oficial, bem como a criação de um Ranking Mundial, à semelhança do que ocorre nas restantes três disciplinas. Finalmente, uma situação que nos diz particular respeito: Portugal é candidato à organização do Campeonato do Mundo de Orientação de Precisão 2019, sendo até ao momento a única candidatura em cima da mesa. O resumo da reunião pode ser consultado em http://orienteering.org/wp-content/uploads/2010/12/Meeting-summary-1-2015-TOC.pdf.


5. A última nota do “Duas ou Três Coisas Que Eu Sei Dela...” desta semana propõe-se dar-lhe música. A canção é da autoria dos “Said the Whale”, uma banda de indie rock de Vancouver, Canadá, surgida em 2007 e com Ben Worcester e Tyler Bancroft na sua origem. A banda tem até hoje quatro álbuns de estúdio editados e venceu o prémio Juno Award for New Group of the Year, em 2011. Entre os seus temas mais populares – e era aqui que eu queria chegar - está uma canção sobre... Orientação! Não, não é inédito. Mas é invulgar. E mais invulgar ainda é o facto de, tanto a música como a letra, serem bonitas. Mas isto é já uma questão de gosto pessoal e... o melhor é ouvi-la.



Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: