sábado, 14 de fevereiro de 2015

POM 2015: O que eles disseram



Foi uma prova exigente, tanto técnica como mentalmente. Era realmente necessário manter a concentração permanentemente, devido a ser tudo tão parecido. Foi esse o motivo pelo qual fiz alguns erros em torno do ponto 13 e também para o 22. Treinei durante toda a semana mas nada tão duro como aquilo que tivemos aqui hoje, daí que fisicamente não possa dizer que dei o máximo mas correu bem. Para o resto dos dias do Portugal O' Meeting, não estabeleci quaisquer objetivos. Estamos no início da temporada e trata-se de treinar e de recuperar algumas rotinas de competição.

Frédéric Tranchand (Paimion-Rasti)


Treinámos toda a semana na região de Viseu e aqui o terreno é bastante diferente, é correr a direito. Levei a prova nas calmas mas vou procurar puxar um pouco mais amanhã e na prova WRE de segunda feira, que é onde reside o meu grande objetivo para este POM. Mas foi giro correr aqui hoje, com alguns pequenos erros para o primeiro ponto mas tudo bem daí em diante.

Saila Kinni (Individual FIN)


Já estava à espera duma prova assim, muito rápida. Conheço estes terrenos bastante bem e vinha preparado para isto, mas também sabia que cometer erros poderia ser crucial. E foi precisamente isso que aconteceu e daí não estar muito contente com a minha prova, mas gostei muito da floresta. Quanto aos próximos dias do POM, vou dar o máximo e lutar até ao fim!

Kiril Nikolov (Kalevan Rasti)


Foi bom para começar, uma prova limpa, sem erros mas com pouca velocidade. Apenas no último terço da prova coloquei algum ritmo de competição. Este é um ano um pouco especial porque comecei com os meus treinos mais tarde do que o habitual, daí a minha forma não ser a melhor neste momento. Mas nos próximos três dias pretendo correr bastante mais rápido e, se possível, continuar a não cometer erros.

Valentin Novikov (Russia)


A primeira parte da prova era bastante interessante. Era exigida uma boa leitura de mapa, havia muitos elementos que precisávamos de analisar duma forma bastante precisa. Mas a partir daí passou a ser correr a direito e tornou-se um bocadinho aborrecido. Mas não deixa de ser um desafio, correr a direito e fazê-lo bem até ao fim. Os meus objetivos para o POM têm a ver com o mapa. Hoje, por exemplo, treinei a aproximação aos pontos e correu muito bem, terei perdido cinco ou dez segundos apenas, no total. Foi bom, tenho de estar contente, mas espero algo mais técnico no dia de amanhã.

Léa Vercellotti (Maximus)


Joaquim Margarido

Sem comentários: