sábado, 21 de fevereiro de 2015

Norte Alentejano O' Meeting: Os cinco elementos!



Que mistério é este que leva a que, ano após ano, centenas de pessoas abandonem a sua “zona de conforto” e se dirijam a Portugal para participar no Norte Alentejano O’ Meeting? A resposta vem nos cinco dedos da mão: Água, Terra, Sol, Pedra e... Orientação!

Texto e foto: Joaquim Margarido


Foi em 2007 que o Norte Alentejano O' Meeting apresentou as suas credenciais pela primeira vez. Partindo duma aposta do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, logo nesse ano se percebeu que o potencial desta região do interior sul de Portugal para a prática da Orientação encontrava a correspondência perfeita na ambição do clube nortenho em avançar com a proposta dum projeto intermunicipal de grande envergadura e que colocasse o Norte Alentejano no mapa da Orientação mundial. Ao município de Nisa juntaram-se, sucessivamente, os de Castelo de Vide, Alter do Chão, Crato, Portalegre e Marvão, transformando o sonho inicial nessa realidade indesmentível: o Norte Alentejano O' Meeting é, nos dias de hoje, um evento reconhecido a nível mundial, tanto pela sua qualidade técnica como pela capacidade organizativa.

Ao longo de nove edições, o NAOM cresceu e consolidou-se. Recebeu os Campeonatos Nacionais de Sprint e de Distância Média em 2008 e em 2012, incluiu seis etapas pontuáveis para os Rankings Mundiais, integrou em 2011 o Portugal O' Meeting - prestigiada prova mundial do Calendário regular de Inverno -, foi palco assíduo da presença de todos os melhores atletas mundiais sem exceção e, por último mas não menos importante, tem contribuído de forma consistente para a promoção e afirmação do nosso País, e em particular da região Norte Alentejana, como destino turístico e desportivo por excelência no período de Inverno.


Campos de Treino completam oferta

Percorrer esta região de Portugal é ir ao encontro de tempos imemoriais, quando os primeiros homens aqui se estabeleceram, fazendo destas paragens o seu “porto de abrigo”. Da pré-história à civilização romana, do período árabe e medieval aos nossos dias, arte e cultura passeiam lado a lado com uma paisagem preservada de enorme beleza, num apelo aos sentidos e ao bom gosto de cada um. Motivos que levam Maria Gabriela Tsukamoto, ex-Presidente da Câmara Municipal de Nisa, a afirmar que “muito mais do que os itinerários traçados nos mapas, mais do que desporto, do que convívio saudável entre os grupos das provas e com as gentes das terras... os participantes no NAOM encontram aqui belezas infindáveis, distribuídas por um vastíssimo património natural e arquitetónico”.

Mas se os encantos do ponto de vista cultural e paisagístico, aliados a uma gastronomia única - onde o vinho, o azeite e as ervas aromáticas se impõe como complementos de excelência -, são os maiores atributos desta região, para o orientista “puro e duro” há, a par da grande competição, Campos de Treino de excelência. Fundada no final de 2011 por Fernando Costa, um homem com uma vasta experiência no associativismo desportivo e na organização de eventos, a Orievents [www.orievents.com] surgiu com o objetivo de organizar eventos, promover atividades de Orientação para escolas e empresas, trabalhar em articulação com entidades ligadas à problemática da deficiência, promover a formação de agentes desportivos e a comunicação e sponsorização de eventos e realizar mapas de Orientação. Mas é nos Campos de Treino que reside uma das suas maiores apostas, com uma oferta atual de 21 treinos em mapas de floresta e 7 em mapas de sprint, com muitos desses treinos desenhados por figuras conceituadas da Orientação mundial, casos de Eva Jurenikova, Philippe Adamski ou Oleksandr Kratov.


De 2007 a 2015

O romeno Ionut Zinca e a finlandesa Riina Kuuselo foram os primeiros atletas a inscrever os seus nomes no Quadro de Honra do evento, inaugurando em 2007 uma lista que vai crescendo a cada ano que passa e que inclui já, entre muitos outros, nomes como os da suiça Simone Niggli, do francês Thierry Gueorgiou, da checa Eva Jurenikova, do atual líder do ranking mundial, o norueguês Olav Lundanes, da sueca Helena Jansson e do português Tiago Romão. Em 2015, foi a vez dos ucranianos Oleksandr Kratov e Nadiya Volynska serem aclamados como os grandes vencedores do NAOM, após duas jornadas de grande nível que atraíram a Castelo de Vide e Marvão mais de 700 participantes de 15 diferentes nações.

Para Oleksandr Kratov, a edição deste ano do NAOM “foi, como sempre tem acontecido cada vez que me desloco a Portugal, uma bela experiência. Gostei muito, tanto das provas como dos terrenos, mas também destes mapas. É um prazer incrível poder correr e ler estes mapas”. Deixando elogios igualmente à organização do NAOM - “esta é uma organização à qual é difícil apontar um reparo” - o atleta terminou referindo ter sido este “um dos bons momentos no período de treino de Inverno”. Nadiya Volynska fez igualmente um resumo muito positivo desta sua participação na edição 2015 do NAOM e, em particular, da segunda etapa: “Gostei muito. Já adivinhava um terreno muito detalhado e também muito rico em termos de vegetação e procurei adequar a minha estratégia às condições. A colocação dos pontos foi algo que me agradou imenso, pela imensidão de opções que ofereceu em termos de progressão.” Em relação à vitória, propriamente dita, Volynska não esconde que “foi muito motivadora”, acrescentando que “era altura de fazer uma prova mais a sério, de puxar pela parte física; penso que este foi o momento certo e que fui bem sucedida.” E ainda uma palavra para a organização, “do melhor que há, ao nível das grandes organizações nos países escandinavos”, conclui.

Saiba tudo sobre o NAOM 2015 em http://www.gd4caminhos.com/naom2015.


Este artigo pode ser lido no original em http://orienteering.org/wp-content/uploads/2012/02/InsideOrient-1_15-3.pdf. Publicação devidamente autorizada pela Federação Internacional de Orientação.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: