quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Martin Hubmann: "O meu sonho é conquistar uma medalha numa prova individual"



Juntou ao sétimo lugar na prova mais importante do Portugal O' Meeting – a Distância Longa WRE do terceiro dia – um sétimo lugar final na competição. No seu regresso a Portugal, Martin Hubmann fala-nos da sua experiência e partilha connosco o seu grande sonho.


Como é que viu o Portugal O' Meeting 2015?

Martin Hubmann (M. H.) - Gostei muito. Como habitualmente, pudemos ver aqui uma excelente competição, bem organizada, bons terrenos e bons maps. Já tinha estado por duas vezes nesta zona de Portugal junto à costa, em terrenos de dunas e em mapas semelhantes, portanto já sabia o que esperar. Mas confesso que gosto mais dos terrenos de montanha, com todas aquelas pedras e o desafio das melhores opções, em vez de correr a direito, como aqui. De qualquer forma, foi bom como treino de base.

Está satisfeito com os resultados alcançados?

M. H. - O meu objetivo não era ganhar o Portugal O' Meeting. Tentei focar-me em duas etapas em particular – bem, não ganhei nenhuma delas, é verdade (risos) -, mas tudo bem. Não faço muita orientação durante o Inverno, portanto não é uma questão de forma. Estou a regressar aos mapas e penso que as coisas funcionaram muito bem. A temporada irá começar em Maio com algumas provas importantes, portanto há ainda muito tempo de treino pela frente. A seguir teremos outro Campo de Treino em Espanha, e por agora vai sendo isto, procurando afinar pormenores.

Qual é o seu grande objetivo esta temporada?

M. H. - O meu grande objetivo são os Campeonatos do Mundo, na Escócia. Mas para isso tenho de conseguir posicionar-me à altura de integrar o Grupo de Seleção e tenho de estar muito bem preparado quando tiver lugar a Taça do Mundo, em Junho, na Noruega e na Suécia, porque serão aí as nossas provas de seleção.

Faz parte dos seus planos a vitória na prova de Estafeta Mista de Sprint dos Mundiais?

M. H. - Iria defender o título e seria muito bom regressar de novo ao pódio. Todavia, o meu grande sonho é conquistar uma medalha numa prova individual. Não sei se isso poderá acontecer já este ano, mas é claramente o meu objetivo.

Vai com certeza perdoar-me a pergunta, mas... Sente-se como se estivesse na sombra do seu irmão?

M. H. - Colocada a questão dessa forma, sinto (risos). Mas também é uma vantagem ter um irmão como o Daniel, porque aprendo imenso com ele. Ele foi o meu treinador quando eu era Junior, temos ainda imensas coisas em comum, falamos imenso e penso que ambos acabamos por beneficiar com a situação. Há muitas pessoas que me colocam essa questão, mas eu não tenho problemas nenhuns nisso. Tenho orgulho em ter um irmão assim.

Também sonha com vir a ser o nº 1?

M. H. - Na família? (risos)

Número 1 do Mundo, quero dizer. Afinal o que é que o seu irmão tem que o Martin não tem?

M. H. - Penso que há ainda uma grande diferença entre nós do ponto de vista físico, eu ainda não sou tão rápido. Mas é tudo uma questão de tempo e de treino. Ele tem muito mais segurança no mapa do que eu, claro. É sobretudo uma questão de experiência.

No início de mais uma temporada, pedia-lhe que formulasse um desejo dirigido a todos os orientistas.

M. H. - Para o pessoal que faz Orientação, que treina e que se diverte, procurem melhorar a vossa forma e não se magoem, porque isso é o mais importante. Doutra forma, é uma chatice. É bom estarmos bem, irmos até à floresta e fazer orientação.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: