domingo, 22 de fevereiro de 2015

Alasdair McLeod: "Este é um grande ano para a Escócia"



E ao quarto dia descansou...” Foi assim que Alasdair MacLeod geriu a sua participação no Portugal O' Meeting 2015. Dominador absoluto das três primeiras etapas no escalão Homens Elite, o escocês teve no último dia o merecido repouso. Uma vitória de sabor agridoce, apesar de tudo, ao arrepio do grande desejo do atleta, o de ir a jogo na Super Elite.


Até que ponto se sente dececionado por não lhe ter sido possível correr na Super Elite?

Alasdair McLeod (A. McL.) - Não, estou bem. Sinto apenas que tive muito azar no ano passado, por não ter podido correr nenhuma prova pontuável para o Ranking Mundial devido a lesão e por ter terminado a temporada com uma pontuação muito baixa. Mas regras são regras. Ainda assim, gostei da comparação entre a Elite e a Super Elite mas, obviamente, teria tido muito mais prazer se tivesse sido possível correr na Super Elite.

Estava à espera de vencer desta forma categórica?

A. McL. - O meu plano original passava por correr aqui no escalão de Super Elite e queria, realmente, conseguir arrecadar alguns pontos de Ranking em Portugal. Tinha planeado descansar a maior parte dos dias e não correr todas as etapas, mas quando vim parar ao escalão de Homens Elite decidi que queria tentar ganhar todas as etapas possíveis.

Planificou estar entre nós nesta altura da época? Porquê Portugal?

A. McL. - Estas são as primeiras corridas no inverno. Treinei imenso durante os últimos três meses e estava realmente à procura duma oportunidade. Estamos em Portugal há uma semana com a seleção da Escócia e este foi o nosso segundo fim de semana de provas, fizemos um Vampo de Treino pelo meio e esta é a primeira grande oportunidade num evento de qualidade para fazer um ponto da situação e também porque há muitos atletas estrangeiros que vêm para Portugal nesta altura do inverno. São excelentes competições para percebermos onde estamos, qual o nosso momento depois do treino de inverno, como estamos dum ponto de vista técnico. É um ótimo estágio antes de começar a temporada e antes de algumas das provas maiores na Primavera e no Verão.

Está satisfeito com esta sua decisão? Que notas leva daqui?

A. McL. - Foi uma grande decisão e estou muito feliz. São as melhores corridas de há muito tempo a esta parte e, por isso, sinto que consegui alcançar todos os objetivos com esta vinda a Portugal.

Motivado?

A. McL. - Muito motivado. Este é um grande ano para a Escócia, o Campeonato do Mundo será na Escócia e eu vou tentar estar lá. Há um grande número de atletas britânicos que estão a treinar muito forte, que querem bons resultados, porque é um Campeonato jogado em casa. Eu vivo muito perto do local onde se realizará a competição e assim, em termos pessoas, consigo sentir ainda mais esse “fator casa” e quero estar lá.

O que é necessário para lá chegar?

A. McL. - Julgo que preciso, nos próximos meses, muitos e bons treinos de orientação; e manter-me saudável e sem lesões nos próximos seis meses seria igualmente excelente. Isto é o mais importante, sim, é realmente necessário estar numa forma superior, não perder o ritmo de treino e manter a consistência.

Como vê a equipa da Grã-Bretanha?

A. McL. - O pessoal está todo muito animado com as perspetivas para este ano. A atitude no seio da equipa é muito boa, todas as pessoas conhecem-se há muito tempo. Não importa muito aquilo que possa vir a acontecer, porque estão todos a treinar muito bem e estou certo que alguma coisa há de sair bem. Há um grande espírito de equipa e todos se apoiam mutuamente. Não é tanto uma questão desta ou daquela individualidade, é sobre o grupo como um todo, o que o torna tudo muito mais divertido.

Quais serão os seus passos intermédios até ao Campeonato do Mundo?

A. McL. - Depois de Portugal há uma prova muito importante chamada JK Orienteering Festival, em Abril. Será, na verdade, um grande evento internacional, porque algumas seleções vão aproveitar o evento como uma primeira abordagem antes dos Campeonatos do Mundo. Além disso, será também o primeiro grande teste dentro do nosso próprio Grupo de Seleção. Temos vários estágios e competições de avaliação e este será o primeiro. E depois temos as Taças do Mundo, na Noruega e na Suécia, que serão os principais eventos antes dos Campeonatos do Mundo.

Vamos vê-lo em Portugal nos próximos anos?

A. McL. - Julgo que esta é a minha terceira ou quarta vez em Portugal, nos últimos cinco anos e realmente gosto muito de cá vir. Há um grande número de terrenos que podem ser muito complicados tecnicamente, mas que são ao mesmo tempo terrenos muito rápidos. Isso é ótimo em termos do treino e julgo que irei voltar no próximo ano. Seguramente!


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: