quinta-feira, 10 de julho de 2014

WTOC 2014: O dia de todas as decisões!



Campomuletto recebe amanhã, a partir das nove horas, a decisiva etapa da competição de PreO do XI Campeonato do Mundo de Orientação de Precisão WTOC 2014. A escassa diferença pontual entre os grande candidatos à vitória deixa tudo em aberto e o momento parece propício às grandes surpresas.


Com o aproximar do Dia D, a tensão aumenta. Já ultrapassadas as atribulações do primeiro dia de competição de PreO, ontem, em Millegrobbe – Luserna, as atenções estão agora centradas na decisiva etapa de amanhã, em Campomuletto, com início marcado para as 10h00 (9 da manhã em Portugal). Com 20 pontos de controlo e uma distância de 1050 metros, a prova decidirá, para além dos títulos mundiais de PreO nas classes Aberta e Paralímpica, o campeão do Mundo na competição por Equipas.

Em termos individuais, valerá a pena lembrar que são oito os atletas que seguem na liderança da classe Aberta com um total de 11 pontos, número esse que se vê reduzido a dois na classe Paralímpica. Mas com tanto ainda por decidir, a imprevisibilidade no tocante ao resultado final é enorme e ninguém arrisca um nome quanto aos possíveis vencedores. Dado o alto nível de competitividade e o grande equilíbrio entre os principais candidatos à vitória, o finlandês Jari Turto como a checa Jana Kostova têm pela frente uma missão impossível, não parecendo capazes de anular a diferença para os primeiros e, assim, revalidar os seus títulos mundiais, respetivamente nas classes Aberta e Paralímpica. Já no tocante à competição por Equipas, o caso muda completamente de figura e tanto a Suécia como a Finlândia são de novo os grandes candidatos à vitória final. Na segunda linha é possível vermos na Noruega, República Checa, Croácia e Rússia os grandes favoritos à medalha de bronze. Mas as surpresas acontecem e até Portugal, num dia ao seu nível, pode uma vez mais fazer história!


Model Event “acessível”

Já hoje teve lugar em Campomulo o Model Event do segundo dia da competição de PreO. O percurso, com doze pontos e uma estação cronometrada com dois desafios, estendeu-se ao longo de cerca de um quilómetro, num terreno aberto, com muitos elementos individuais de vegetação e de relevo, sobretudo pedras e falésias. “Este é um terreno muito exigente e que implica um cuidado redobrado na definição dos elementos que estão mapeados e aqueles que não estão”, explicou Nuno Pires, o Responsável pela delegação portuguesa presente neste XI Campeonato do Mundo de Orientação de Precisão WTOC 2014. Uma vez mais, um pouco à semelhança daquilo que se verificou com o mapa do dia de ontem, “a sensação que persiste é a de que o critério do cartógrafo não é homogéneo, parecendo o mapa mais trabalhado apenas na imediação dos pontos”, observa Pires. Quanto ao grau de exigência dos desafios, aquele responsável classifica-o de “fácil” - a média de respostas corretas dos nossos atletas situou-se nas dez em doze possíveis -, referindo contudo que “houve alguns problemas 'entre' que nos colocaram dúvidas”, concluiu.

Tal como no primeiro dia, a dificuldade maior está em perceber o critério da cartografia, perceber porque é que uma pedra com uma dada dimensão está representada no mapa e outra com a mesma dimensão não está, porque é que um limite de vegetação surge duma maneira num caso e de maneira diferente noutro ”, referiu Luís Gonçalves, um dos nossos representantes na classe Aberta e que parte para a decisiva jornada no 43º lugar, a dois pontos da liderança. Já João Pedro Valente, o atleta português melhor classificado na classe Aberta com onze pontos e que vão valendo o 12º lugar, debruça-se sobre a questão dos desafios, confessando que “a surpresa foi o aparecimento de três desafios 'entre' e, sobretudo, a forma relativamente duvidosa da sua representação no mapa em relação ao terreno, embora na generalidade os desafios tenham sido acessíveis”. Finalmente, para Ricardo Pinto, o nosso único representante na Classe Paralímpica e que, com os seus nove pontos, ocupa o 11º lugar, a expectativa prende-se com “um mapa idêntico ao do Model Event e que seja de fácil leitura, tal como aconteceu hoje”. Os dados estão lançados e resta-nos aguardar pelo início da tarde de amanhã para percebermos se os nossos atletas voltam a fazer um brilharete nestes Campeonatos do Mundo.

Tudo para acompanhar em http://www.woc2014.info/wtoc.php.

[Foto: © Newspower Canon / woc2014.info/woc.php]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido
 

Sem comentários: