sábado, 12 de julho de 2014

WOC 2014: Suiça vence Estafeta feminina e fecha Mundiais com chave de ouro



A Suiça revalidou ao início da tarde de hoje o título mundial de Estafeta feminina, fechando da melhor forma a sua participação no XXXI Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre WOC 2014. Com Judith Wyder a fazer esquecer a multi-campeã Simone Niggli e a confirmar o título de estrela maior dos Campeonatos, as helvéticas tiveram uma prestação ao seu melhor nível, regressando a casa com três medalhas de ouro e uma de bronze na bagagem.


A fechar uma semana de emoções fortes, resultados sensacionais, muita festa e alegria e, naturalmente, algumas deceções também, o XXXI Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre WOC 2014 virou hoje a sua derradeira página. No regresso a Campomulo e aos palcos da prova de Distância Média, a Estafeta feminina cotou-se como uma das mais emocionantes da história dos Mundiais, com a imprevisibilidade no tocante ao vencedor a manter-se até aos derradeiros momentos.

Começando mais forte que todas as adversárias, a norueguesa Heidi Bagstevold cometeu uma má opção para o ponto 11 e, com sensivelmente metade do primeiro percurso transcorrido, era a Suiça quem liderava por intermédio de Sara Luescher. Suécia, Dinamarca e Letónia, com Helena Jansson, Emma Klingenberg e Aija Skrastina, respetivamente, seguiam no encalço a um minuto da liderança. Heidi Bagstevold voltou a sentir muitas dificuldades na parte final do percurso, entregando o testemunho a Tone Wygemir na 5ª posição, com 1:44 de diferença para a líder. Sara Luescher foi a primeira a chegar, com o tempo de 36:05, tendo agora atrás de si Emma Klingenberg, com mais 31 segundos e Helena Jansson a par duma sensacional Aija Skrastina, ambas a 37 segundos da liderança.


Judith Wyder, pois claro

Com Nadiya Volynska, Saila Kinni, Lizzie Ingham e Irina Nyberg em ação no segundo percurso, Ucrânia, Finlândia, Nova Zelândia e Rússia aspiravam pela sua quota parte de protagonismo numa final cada vez mais emotiva, mas na frente, excetuando a letã Inga Dambe, ninguém parecia interessado em ceder. A verdade é que os erros foram-se sucedendo – Suiça no desafiante ponto 6, Dinamarca e Noruega após a passagem pelo ponto de espectadores –, o que permitiu à Suécia, por intermédio da Campeã do Mundo de Distância Longa, a sensacional Annika Billstam, assumir então a liderança, embora com a dinamarquesa Ida Bobach muito próximo. Aos 1:11:30 de Billstam no final do segundo percurso, respondeu Bobach com 1:11:41. Sabine Hauswirth colocava a Suiça na 3ª posição e Judith Wyder parecia ter agora pela frente uma “missão impossível” para anular a desvantagem de 2:17 para a liderança. Noruega com 1:16:25, Letónia com 1:17:57 e Finlândia com 1:19:29, ocupavam as três posições imediatas.

Com Judith Wyder agora em prova, a Suiça voltou a entrar na luta pelo ouro. Uma entrada fulgurante no mapa e eis que a bi-campeã do Mundo - de Sprint e Estafeta Mista de Sprint – conseguuia rapidamente anular a diferença para as suas mais diretas adversárias e liderava já a caminho do ponto 5. Um erro no ponto seguinte, contudo, permitiu à Dinamarca assumir a liderança, a qual conservava à passagem pela Arena, com 33 segundos de vantagem sobre a Suécia e um minuto sobre a Suiça. O ataque ao ponto 10, contudo, é feito da pior maneira por Maja Moller Alm e a luta pela medalha de ouro está agora completamente aberta, com Wyder, Alexandersson e Alm a passarem coladas à entrada para a decisiva parte do percurso, a pernada longa a caminho do ponto 11. 

Decidindo-se então por uma opção diferente da das suas adversárias, Maja Alm arriscava tudo mas sem ver a sua tentativa coroada de sucesso. Tove Alexandersson entra então em declínio e, com três pontos por controlar, a luta pelo ouro resume-se agora a Dinamarca e Suiça. No final, Judith Wyder volta a ser a mais forte e a Suiça coleciona a sua terceira medalha de ouro nestes Mundiais, com um tempo total de 1:51:21. Dinamarca e Suécia, nas posições imediatas, fecham o pódio, respetivamente a 0:11 e 2:35 da Suiça e com duas particularidades no mínimo interessantes: A Dinamarca chega pela segunda vez na sua história ao pódio Mundial da prova de Estafeta feminina, depois da medalha de bronze alcançada por Mette Filskov, Hanne Birke, Karin Jexner e Dorthe Hansen há 31 anos atrás (!); por outro lado, a Suécia recupera o seu lugar no pódio mundial de Estafeta feminina, de onde apenas tinha saído uma vez nas anteriores 30 edições dos Campeonatos, precisamente em 2013.


Resultados

1. Suiça 1:51:21
2. Dinamarca 1:51:32 (+ 00:11)
3. Suécia 1:53:56 (+ 02:35)
4. Noruega 1:55:45 (+ 04:24)
5. Finlândia 1:59:03 (+ 07:42)
6. Grã-Bretanha 2:06:31 (+ 15:10)
7. Lituânia 2:07:04 (+ 15:43)
8. Ucrânia 2:08:32 (+ 17:11)
9. República Checa 2:08:34 (+ 17:13)
10. França 2:10:42 (+ 19:21)
(…)
24. Portugal 2:34:49 (+ 43:28)

Resultados e demais informação em http://www.woc2014.info/woc.php.

[Foto: Jan Kocbach / twitter.com/WorldofOLive/]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido
  

Sem comentários: