sexta-feira, 11 de julho de 2014

WOC 2014: Ouro na Média para Lundanes e Billstam



Olav Lundanes e Annika Billstam sagraram-se hoje campeões do mundo de Distância Média. Um regresso ao lugar mais alto do pódio para dois dos melhores intérpretes da Orientação mundial, embora não os maiores favoritos à partida para esta prova. Tiago Romão alcançou o 50º lugar e foi o mehor português numa prova onde Thierry Gueorgiou se “despistou” e passou da glória ao inferno.


Estão atribuídos os últimos títulos individuais do XI Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre WOC 2014. Numa prova dominada pela surpresa, o norueguês Olav Lundanes chegou pela terceira vez na sua carreira ao título mundial, depois das vitórias na Distância Longa em 2010 (Noruega) e 2012 (Suiça). Também a sueca Annika Billstam voltou a pisar o lugar mais alto do pódio, quatro anos depois do título mundial de Distância Longa conquistado em França.

A prova masculina teve um desfecho absolutamente inesperado, já que Thierry Gueorgiou dominou a corrida praticamente desde o início e cruzou a linha de chegada com o melhor tempo por larga margem, para logo de seguida deixar a sua legião de fãs completamente atónita ao saber-se da sua desqualificação. Aparentemente, o atleta terá seguido diretamente do ponto cinco para o ponto sete, desbaratando desta forma a possibilidade de somar ao título de Distância Longa, alcançado na passada quarta feira, também o de Distância Média e, dessa forma, repetir o feito glorioso de 2011, nos Mundiais de França.


Lundanes, Hertner e... Kratov

Mas porque Thierry não era o único atleta em prova e também não foi o único a falhar – que o diga Daniel Hubmann, outro dos grandes candidatos à medalha de ouro, cujo “tropeção” a caminho do ponto 9 em muito contribuiu para o 11º lugar final –, a vitória acabou por sorrir ao norueguês Olav Lundanes com o tempo de 38:12 para 5.860 metros de prova (19 pontos de controlo, 290 metros de desnível). A escassos 18 segundos do vencedor, o suiço Fabian Hertner voltou a pisar o pódio de Distância Média, distinguido desta vez com a medalha de prata depois do bronze em 2012. Dez anos depois de Yuri Omeltchenko ter conquistado a medalha de bronze na final de Sprint dos Mundiais da Suécia, a Ucrânia volta a ter um atleta num pódio dum Campeonato do Mundo graças à extraordinária prestação de Oleksandr Kratov, terceiro classificado a 34 segundos do vencedor.

Baptiste Rollier e Andreas Kyburz, ambos da Suiça, fixaram-se nas quarta e quinta posições, logrando os melhores resultados individuais da suas carreiras em Campeonatos do Mundo. Também Lauri Sild, no sexto lugar, alcançou um resultado histórico para a Estónia nesta Distância enquanto Leonid Novikov, campeão do mundo em 2013, não foi além do 8º lugar, a 3:17 do vencedor. Portugal esteve presente com dois atletas, Tiago Romão e João Mega Figueiredo, que terminaram na 50ª e 64ª posição respetivamente.


Ouro para Billstam

No setor feminino, a luta pela medalha de ouro nas suecas Annika Billstam e Tove Alexandersson e na dinamarquesa Ida Bobach os grandes protagonistas. Billstam até começou pior que as suas adversárias, mas ao concluir a primeira metade do percurso era já seu o terceiro lugar, a pouco mais de meio minuto da liderança, ocupada então por Ida Bobach. À passagem pelo ponto de espectadores a situação permanecia inalterável e foi na parte final que tudo se decidiu, com Billstam a tomar uma opção diferente das suas adversárias a caminho do ponto 14 (dos 16 espalhados ao longo dum percurso de 4.960 metros) e a ganhar aí a liderança. No final, extraordinária vitória com o tempo de 37:03, duma atleta que aos 38 anos de idade conquista assim a segunda medalha de ouro da sua carreira em Campeonatos do Mundo. Na segunda posição, com mais 22 segundos que a vencedora, classificou-se a dinamarquesa Ida Bobach, repetindo assim a prata alcançada na Distância Média dos Mundiais de França, em 2011, na altura ainda em idade júnior. Tove Alexandersson fechou o pódio com o tempo de 37:27, enquanto Sara Luescher foi a melhor atleta suiça, na quarta posição. Mariana Moreira foi a única representante portuguesa nesta Final, quedando-se no 53º lugar.


Resultados

Masculinos

1. Olav Lundanes (Noruega) 38:12
2. Fabian Hertner (Suiça) 38:30 (+ 0:18)
3. Oleksandr Kratov (Ucrânia) 38:46 (+ 0:34)
4. Baptiste Rollier (Suiça) 39:45 (+ 1:33)
5. Andreas Kyburz (Suiça) 40:05 (+ 1:53)
6. Lauri Sild (Estónia) 40:39 (+ 2:27)
7. Carl Godager Kaas (Noruega) 41:28 (+ 3:16)
8. Leonid Novikov (Russia) 41:29 (+ 3:17)
9. Gustav Bergman (Suécia) 41:54 (+ 3:42)
10. Jan Prochazka (República Checa) 41:57 (+ 3:45)
(…)
50. Tiago Romão (Portugal) 49:02 (+ 10:50)
64. João Mega Figueiredo (Portugal) 59:32 (+ 21:20)

Femininos

1. Annika Billstam (Suécia) 37:03
2. Ida Bobach (Dinamarca) 37:25 (+ 0:22)
3. Tove Alexandersson (Suécia) 37:27 (+ 0:24)
4. Sara Luescher (Suiça) 38:37 (+ 1:34)
5. Mari Fasting (Noruega) 38:53 (+ 1:50)
6. Maja Moeller Alm (Dinamarca) 39:00 (+ 1:57)
7. Saila Kinni (Finlândia) 39:27 (+ 2:26)
8. Helena Jansson (Suécia) 39:37 (+ 2:34)
9. Sarina Jenzer (Suiça) 39:42 (+ 2:39)
10. Heidi Bagstevold (Noruega) 40:01 (+ 2:58)
(…)
53. Mariana Moreira (Portugal) 54:19 (+ 17:16)


[Foto: Dansk Orienterings-Forbund / facebook.com/Danskorienteringsforbund]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido
  

Sem comentários: