quarta-feira, 9 de julho de 2014

WOC 2014: Duas coroas, a mesma cabeça



Thierry Gueorgiou renovou hoje o título mundial de Distância Longa e tornou-se no primeiro atleta da história a alcançar três medalhas de ouro nesta distância em Campeonatos do Mundo. Ao título de “Rei da Distância Média”, o gigante francês soma agora também o de “Rei da Distância Longa”. No setor feminino, de forma algo surpreendente, a russa Svetlana Mironova foi a grande vencedora, sucedendo à multi-campeã suiça, Simone Niggli.


Hoje foi um dia histórico para a Orientação mundial e, em particular, para um dos seus mais lídimos intérpretes, Thierry Gueorgiou. Ao chegar ao título mundial de Distância Longa pela terceira vez na sua carreira – anteriormente o atleta gaulês tinha vencido “em casa”, em 2011 e depois, em 2013, nos Mundiais da Finlândia -, Tero destaca-se agora dum conjunto de sete notáveis onde se incluem, não estranhamente, os seus dois maiores rivais da prova de hoje, o suiço Daniel Hubmann e o norueguês Olav Lundanes.

Estreando um novo formato, com entrada direta na Final e quotas de participação devidamente definidas de acordo com a posição de cada uma das Federações no ranking da Federação Internacional de Orientação, a prova – duríssima! – teve lugar em Lavarone, numa distância de 16.360 metros, com 33 pontos de controlo e 820 metros de desnível. A luta entre Gueorgiou, Hubmann e Lundanes manteve-se acesa ao longo de praticamente todo o percurso, com um intervalo inferior a 50 segundos entre os três atletas à passagem no ponto de espectadores, já na parte final. Foi então a vez de Gueorgiou “puxar dos galões” e fazer aquilo que melhor sabe fazer: ganhar! No final, vitória em 1:34:45, contra 1:36:12 de Hubmann e 1:37:09 de Lundanes.

Até ao 7º lugar viriam a classificar-se ainda três atletas suiços – Fabian Hertner (4º), Matthias Kyburz (5º) e Baptiste Rollier (7º) -, enquanto a Suécia meteu um dos seus atletas nos lugares de honra, com Fredrik Johansson a concluir na sexta posição. O austríaco Gernot Kerchbaumer alcançou, com o seu oitavo lugar, o melhor resultado de sempre dum atleta do seu país nesta distância, superiorizando claramente o anterior 12º lugar de Hannes Pacher e que datava de 1983 (!). Quanto aos portugueses, Pedro Nogueira foi o nosso melhor representante no 59º lugar, com 2:14:47, enquanto Tiago Gingão Leal terminou na 63ª posição com o tempo de 2:20:52, entre 84 atletas de 50 países.


Ouro histórico para a Rússia

A prova feminina viu a Vice-Campeã Europeia de Distância Longa, a russa Svetlana Mironova, levar a melhor sobre uma plêiade de estrelas e contrariar o favoritismo da helvética Judith Wyder, bi-campeão mundial (Sprint e Estafeta Mista de Sprint) e da sueca Tove Alexandersson, vice-campeã do mundo em 2013. Mironova teve uma entrada excecional, acabando por liderar a prova do princípio ao fim, vencendo com o tempo de 1:19:44. Uma vitória suada e sofrida, ante a fortíssima oposição de Tove Alexandersson que quase surpreendia a sua adversária na parte final, quedando-se a uma diferença de 31 segundos. Algo irregular na primeira metade da prova, Judith Wyder viria a terminar muito forte, garantindo a medalha de bronze com um registo de 1:20:34. Sucedendo a Simone Niggli, Svetlana Mironova alcança assim um feito histórico, oferendo à Orientação feminina da Rússia a primeira medalha de ouro de sempre da sua história, tanto nas distâncias individuais como na Estafeta.

Nos lugares abaixo do pódio, destaque para as três norueguesas, Mari Fasting (4ª), a sensacional Goril Ronning Sund (5ª) e ainda, na sétima posição, Tone Wygemir. A sueca Annika Billstam terminou no sexto lugar. Em ano de estreia na maior competição do calendário internacional de Orientação Pedestre, Vera Alvarez foi a única representante portuguesa na Final feminina de Distância Longa, ao lado de outras 68 atletas em representação de 36 países. A nossa atleta viria a terminar na 58ª posição, percorrendo os 11.000 metros do seu percurso (23 pontos de controlo, 495 metros de desnível) no tempo de 1:56:45.


Resultados

Masculinos

1. Thierry Gueorgiou (França) 1:34:45
2. Daniel Hubmann (Suiça) 1:36:12 (+ 1:27)
3. Olav Lundanes (Noruega) 1:37:09 )+ 2:24)
4. Fabian Hertner (Suiça) 1:38:39 (+ 3:54)
5. Matthias Kyburz (Suiça) 1:40:12 (+ 5:27)
6. Fredrik Johansson (Suécia) 1:40:16 (+ 5:31)
7. Baptiste Rollier (Suiça) 1:41:19 (+ 6:34)
8. Gernot Kerschbaumer (Áustria) 1:41:40 (+ 6:55)
9. Kiril Nikolov (Bulgária) 1:41:59 (+ 7:14)
10. Filip Dahlgren (Suécia) 1:42:15 (+ 7:30)
(...)
59. Pedro Nogueira (Portugal) 2:14:47 (+ 40:02)
63. Tiago Gingão Leal (Portugal) 2:20:52 (+ 46:07)

Femininos

1. Svetlana Mironova (Russia) 1:19:44
2. Tove Alexandersson (Suécia) 1:20:15 (+ 0:31)
3. Judith Wyder (Suiça) 1:20:34 (+ 0:50)
4. Mari Fasting (Noruega) 1:22:06 (+ 2:22)
5. Goril Ronning Sund (Noruega) 1:22:38 (+ 2:54)
6. Annika Billstam (Suécia) 1:22:40 (+ 2:56)
7. Tone Wigemyr (Noruega) 1:22:41 (+ 2:57)
8. Sarina Jenzer (Suiça) 1:22:43 (+ 2:59)
9. Sofia Haajanen (Finlândia) 1:24:29 (+ 4:45)
10. Ida Bobach (Dinamarca) 1:25:05 (+ 5:21)
(...)
58. Vera Alvarez (Portugal) 1:56:45 (+ 37:01)

Resultados completos e demais informações em http://www.woc2014.info/woc.php.

[Foto: © Newspower Canon / woc2014.info/woc.php]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: