quinta-feira, 26 de junho de 2014

Os Verdes Anos, Edição Especial: Ricardo Esteves


Encontra-se inscrito na Federação Portuguesa de Orientação sob o nome de Ricardo Ferreira, mas toda a gente o conhece por Ricardo Esteves, o homem de quem se fala. O título Europeu de Sprint alcançado esta manhã na Macedónia lança-o, da melhor forma, para a galeria de “notáveis” da orientação nacional e o Orientovar aproveita o ensejo para o dar a conhecer um pouco melhor neste “especial” da rubrica “Os Verdes Anos”.


Nasceu em Sintra, em 16 de Outubro de 1998, mas veio morar para o Pinhal Novo com seis anos de idade. Ricardo Esteves Ferreira acaba de completar o 10º ano na Escola Secundária de Pinhal Novo, no curso de Artes Visuais, recebendo de “prenda” de final de ano uma medalha de ouro, graças à sua extraordinária vitória em Strumica, na Macedónia, conseguida na prova de Sprint do Campeonato da Europa de Jovens de Orientação Pedestre, no escalão H16.

Foi graças ao incentivo do Professor Daniel Pó - “se o Professor não me tivesse chateado tanto para ir para a Orientação, acho que hoje estaria em casa deitado no sofá”, diz -, que Ricardo Esteves viu nascer e crescer em si o “bichinho” da modalidade. O contato com outros desportos foi sempre uma constante na infância e juventude do atleta e antes da Orientação praticou Natação, Aikido, Futebol e Atletismo. A verdade é que 
correr sempre foi a sua paixão, algo que decerto terá herdado do pai, outrora um grande atleta nacional, chegando a participar em Campeonatos do Mundo de Juniores de Corta-Mato.


Primeiros embates

“No início não achei muita piada à Orientação”, confessa Ricardo Esteves, que viu as coisas mudarem assim que os bons resultados nas provas do Desporto Escolar começaram a aparecer. Do abandono do Futebol ao ingresso na ADFA, “o clube que me acompanha em todas as provas e que me tem apoiado sempre”, foi um pequenino passo. A primeira prova acabou por ter lugar em Terras de Bouro, no decurso dos Campeonatos Nacionais de Distância Longa e Estafetas, em 2012, uma experiência que o atleta lembra como “uma grande aventura que adorei”.

O ano de 2013 é considerado por Ricardo Esteves como “o primeiro ano a sério na Orientação”. O jovem atleta dá o grande salto do escalão H14 para o H16 e tem o seu primeiro embate internacional em Abril, no Algarve, onde integra a selecção portuguesa no escalão M2 ao lado de Isac Brito, João Magalhães, Leonardo Ramalho e João Pedro Casal. O “mp” na prova de Distância Média acaba por ser compensado com um diploma correspondente ao sexto lugar na prova de Distância Longa, ficando a experiência e o contacto com os melhores atletas mundiais no seu escalão como uma enorme mais-valia que o acompanhará no futuro.

É também em 2013 que se sagra Campeão Nacional de Distância Longa e de Sprint e alcança o título de Vice-Campeão Nacional de Distância Média, passando a integrar o grupo de seleção jovem que mais tarde virá a competir no Campeonato da Europa de Jovens de Orientação Pedestre EYOC 2013, disputado no mês de Outubro, nos concelhos de Óbidos, Peniche e Caldas da Rainha. Apesar de ser o seu primeiro EYOC, Ricardo Esteves consegue ser o melhor português na prova de Sprint, terminando no 15º lugar (o melhor resultado de sempre até então numa prova de Sprint, no escalão H16, em Campeonatos da Europa de Jovens) e também na prova de Distância Longa, onde conclui na 40ª posição. De parceria com João Bernardino e João Novo, alcança ainda o 12º lugar na prova de Estafeta, a segunda melhor classificação de sempre duma seleção portuguesa neste escalão.


O ano da confirmação

A presente temporada começa com a conquista da medalha de prata na Distância Longa e da medalha de bronze na prova de Sprint do Campeonato Ibérico, seguindo-se o título de vice-campeão nacional de Desporto Escolar no escalão Juvenil. O título nacional de Distância Média é a sua última grande conquista antes da partida para a Macedónia, numa temporada onde domina destacadamente o ranking nacional no escalão H16, com 9 vitórias nas vinte etapas já disputadas, mais quatro vitórias que o seu adversário direto, João Magalhães (.COM).

Antecipando a grande jornada da Macedónia, Ricardo Esteves referia: “Este EYOC é o meu principal foco para este ano, tendo como grande objetivo um top-10 na prova de Sprint, um top-25 na prova de Distância Longa e um top-8 na Estafeta”. O primeiro grande objetivo está alcançado. E de que maneira! Dentro de dois dias saberemos se os restantes se concretizarão.


Reacções

“Acreditava no top-6 mas isto é espectacular!” Foi desta forma que Pedro Duarte, o treinador de Ricardo Esteves, reagiu à vitória do seu pupilo. Duarte que reconhece que, com este resultado, “a responsabilidade aumenta para treinador e atleta [risos] mas isto é 99% dele; só quem o conhece sabe o empenho diário e a disciplina de treino que ele tem apesar da idade. Para além do talento claro... mas talento sem trabalho não é nada”. E não esquece nas suas palavras o Professor Daniel Pó, o homem que lançou Ricardo Esteves na Orientação: “Uma grande parte do sucesso destes miudos é tua, Daniel Pó, o trabalho que tens feito é de saudar e muito importante! Dessa Escola já saíram bons valores para a nossa modalidade e não tenho dúvidas que com o tempo mais irão sair! Obrigado pelo teu contributo (...) e por incutires nos miudos o gosto pela Orientação!”

Entre as muitas reações à vitória de Ricardo Esteves, uma há que merece especial relevância, a daquele que o jovem campeão considera o seu “irmão mais velho”, Luis Silva: “É verdade, é muito bonito quando as coisas acontecem e depois já ninguém se lembra do passado. Há três anos vi esse miúdo, um jogador da bola e também um bocado gozão a correr... fiquei intrigado e questionei-me se não estava a presenciar a próxima geração. Sob a alçada do professor Daniel ele fez-se, a exemplo de muitos nós (eu, o Fábio Silva ...) pessoas que ainda continuam por cá! O que é certo é que ai está, aquele espirito inquebrável, incómodo para muita gente, que acabou por ter o apoio de nós, da ADFA e do mister Pedro. Muitos duvidaram, no fim vêm as surpresas... mas só para alguns!”

Associando-se a tão significativo momento, também a direcção da Delegação da ADFA de Évora, pela voz do seu Presidente, Manuel Branco, “congratula-se com o feito hoje alcançado, prestigiante para o País e para a ADFA. Aproveitamos para desejar as maiores felicidades para a restante competição e deixamos expresso que poderás sempre contar com o apoio desta Instituição”.

[Foto da publicação de EYOC 2014 no Facebook, em https://www.facebook.com/eyoc2014?fref=ts]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: