segunda-feira, 2 de junho de 2014

Dunas TrailO: Luís Gonçalves e Inês Domingues vitoriosos



Luís Gonçalves foi o grande vencedor do Dunas TrailO, jornada de Orientação de Precisão em dose dupla, levada a cabo na tarde de sábado, em Cantanhede. No recém-criado Campeonato Nacional de TempO, Inês Domingues é a primeira atleta a inscrever o nome no Livro de Honra da competição.


Jornada de Orientação de Precisão memorável, a vivida nas Dunas de Cantanhede na tarde do passado sábado. Organizado pelo Clube de Orientação de Estarreja num dos seus locais de eleição, junto à Praia do Palheirão, o Dunas TrailO repartiu-se por dois eventos distintos, o primeiro de PreO e pontuável para a Taça de Portugal de Orientação de Precisão 2014 e o segundo de TempO, nele se disputando, pela primeira no nosso País, o Campeonato Nacional desta recente vertente da Orientação de Precisão.

É imperioso começar por referir o extraordinário labor organizativo do Ori-Estarreja, logrando montar, no mesmo dia, duas provas de grande rigor, complexidade e exigência em termos de recursos materiais e humanos, algo que aconteceu pela primeira vez no nosso País ao nível da Orientação de Precisão. Aposta ganha, certamente, como se percebeu pelas demonstrações de apreço dos mais de setenta atletas presentes no conjunto das duas competições. De menos positivo, apenas, a morosidade no processamento e divulgação dos resultados, o que obrigou a duas cerimónias de entrega de prémios em dias separados, uma para a Classe Paralímpica e outra para a Classe Aberta e Campeonato Nacional de TempO.


Certeiro a 100%

A etapa de PreO abriu as hostilidades. Com uma distância de 700 metros e 19 pontos convencionais (mais três cronometrados), o percurso mostrou-se bastante desafiante, colocando o acento tónico na capacidade de leitura e interpretação dum terreno particularmente rico em elementos de relevo e de vegetação. Aos competidores era exigido o recurso a todas as formas de resolução de problemas, privilegiando as técnicas clássicas (posição dos elementos e das curvas de nível) em detrimento das restantes. Algo que elevou a fasquia técnica para níveis de extraordinária qualidade e exigência, com reflexo claro nos resultados apurados.

Confirmando a extraordinária vitória na etapa anterior da Taça de Portugal, disputada no Parque Tejo, junto à Ponte Vasco da Gama, Luís Gonçalves (CPOC) fez uma prova limpa, tendo sido igualmente certeiro e rápido nos pontos cronometrados. A vitória assenta-lhe que nem uma luva, confirmando-o naturalmente no lote de eleitos da disciplina em Portugal e um valor seguro nos próximos Campeonatos do Mundo que terão lugar em Itália, de 6 a 11 de Julho próximo. Melhor atleta português nos Europeus de Palmela, Jorge Baltazar (GDU Azoia) foi o segundo classificado. Um erro no último ponto, daqueles que “não se usam”, e o exceder o tempo limite de prova, acabaram por ser fatais às suas legítimas aspirações. João Pedro Valente (CPOC) confirmou igualmente o excelente momento e foi o terceiro classificado, com três respostas incorretas. Na Classe Paralímpica, Ricardo Pinto (DAHP) foi o grande vencedor com um resultado de 11 pontos, garantindo também ele o apuramento para o Campeonato do Mundo.


Inês Domingues, sensacional

Com uma implementação ainda bastante inconsistente em Portugal, o TempO teve na prova de Cantanhede um momento de altíssimo valor e qualidade. A decisão de organizar precisamente nesta prova o I Campeonato Nacional de TempO atraiu as atenções de 68 atletas, a esmagadora maioria dos quais a terem aqui um primeiro contacto com esta vertente da Orientação de Precisão. Foi este o caso de Inês Domingues (COC), vencedora da competição e primeira Campeã Nacional de TempO, no fundo algo que não surpreende aqueles que sabem que o “TempO não é para velhos” e conhecem as qualidades técnicas duma atleta com largos anos da prática da Orientação e com muita experiência de leitura de mapas. O segredo deste extraordinário resultado esteve na rapidez de resposta, já que Inês Domingues soube compensar a penalização sofrida em cinco decisões erradas com um tempo médio de resposta a cada um dos vinte e cinco desafios a quedar-se ligeiramente abaixo dos seis segundos.

Finalista da competição de TempO nos recentes Campeonatos da Europa e grande favorito à conquista do título de Campeão Nacional de TempO, João Pedro Valente foi “apenas” segundo classificado. O atleta foi extraordinariamente certeiro, errando apenas dois problemas, mas os 265 segundos gastos no total das vinte e cinco respostas não foram suficientes para guardar a vantagem de 90 segundos sobre Inês Domingues a título de penalizações. Jorge Baltazar foi, juntamente com João Pedro Valente, o mais certeiro na etapa de TempO, mas o tempo total gasto foi ainda superior, cifrando-se em 295 segundos, o que o “atirou” para o terceiro lugar do pódio.


Luís Gonçalves segura vitória

Contas feitas ao somatório das duas provas, Luís Gonçalves acabou por ser o grande vencedor do Dunas TrailO, seguido de Jorge Baltazar e de João Pedro Valente. Apenas oitavo classificado no Campeonato Nacional de TempO, o atleta do CPOC não viu o resultado global ser grandemente afetado pela modesta prestação, uma vez que o número de respostas falhadas foi de apenas três (o problema esteve na forma pouco expedita como deu as respostas, tendo gasto quase dezasseis segundos, em média, em cada uma delas). Daí um score final extraordinário de 41 pontos em 44 possíveis. Na Classe Paralímpica, a vitória coube a Ricardo Pinto, de novo o mais certeiro na prova de TempO, alcançando um resultado final de 24 pontos.

A Orientação de Precisão segue dentro de duas semanas com a realização no Parque da Lagoa da Vela, em Quiaios, do II Campeonato Nacional de PreO. Integrado no 16º Grande Prémio do RA4 e organizado pelo Clube de Orientação do Centro, a prova conta com traçado de percursos de Carlos do Vale e é pontuável para a Taça de Portugal de Orientação de Precisão 2014.


Resultados

Dunas PreO / Taça de Portugal de Orientação de Precisão 2014
Classe Aberta
1º Luís Gonçalves (CPOC) 19/19 pontos
2º Jorge Baltazar (GDU Azoia) 17/19 pontos
3º João Pedro Valente (CPOC) 16/19 pontos
4º Alexandre Reis (ADFA) 15/19 pontos
5º Cláudio Tereso (ATV) 14/19 pontos
6º Luís Nóbrega (COV – Natura) 14/19 pontos
7º Nuno Pedro (CAOS) 14/19 pontos
8º Mariana Moreira (CPOC) 14/19 pontos
9º Jorge Valente (CPOC) 14/19 pontos
10º Inês Domingues (COC) 13/19 pontos

Classe Paralímpica
1º Ricardo Pinto (DAHP) 11/19 pontos
2º Júlio Guerra (DAHP) 8/19 pontos
3º José Laiginha Leal (CRN) 8/19 pontos
4º Ana Paula Marques (DAHP) 7/19 pontos
5º Cláudio Poiares (CRN) 7/19 pontos
6º António Amorim (DAHP) 4/19 pontos

Dunas TempO / Campeonato Nacional de TempO 2014
1º Inês Domingues (COC) 298 segundos
2º João Pedro Valente (CPOC) 325 segundos
3º Jorge Baltazar (GDU Azoia) 355 segundos
4º João Moura (COV Natura) 410 segundos
5º Ângela Pedro (CAOS) 426 segundos
6º Eduardo Oliveira (ATV) 470 segundos
7º Jorge Valente (CPO) 476 segundos
8º Luís Gonçalves (CPOC) 483 segundos
9º Cláudio Tereso (ATV) 485 segundos
10º Nuno Pedro (CAOS) 489 segundos

Dunas TrailO
Classe Aberta
1º Luís Gonçalves (CPOC) 41 pontos / 411 segundos
2º Jorge Baltazar (GDU Azoia) 40 pontos / 372 segundos
3º João Pedro Valente (CPOC) 39 pontos / 293 segundos
4º Nuno Pedro (CAOS) 34 pontos / 371 segundos
5º Inês Domingues (COC) 33 pontos / 174 segundos
6º João Moura (COV – Natura) 33 pontos / 382 segundos
7º Cláudio Tereso (ATV) 32 pontos / 292 segundos
8º Inês Alves (GD4C) 32 pontos / 395 segundos
9º Alexandre Reis (ADFA) 31 pontos / 264 segundos
10º Eduardo Oliveira (ATV) 31 pontos / 344 segundos

Classe Paralímpica
1º Ricardo Pinto (DAHP) 24 pontos / 306 segundos
2º Júlio Guerra (DAHP) 20 pontos / 327 segundos
3º Cláudio Poiares (CRN) 18 pontos / 777 segundos
4º José Laiginha Leal (CRN) 14 pontos / 468 segundos
5º Ana paula Marques (DAHP) 14 pontos / 528 segundos
6º António Amorim (DAHP) 12 pontos / 744 segundos

Saiba mais em http://cndme2014.ori-estarreja.pt/ e veja aqui as fotos do Dunas PreO e do Dunas TempO.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

2 comentários:

joao santos disse...

Experiência gratificante. Se para mim o OUTRO é sempre o mais importante, a minha partilha com o José Leal deu-lhe um significado ainda mais importante.
Para O José Leal um abraço por permitir ter estado a seu lado e tornar-me uma pessoa mais " rica ".
Para ti , amigo J. Margarido um outro abraço com uma amizade cada dia mais reforçada.

Joaquim Margarido disse...

Obrigado João, pelas tuas palavras. Bem haja a todos aqueles que cantam a mesma canção: "Tu sozinho não és nada / Juntos temos o mundo na mão".