domingo, 4 de maio de 2014

10Mila 2014: Kalevan Rasti "bisa" vitória na Estafeta masculina



É usual dizer-se que “o primeiro milho é dos pardais”. E assim foi, uma vez mais, na competição masculina desta 70ª edição da 10Mila, a clássica prova sueca de Estafeta que chamou a Eksjö mais de trezentas equipas de dez elementos cada. Com os primeiros sete percursos a conhecer seis líderes diferentes, apenas na parte final se começou a desenhar o desfecho que levaria a turma finlandesa do Kalevan Rasti a repetir o triunfo de 2013.

Depois da Estafeta feminina, a 10Mila 2014 centrou as suas atenções no setor masculino, preparando-se para "a noite mais longa". Trezentas e dezoito equipas de dez elementos cada alinharam à partida, com o favoritismo a recair, por larga margem, sobre os vencedores de quatro das últimas cinco edições, a turma finlandesa do Kalevan Rasti. Dada a partida, o percurso inaugural viu Antonio Martínez Pérez do IK Vista / Eksjö SOK 2 entregar o testemunho na primeira posição, um feito histórico para a Orientação espanhola e que representa um justo prémio para o trabalho e esforço do grande atleta. Julian Dent (IFK Lidingö SOK) e Wojciech Dwojak (IL Tyrving) adiantaram-se ligeiramente no segundo percurso, mas no percurso seguinte já todos os pretendentes à vitória se encontravam de novo reagrupados, com as primeiras trinta e sete equipas separadas entre si por escassos 47 segundos. Com ligeiras alterações, o grupo manteve-se relativamente compacto até ao início do sexto percurso, altura em que as equipas começaram a jogar os seus grandes trunfos com o cair da noite.

No final do sexto percurso, eram em número de dezoito as equipas que seguiam na frente separadas entre si por 1:07. Com as turmas do Halden SK e Kristiansand OK de fora deste grupo, as suspeitas duma vitória tranquila da turma finlandesa do Kalevan Rasti avolumavam-se. Suspeitas essas que viriam a reforçar-se ainda mais quando, no oitavo percurso, os finlandeses jogam a grande cartada, colocando em prova o seu “chefe-de-fila”, Thierry Gueorgiou. Com o melhor tempo neste percurso, o grande atleta francês coloca o Kalevan Rasti na liderança, lançando Hertner para o penúltimo percurso com uma vantagem de 1:28 sobre Eric Börjeskog, da turma sueca Södertälje-Nykvarn OF, e de 2:01 sobre Fredrik Johansson, dos igualmente suecos do IFK Lidingö SOK. A verdade é que as coisas não correm tão bem a Hertner quanto seria de esperar e, no final do segundo mais longo percurso desta edição da 10Mila (15,6 km), o suiço entrega o testemunho lado a lado com Johansson que, recorde-se, foi medalha de bronze na final de Distância Longa dos recentes Campeonatos da Europa de orientação, disputados em Palmela.


Prochazka fez a diferença

Já com a terceira equipa a distantes 4:55 da liderança, o checo Jan Prochazka e o finlandês Mårten Boström defrontam-se no decisivo percurso. Este Böstrom, contudo, está longe de ser o Boström que conquistou de forma categórica o título mundial de Sprint em Vuokatti, no Verão passado, enquanto Prochazka está, decisivamente, mais forte – demonstrou-o em Palmela, tendo sido 4º classificado na Final de Distância Longa e chegando, com a equipa da República Checa, à medalha de prata na Estafeta. Assim, foi sem surpresa que vimos Prochazka afastar-se de Böstrom desde os primeiros metros, garantindo no final uma vantagem de 1:51 e oferecendo assim uma muito festejada vitória aos “rossoneros” do Kalevan Rasti. Na terceira posição, a distantes 7:11 dos vencedores, classificaram-se os suecos do Södertälje-Nykvarn OF, numa equipa onde pontificou o espanhol Andreu Blanés e com Ralph Street no derradeiro percurso.

Esta edição da 10Mila contou ainda com a presença de três atletas portugueses que, no seu conjunto, tiveram comportamento meritório. Ao serviço dos suecos do IFK Umeå, Tiago Romão correu o sexto percurso, recebendo o testemunho de Oskar Malmberg na 75ª posição, para no final o entregar no 73º posto. Até ao final a variação não foi significativa e a turma sueca terminou no 75º lugar, a 2:35:19 dos vencedores. Luís Silva assegurou o penúltimo percurso da turma sueca do MS Parma, saindo na 90ª posição para, no final, cair oito lugares na classificação. Muito pior esteve Eero Jalli, o seu colega de equipa, que abriu o derradeiro percurso de forma desastrosa, não indo no final além do 119º lugar, com mais 3:13:45 que os vencedores. Finalmente, Tiago Gingão Leal, em representação dos dinamarqueses do CopenhagenO, correu também o 9º percurso, saindo na 175ª posição e melhorando, no final, 4 lugares. O CopenhagenO, contudo, viria a no final a cair para o 188º lugar com mais 3:25:03 que o Kalevan Rasti, depois dum derradeiro percurso menos bem conseguido por parte de Anders Bachhausen.


Resultados

1º Kalevan Rasti 11:12:13
2º IFK Lidingö SOK 11:14:04 (+ 1:51)
3º Södertälje-Nykvarn OF 11:19:24 (+ 7:11)
4º IFK Moras OK 11:21:23 (+ 9:10)
5º Vaajakosken Terä 11:23:53 (+ 11:40)
6º IFK Göteborg 11:24:55 (+ 12:42)
7º Hiidenkiertäjät 11:25:19 (+ 13:06)
8º OK Denseln 11:25:19 (+ 13:16)
9º OK Linné 11:26:43 (+ 14:30)
10º Järla Orientering 11:26:46 (+ 14:33)

Saiba tudo em http://www.10mila.se/

[Foto: kestävyysurheilu.fi/]


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: