terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

PreO Challenge - Maia Cidade Europeia do Desporto 2014: "Upgrade" torna prova mais aliciante



Está fechada a vertente técnica do PreO Challenge Maia Capital do Desporto, evento que terá lugar no próximo domingo, no Parque do Avioso (Maia). Acompanhada por António Amador, o Diretor do Campeonato da Europa de Orientação de Precisão 2014, a equipa do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos esteve no terreno no passado fim de semana e ultimou pormenores. No arranque da Taça de Portugal da presente temporada, uma tarde plena de desafios em perspetiva, aqui antecipada por Nuno Pires, o Supervisor FPO.


Conseguimos perceber que os testes ao percurso do passado domingo tiveram como resultado um "upgrade" de 16 para 19 pontos no terreno. Quer falar-me um pouco disso?

Nuno Pires (N. P.) - Inicialmente desenhada para ter 16 pontos convencionais e 2 cronometrados, o PreO Challenge Maia Capital do Desporto irá, efetivamente, contar com 19 pontos convencionais + 2 cronometrados. A prova foi testada, conseguindo perceber-se que os desafios estão bem desenhados e apresentam uma lógica e qualidade para fazerem parte do percurso. Tecnicamente a prova será de grau de dificuldade médio, e em que todos os pontos convencionais terão a possibilidade de ser de resposta zero.

Quais as características do percurso e do terreno onde o mesmo se irá desenrolar?

N. P. - O percurso tem uma distância de 2.000 metros e 40 metros de altimetria, com uma configuração praticamente a descer na primeira parte e a subir na segunda parte. O tempo limite de prova será de 120 minutos para a classe Aberta e de 130 minutos para a classe Paralímpica, precavendo-se algum tempo extra para alguma fadiga que advenha da concentração da altimetria positiva. O mapa será naturalmente a 1:4000, com 2,5m de equidistância no que toca às curvas de nível.

O terreno apresenta algum crescimento recente do mato rasteiro em algumas zonas, plantação de algumas novas árvores e um ou outro corte de mato, pelo que se procedeu a algumas atualizações pontuais do mapa, principalmente nas zonas dos pontos. Quanto aos desafios, e tendo em conta as características do Parque do Avioso, onde há uma grande mescla de elementos construídos, com floresta e zonas onde as árvores foram mapeadas individualmente, penso que atualmente está preparado um conjunto de pontos e desafios que, não sendo propriamente difíceis, vão precisar de tempo para tirar a conclusão certa. Procurou-se minimizar as escolhas por instinto, tendo toda uma lógica pensada para a colocação de cada baliza, mesmo aquelas que à partida pareçam logo fora da escolha. Acima de tudo, tentou-se diversificar os problemas e promover técnicas de Orientação de Precisão na procura das balizas certas, ou daquelas que deveriam estar no terreno, mas não estão!

Referiu no início que a prova contará com dois pontos cronometrados (!?).

N. P. - Correto. Sensivelmente a meio do percurso haverá um local de neutralização de tempo de prova, com recolha de mapa, para a realização dos pontos cronometrados numa zona de acesso condicionado. De regresso ao local de neutralização, os atletas de ambas as classes são encaminhados por um elemento da organização ao topo duma subida ingreme (neste local, os atletas paralímpicos terão ajuda para vencer a dificuldade), onde se devolve o mapa e recomeça a contagem do tempo de prova. Desta forma, voltam a partir com pelo menos um minuto de intervalo.

Como Supervisor e conhecedor do percurso, há outros aspetos técnicos que possam ser partilhados?

N. P. - Alerto os atletas para o facto dos pontos de decisão terem o ângulo de visão desenhado no chão, bem definido, para que não haja dúvidas no tocante aos grupos de balizas que são deste ou daquele ponto. A organização, nos locais necessários, irá colocar fitas extra que limitam o campo de visão. Se posso ter a liberdade de dar um conselho a todos os atletas, reforçaria a importância da observação e análise do terreno à medida que progridem. Há decisões que poderão ser mais facilmente tomadas se não fizerem a prova a “ligar” e a “desligar” a análise do mapa e espaço físico de prova só na zona dos pontos e tiverem já em atenção a aproximação aos pontos de decisão. Entretanto, importa referir que, no final, iremos promover uma pequena tertúlia para discutir o percurso e os pontos, fazendo com que se cumpra o objetivo de também divulgar os bastidores da prova num ambiente informal e simultaneamente pedagógico para todos.

Pedia-lhe que, a pensar nos indecisos, deixasse aqui uma palavra de incentivo sob a forma de convite.

N. P. - Gostaria de relembrar que esta prova, embora não esteja enquadrada numa Pedestre, não deixa de ser uma prova da Taça de Portugal de Orientação de Precisão de 2014 e simultaneamente uma das três provas que poderá abrir as portas a uma participação no Campeonato da Europa de Orientação de Precisão, em Abril, em Palmela. Assim sendo, convido todos os atletas da Pedestre a aparecerem em força na Maia, para se divertirem e competirem. Reforço este apelo, dirigindo-o sobretudo àqueles que são da região norte do País. O Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos merece a vossa presença com a mesma motivação que levou tantos e tantas a fazerem centenas de quilómetros para ir ao NAOM, quando a Maia estará seguramente mais perto. As inscrições estarão abertas excecionalmente até 5ª feira, dia 6 de Fevereiro.



Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: