domingo, 23 de fevereiro de 2014

MCO 2014: Portugal foi segundo atrás da Espanha



Encerrou da melhor forma a terceira edição do Campeonato Mediterrânico de Orientação, levado ao cabo ao longo do fim de semana nos concelhos de Sátão e Aguiar da Beira. Na derradeira etapa, uma Distância Longa de nível superior, a Espanha foi a grande vencedora, com Portugal a quedar-se pela segunda posição. Na prova aberta, Thierry Gueorgiou e Simone Niggli voltaram a brilhar, repetindo as vitórias alcançadas na véspera.


Foi um fim de festa memorável, aquele vivido na Arena montada na margem sudoeste do mapa da Quinta da Estrada, no concelho de Aguiar da Beira. Numa etapa de Distância Longa pontuável para o ranking mundial, Thierry Gueorgiou e Simone Niggli mostraram-se uma vez mais imbatíveis num terreno de elevada exigência física e que se revelou, do ponto de vista técnico, do mais desafiante que se pode encontrar em Portugal. É pelo menos essa a opinião do vencedor do escalão de Super-Elite Masculina, que começou por afirmar: “No início senti algumas dificuldades na escolha dos melhores itinerários, mas as coisas foram melhorando e fisicamente também me fui sentindo cada vez melhor. Mas é difícil compreender o terreno, muito mais duro do que na etapa de ontem, mas um terreno absolutamente perfeito. Venho frequentemente a Portugal e continuo a surpreender-me com os terrenos. Este consegue ser ainda melhor do os que outros que já conheço, um pouco à semelhança dos terrenos na Austrália, extremamente exigentes, e sinto-me particularmente satisfeito por ter podido correr esta prova hoje.”

Thierry Gueorgiou, que irá permancer em Portugal por mais alguns dias, projetou igualmente a próxima semana: “É mais uma semana importante neste trabalho de preparação, uma mistura de treino e de competição. O Portugal O' Meeting vai ser igualmente muito interessante em terrenos exigentes. Treinamos muito, claro, mas é muito bom poder depois puxar um pouco mais e entrar no ritmo de competição. É importante apostar na qualidade e em Portugal encontro as condições ideais para preparar a temporada.” A finalizar, uma abordagem aos Europeus do próximo mês de Abril, que terão lugar em Palmela: “Se tenho já a cabeça nos Campeonatos da Europa? Não propriamente. É verdade que penso nisso de vez em quando mas o mais importante é concentrar-me no dia a dia, ter boas sensações e conseguir treinar e competir dentro do estabelecido. Essa é a melhor forma de chegar aos Campeonatos da Europa e aos Campeonatos do Mundo na melhor forma.”


Não correrei os Europeus, isso é certo!”

No escalão de Elite feminina, Simone Niggli levou de vencida esta derradeira etapa, mas as coisas não foram fáceis de início: “Tive um começo muito mau, com muitas hesitações e pequenos erros para o primeiro ponto – fiquei até bastante irritada comigo mesma (risos) – mas depois as coisas começaram a correr melhor. Na pernada longa fiz também algumas más opções e nalgumas partes corri realmente devagar, mas adorei este terreno. É um misto de Finlândia, Alpes Suiços e Portugal. Foi fantástico correr aqui, num terreno difícil mas com uma orientação extremamente desafiante e divertida.” Com esta forma física, sendo a extraordinária atleta que é, como é que Simone Niggli se permite falhar a presença nos Campeonatos da Europa? “Se quer mesmo saber se correrei ou não os Europeus, não correrei, isso é certo! Tomei esta decisão e, pelo menos até ao momento, não me arrependo. Acompanharei os Europeus, estarei lá como espectadora, correrei as provas abertas e podem contar comigo para torcer pela Suiça.”

Na Taça COMOF, os resultados desta terceira etapa acabaram por confirmar a Espanha como a grande vencedora. Portugal teve apenas duas presenças no pódio, graças aos terceiros lugares de Patrícia Casalinho e Tiago Romão, enquanto o seleccionado espanhol levou ao pódio sete dos seus oito atletas, com três vitórias e três segundos lugares. A Espanha totalizou assim 105 pontos no conjunto das três etapas, contra 143 de Portugal e 190 de Itália, segundo e terceiro classificados respetivamente. A Sérvia garantiu a 4ª posição com 231 pontos, enquanto a Turquia foi quinta classificado com 268 pontos. Israel fechou a lista de países concorrentes com um total de 270 pontos. Refira-se a terminar que o 3º Campeonato Mediterrânico de Orientação contou com a participação aproximada de mil atletas e foi uma organização conjunta do Clube de Orientação de Estarreja e do Clube de Orientação de Viseu - Natura, com os apoios dos municípios de Sátão e Aguiar da Beira e da Federação Portuguesa de Orientação, Federação Internacional de Orientação e Confederação das Federações Mediterrânicas de Orientação.


Resultados

Homens Super Elite
1. Thierry Gueorgiou (Kalevan Rasti) 1:22:06
2. Olav Lundanes (Halden SK) 1:25:03 (+2:57)
3. Douglas Tullie (TuMe) 1:31:58 (+9:52)
4. Jan Prochazka (Kalevan Rasti) 1:32:20 (+10:14)
5. Eskil Kinneberg (IFK Göteborg) 1:33:06 (+11:00)
6. Olli-Markus Taivanen (PelPo) 1:34:04 (+11:58)
7. William Lind (MOKS) 1:34:51 (+12:45)
8. Bjørn Ekeberg (IL Tyrving) 1:35:31 (+13:25)
9. Matthew Speake (Lillomarka OL) 1:35:53 (+13:47)
10. Ionut Alin Zinca (Farra-O) 1:36:38 (+14:32)

Damas Elite
1. Simone Niggli (OK Tisaren) 1:10:42
2. Mari Fasting (Halden SK) 1:12:24 (+1:42)
3. Irina Nyberg (Individual) 1:16:11 (+5:29)
4. Galina Vinogradova (Individual) 1:17:36 (+6:54)
5. Outi Ojanen (Kangasala SK) 1:18:34 (+7:52)
6. Kine Hallan Steiwer (Halden SK) 1:21:18 (+10:36)
7. Gabija Razaityte (IGTISA) 1:21:50 (+11:08)
8. Maren Janssen Haverstad (NTNUI) 1:22:15 (+11:33)
9. Svetlana Mironova (Individual) 1:22:57 (+12:15)
10. Hanna Raitanen (Rajamäen Rykmentti) 1:23:54 (+13:12)



Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: