sexta-feira, 11 de outubro de 2013

MTBO WORLD CUP / WMMTBOC'2013: RUSSIA VEZES DOIS


Anton Foliforov e Olga Vinogradova levaram de vencida a etapa inaugural da ronda final da Taça do Mundo de Orientação em BTT 2013, a decorrer no nosso País. No Mundial de Veteranos, certame que se disputa em paralelo com a Taça do Mundo, o nome de Portugal foi projetado ao mais alto nível por Carlos Simões, o grande triunfador no escalão H40.


Decorreu na manhã de hoje a primeira de três etapas que compõem a ronda final da Taça do Mundo de Orientação em BTT 2013 e que, por estes dias, tem como palcos os municípios de Grândola, Santiago do Cacém e Sines. Numa etapa de Distância Média rijamente disputada, o primeiro lugar dos pódios masculino e feminino coloriram-se de igual modo, com as cores vermelho, azul e branco da Rússia. Com uma exibição superiormente controlada do início ao fim da prova, Anton Foliforov colocou no terreno todas as suas mais-valias técnicas e físicas, adiantando-se à concorrência e vencendo com o tempo de 47:31, menos 1:07 que o checo Krystof Bogar, segundo classificado. Com este resultado - e ainda que por escassa margem -, Foliforov assume a liderança da Taça do Mundo, revelando-se crucial a prova de amanhã para apurar o grande vencedor da edição de 2013.

“Tive boas sensações ao longo de toda a prova, senti-me muito bem e, apesar dum pequeno erro que me custou cerca de um minuto, estou muito contente com esta vitória”, começou por afirmar Foliforov. Uma vitória que traz ao atleta russo as boas recordações dum passado ainda não muito distante: “Tenho alcançado em Portugal muito bons resultados. Gosto do País, dos mapas, deste tempo fantástico (risos). Há três anos corri aqui os meus melhores Campeonatos do Mundo, consegui a minha primeira medalha de ouro e, agora, de novo o mesmo ouro. Para mim, Portugal é uma espécie de talismã.”


Com o Europeu de 2015 no horizonte

No setor feminino a vitória coube a Olga Vinogradova com o tempo de 41:54, apenas 20 segundos à frente da atual líder da Taça do Mundo, a sueca Cecilia Thomasson. Um triunfo com um sabor especial, já que se tratou da primeira vez que a jovem russa se superiorizou às demais concorrentes numa grande competição internacional de Elite.

Tal como Anton Foliforov, também Olga Vinogradova começa por fazer apelo às suas memórias de 2010 e dos Mundiais de Montalegre para se referir à vitória de hoje: “Há três anos atrás, consegui levar de vencida alguns títulos do Campeonato do Mundo [na ocasião na categoria Junior] e hoje senti a mesma alegria com esta minha primeira vitória no seio da Elite.” Falando da sua prova, a atleta considera que, apesar dos problemas mecânicos que a afligiram ao longo do percurso e de alguns pequenos erros que lhe terão custado cerca de dois minutos, “fiz tudo o que estava ao meu alcance para ganhar. Gosto da BTT, mas gosto sobretudo da Orientação e hoje senti-me muito feliz neste percurso, nestes terrenos, com este ‘Verão’ incrível e esta atmosfera dos grandes momentos. Foi muito emocionante.” A finalizar, um desejo: “Quero voltar a Portugal em 2015, para os Campeonatos da Europa, e voltar a ganhar, tal como aconteceu em 2010 e hoje. É este o meu sonho.”


Ouro histórico para Portugal


Foi sob os melhores auspícios que Portugal fez a sua estreia no Campeonato do Mundo de Veteranos de Orientação em BTT 2013. Na prova de abertura da competição, uma Distância Média disputada no mapa de Grândola, Carlos Simões foi o grande vencedor no escalão H40, ao concluir o seu percurso em 49:34. Uma vitória conseguida ante adversários de nomeada, casos do russo Maxim Zhurkin e do húngaro Daniel Marosffy, respetivamente segundo e terceiro classificados, selando desde logo aquele que constituía o grande objetivo do atleta português para estes Campeonatos.

“Muito satisfeito com a minha prestação”, começou por referir Carlos Simões, ao encontro daquilo que eram os seus propósitos: “Conseguir chegar ao título era realmente um dos meus grandes objetivos e foi logo à primeira. Isto alivia em parte a pressão para as provas que se seguem e deixa-me confiante para alcançar ainda mais alguma coisa”. Ter sido o primeiro português a chegar ao título mundial é visto por Simões como “um orgulho”, acrescentando que “a Orientação nacional, por aquilo que tem feito, está também de parabéns.” Carlos Simões admite que “não foi fácil ganhar hoje”, referindo que o segredo da vitória residiu “numa boa parte final e conseguir manter-me sempre focado na prova, apesar de alguns erros cometidos.”

No setor feminino, Susana Pontes falhou o pódio no escalão D40 por pouco mais de dois minutos enquanto Francisco Moura, em M50, foi o 5º classificado, a escassos 52 segundos da medalha de bronze. Os títulos mundiais de veteranos, na Distância Média, acabaram por sorrir a Michel Denaix (M50), Heikki Saarinen (M60), Ronny Hedlund (M70), Nina Hoffman (W40), Carolyn Jackson (W50) e Monika Bonafini (W60).

Informações detalhadas em http://www.wmmtboc2013.fpo.pt/index.php/pt/


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido


Este artigo tem o patrocínio de Orievents e EDP renováveis


Sem comentários: