sexta-feira, 18 de outubro de 2013

DUAS OU TRÊS COISAS QUE EU SEI DELA...




1. Dos mais variados quadrantes, continuam a fazer-se ouvir os ecos dos recentes Campeonatos do Mundo de Veteranos / Taça do Mundo de Orientação em BTT, disputados no passado fim de semana em Grândola, Santiago do Cacém e Sines. Aos testemunhos pessoais e às muitas e muitas fotografias que ilustram momentos de incontida alegria e que inundam o espaço da rede, juntam-se os elogios de todos quantos tiveram o privilégio de marcar presença no evento e, paralelamente, de melhor conhecer “a poção mais bem conservada do litoral europeu”, cativante de beleza e pureza. Das muitas mensagens e notícias publicadas - o "clipping" do Orievents é bem a demonstração cabal do alcance e impacto do evento em termos de comunicação e imagem -, retemos as palavras do Presidente da Comissão de Orientação em BTT da Federação Internacional de Orientação, um homem que viveu por dentro e de forma intensa as emoções da competição. Na nota deixada no grupo "MTBO", no Facebook, o húngaro Sandor Talas deixa um “obrigadíssimo” (sic) aos organizadores portugueses “pelo seu esforço ao longo desta última semana”. Referindo-se aos “muitos comentários positivos” dos atletas que foi auscultando, Sandor Talas mostra-se seguro em relação à qualidade organizativa dos Europeus de 2015 e dos Mundiais de 2016, eventos que terão igualmente por palco o nosso País. A terminar, uma certeza: “Estamos ansiosos por voltar a Portugal uma e outra vez!”


2. Ainda do passado fim de semana vem esse notável exemplo de "fair play" protagonizado pela atleta espanhola Eva Para, do Monte del Pardo Club, relegando a competição para segundo plano no momento de prestar auxílio à finlandesa Eeva-Liisa Hakala. Desse acontecimento dá nota a própria organização, na sua página oficial, enaltecendo “o gesto de ter colocado em primeiro lugar o apoio a outra atleta em detrimento dos resultados que buscava obter nesta prova, tendo sido incansável na procura de suporte à atleta” e acrescentando-lhe um elogio público ao qual o Orientovar faz questão de se associar.


3. Em maré de feitos da maior relevância, uma última nota para Carlos Simões. Nascido em Santiago do Cacém há 41 anos, o atleta português soube colocar no terreno todas as suas enormes mais-valias físicas e técnicas, oferecendo à Orientação em BTT portuguesa, duma assentada, três medalhas de ouro, as primeiras da sua história. No momento da consagração, calou bem fundo a referência aos companheiros de seleção e a todos os valores da Orientação portuguesa, a quem deixou palavras de apreço e de motivação, palavras de esperança num futuro melhor. A par dos resultados desportivos de excelência, o Orientovar não pode deixar de relevar a nobreza da atitude de Carlos Simões a quem, com a devida vénia, outorga o Louvor da Semana.


Saudações orientistas.

Joaquim Margarido

Sem comentários: