sábado, 29 de junho de 2013

JWOC 2013: PORTUGUESES PRONTOS PARA A AÇÃO



Hradec Kralóvé fervilha de excitação. De amanhã e até ao próximo dia 7 de Julho, é naquela cidade da República Checa que terão lugar os Campeonatos do Mundo de Juniores de Orientação Pedestre JWOC 2013. Um evento sobre o qual abrimos a partir de hoje uma janela, contando para isso com a prestimosa colaboração dos nossos atletas Rafael Miguel, Rita Rodrigues e Vera Alvarez.


Pela segunda vez em 24 edições, os Campeonatos do Mundo de Juniores de Orientação Pedestre viajam até à República Checa. Treze anos depois de Nove Mesto na Morave (onde a finlandesa Minna Kauppi subiu pela primeira vez ao pódio duma grande competição internacional, graças às medalhas de bronze conquistadas na Distância Média e na Estafeta) Hradec Králové recebe, ao longo dos próximos dias, um conjunto de 335 atletas em representação de 39 países. Entre os muitos nomes que integram a lista de participantes, destaque para Frida Sandberg (Suécia), Florian Schneider (Suiça), Ivan Kuchmenko e Andrey Kozyrev (Rússia) e Ita Klingenberg, Jakob Ekhard Edsen e Thor Nørskov (Dinamarca), todos eles medalhados na anterior edição do JWOC, que teve lugar em Kosice (Eslováquia).

Do programa fazem parte, para além das Cerimónias de Abertura (30 de Junho) e de Encerramento (06 de Julho), finais nas distâncias “clássicas” de Sprint (05 de Julho), Distância Média (03 de Julho, precedida das séries qualificatórias no dia anterior), Distância Longa (01 de Julho) e Estafeta (06 de Julho).


Acompanhem o JWOC!”

Em Hradec Kralové estão, desde a passada segunda-feira, Vera Alvarez e Rafael Miguel, acompanhados de um dos elementos da equipa técnica nacional (seleções jovens), Norman Jones. Por questões relacionadas com a sua vida académica, Rita Rodrigues permaneceu por cá e só hoje seguirá para a República Checa. Rita Rodrigues que, antes da partida, confessou ao Orientovar sentir já “um nervoso miudinho”. A atleta não esconde as suas ambições: “Desde o inicio da época que ando a treinar principalmente para a Distância Média e Sprint (final A na Média e no Sprint tentar ficar nas 20 primeiras!).” Rita Rodrigues considera que “o JWOC será uma competição com sentido especial, em termos de ganhar experiência e também competir com as melhores” e, apesar de não estar a fazer os treinos de adaptação juntamente com a Vera e o Rafael, espera conseguir “bons resultados, em termos físicos sinto-me bem e só quero que o dia chegue!” A terminar, um voto: “Boas férias e acompanhem o JWOC!”


Não apostar de todo na Distância Longa”

Já Vera Alvarez tem vivido intensamente esta semana de adaptação passada na República Checa, apesar de “muito atarefada com os estudos, mesmo aqui tão longe”.
Para atleta, o JWOC é uma competição encarada “sempre com bastante importância, principalmente agora pelo facto de já não ter idade para poder participar no EYOC e esta ser a única competição internacional em que participarei nesta época.” Falando da preparação para a competição e do seu atual momento, Vera Alvarez adianta: “Este foi um ano bastante complicado, apesar dos meus resultados em Portugal terem vindo a revelar o contrário. Os treinos não correram sempre da forma pretendida, portanto nunca soube bem se este ano chegaria ao nível que queria de início. A juntar a isso, há cerca de 20 dias voltei a ter uma tendinite em ambos os tendões de Aquiles, o que me fez parar de correr por duas semanas. Tenho feito os últimos treinos com bastantes precauções. Neste momento não tenho exata noção do meu nível físico, mas estou certa que todo o trabalho ao longo do ano não foi para o lixo em apenas duas semanas.”

Referindo-se a Hradec Králové, Vera Alvarez diz que “é uma cidade bonita que nos recebeu com boas condições para prepararmos a prova. O tempo tem estado bastante frio e chuvoso mas, pelo menos hoje a chuva ainda não apareceu… 
Posso dizer que os terrenos são o que esperava. Realizámos até ao momento um treino para a Longa e dois para a Média. O terreno da Longa é bastante mais simples do que o da Média, onde o desnível acentuado e os verdes são predominantes. Na Média, além das características referidas para a Longa, há também bastantes pedras e falésias, o que complica muito as coisas. No meu primeiro treino para a Média senti algumas dificuldades, no entanto já consegui depois disso fazer um treino mais consistente e motivador para a prova.” A terminar, uma abordagem aos seus objetivos: “Estou mais focada no Sprint e na Média, por isso, como a Distância Longa é a primeira prova e eu não quero comprometer o estado dos tendões para os meus principais objetivos, tomei a decisão de não apostar de todo na Distância Longa. Assim sendo, vou concentrar-me em ir à final da Média e em melhorar o meu resultado do Sprint do ano passado (36º).”


Tenho como principal foco a Distância Média e o Sprint”

Finalmente, escutamos as primeiras impressões de Rafael Miguel, nesta que constitui a sua estreia na grande competição: “Depois de um ano difícil em 2012, onde não consegui ser apurado para o Campeonato do Mundo, o início da época 2013 foi muito bom até Março. Depois tive uma lesão que durou mais de um mês. Isto pode querer dizer que não estarei ao nível físico que gostaria, mas tenho os meus objectivos... Infelizmente não tenho treinado muita orientação na floresta, mas tenho trabalhado a minha técnica de Sprint e de leitura de mapa durante a corrida.”

Falando dos seus objetivos, o atleta confessa: “Tenho como principal foco a Distância Média e o Sprint. Estou à espera de uma prova de Distância Média muito técnica e dura, com muitas pedras e verdes que tornam a progressão/visibilidade mais lenta, onde não perder tempo vai ser um grande desafio. Na prova de Sprint estou à espera que a escolha de opção seja o factor fundamental, mas teremos de ter em atenção as 'armadilhas' do traçador de percursos, que deverá usar as diferentes entradas na zona histórica para 'pregar umas rasteiras' aos atletas!” Quanto à Distância Longa, Rafael Miguel admite “não ter expectativas”, até porque “não estou com capacidade física para fazer uma boa prova, nem sei se a irei acabar uma vez que a qualificatória da Média é no dia seguinte. De qualquer forma, na Distância Média tenho como objectivo alcançar a final A e no Sprint uma posição nos sessenta primeiros já seria bom.”


Acompanhe o JWOC 2013 em http://www.jwoc2013.cz/ ou aqui, no seu Orientovar.

[Foto: Vera Alvarez]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: