terça-feira, 19 de março de 2013

OS VERDES ANOS: GONÇALO PIRROLAS



Olá,

Sou o Gonçalo Pirrolas, tenho 16 anos e vivo em Setúbal. Estou no 10º ano de Artes Visuais, na Escola Secundária do Bocage.

Sempre tive um grande gosto pelo desporto, chegando a frequentar Ginástica no 1º ciclo, Atletismo mas por pouco tempo e Natação que ainda pratico mas como forma de treino.

Já lá vão sete anos desde que comecei a praticar este magnífico desporto conhecido por poucos. Comecei por incentivo da minha irmã (Olga Pirrolas) que me levou a experimentar a modalidade numa prova organizada pela Escola Secundária do Pinhal Novo e pelas Lebres do Sado, na Herdade da Gâmbia. Disseram que tinha” geito para a coisa” e, graças a isso, comecei a ir às provas, mas ainda sem muito interesse.

Correr sozinho pelo mato, à procura de uns “triângulos com furadores”, marcados num “papel pintado à balda” nas mãos ,não era coisa que me agradasse muito, mas ao longo do tempo, com a ida regular às provas e ao conhecer pessoas novas, passar dias fora de casa, fez com que esse pensamento fosse mudando.

Pouco tempo depois acabei por me federar, entrando nas Lebres do Sado, clube esse que tinha dos melhores atletas jovens daquela altura, o que me incentivava bastante a ir às provas para que “um dia pudesse ser como eles”!

Passados alguns meses de muitas provas, fui “lançado” para o mapa sozinho. Foi no Parque Urbano da Bela Vista, em Lisboa, em 2008 se não estou em erro. Fiquei um bocado aterrorizado, confesso, por muito fácil que fosse o percurso. Juntou-se a ansiedade, o nervosismo, enfim... um pouco de tudo, mas nada que fosse impossível de acabar.

Já passei por alguns clubes devido às mais diversas circustâncias como o Gafanhori e Ori-Estarreja, onde aprendi bastante sobre a Orientação e onde me foram motivando para treinar e levar este desporto cada vez mais a sério. Atualmente estou na ADFA, onde pretendo ficar por muitos mais anos e onde tenho evoluído quer fisicamente, quer tecnicamente, e onde trabalho para evoluir mais.

Agora com alguns titulos nacionais já alcançados, competir nos mais diversos tipos de mapas, e alguma técnica ganha ao longo dos anos, sinto que com muito trabalho posso ir mais longe, e alcançar um objetivo que sempre quis: entrar para a seleção nacional e poder representar Portugal em EYOC’s e JWOC’s.

Porquê a Orientação? É um desporto diferente, digamos, onde só o fisico não vale de nada se o psicológico também não interagir. Obriga-nos a pensar bastante. Também foi na Orientação que descobri grandes amizades e tive a sorte de me encontrar numa faixa etária onde fazemos uma competição saudável.

Para terminar, quero agradecer a todos aqueles que me apoiaram e que me apoiam, e principalmente à Olga Pirrolas, ao Elder Guerreiro e aos Prof. Daniel Pó e Ricardo Chumbinho, pois foram eles que me ajudaram e que me incentivaram a entrar nesta aventura.

Até uma próxima e vemo-nos por aí!

Gonçalo Pirrolas
FED 3954
Associação de Deficientes das Forças Armadas

Sem comentários: