domingo, 31 de março de 2013

CAMPEONATO DE ESPANHA DE ORIENTAÇÃO PEDESTRE CEO 2013: ÚLTIMO DIA CONSAGRA ANTONIO MARTINEZ E ANNA SERRALONGA COMO AS ESTRELAS DOS CAMPEONATOS



Terminaram da melhor forma os Campeonatos de Espanha de Orientação Pedestre CEO 2013. Na prova de Distância Média que encerrou o programa, Antonio Martinez voltou a superiorizar-se aos seus adversários, enquanto no setor feminino a grande vencedora foi, uma vez mais, Anna Serralonga.


Em dia de Páscoa, a prova de Distância Média que colocou um ponto final nos Campeonatos de Espanha de Orientação Pedestre CEO 2013 constituiu mais uma grande jornada de Orientação. Apesar de ser dia de Páscoa, foram muito poucos aqueles que abandonaram prematuramente Navalcán, pelo que os números de participação se mantiveram nos quatro dígitos. No setor masculino, António Martinez (COLIVENC) repetiu o exito de 2012, em Plasencia, fechando da melhor forma os Campeonatos. Ouro no Sprint, na Estafeta e agora na Média, depois de ter aberto com Prata na Distância Longa, lançam o atleta para o galarim dos Nacionais de Espanha 2013 como a sua mais cotada figura. Martinez completou a sua prova com o tempo de 37:26, deixando atrás de si os seus colegas de equipa Andreu Blanes e Roger Casal, com mais 1:45 e 2:05, respetivamente. Com 40:11, Diogo Miguel (Ori-Estarreja) foi hoje o melhor português, concluindo com o quinto melhor tempo (extra-competição).

Quanto à categoria Damas Elite, Anna Serralonga (Girona CO-XTREM) voltou a ser protagonista maior, juntando ao segundo lugar na prova de Sprint e às vitórias na Distância Longa e na Estafeta, um novo triunfo na Distância Média deste derradeiro dia. Mas um triunfo partilhado, diga-se, já que a atleta registou o tempo de 36:53, precisamente o mesmo de Violeta Feliciano, que assim subiu de novo ao lugar mais alto do pódio, depois de ontem se ter sagrada campeã de Espanha de Sprint. Após três subidas ao lugar mais baixo do pódio nas provas anteriores, Alicia Cobo voltou a estar igual a si própria, terminando a prova no terceiro posto a 1:32 das vencedoras. Com 38:43, Raquel Costa (GafanhOri) foi a nossa melhor representante, conseguindo o sétimo melhor tempo entre as 37 atletas presentes nesta categoria. Coletivamente, o triunfo sorriu à Comunidade Valenciana, seguida por esta ordem pela Catalunha, Andalucía, Madrid e Castilla y León.


Algumas impressões

Campeão de Espanha de Distância Longa e de Estafetas, Vice-Campeão de Distância Média e de Sprint e, tal como Antonio Martinez, figura maior destes Campeonatos, Andreu Blanes deixou ao Orientovar as suas impressões finais: “A prova de Sprint de ontem foi incrível, era uma prova rápida e corri muito bem. Pensei que tinha feito uma prova limpa, mas afinal cometi alguns erros ligeiros e Antonio [Martinez] acabou por tirar proveito disso e ganhou. Não era permitido falhar e o nível da prova foi elevadíssimo, até porque o Roger [Casal] esteve igualmente muito bem.” Quanto à prova de Estafeta, Andreu Blanes recorda que “foi o quebrar de cinco edições seguidas em segundo lugar” e no tocante à Distância Média de hoje confessa: “Comecei muito bem, mas havia zonas com muitas rochas (muitas muitas!!!) e não consegui perceber bem o mapa. Perdi muito tempo, enervei-me e acabei por fazer uma má prova, ao passo que Antonio fez uma boa prova e venceu comodamente com quase dois minutos de diferença.” Num balanço final dos Campeonatos, refere terem sido “uns belos Campeonatos, apesar da muita chuva, com terrenos muito rápidos mas difíceis, com muitas rochas. Mas desfrutei muito, correndo!”

Também Anna Serralonga nos deixou as suas últimas impressões: Sinto-me verdadeiramente satisfeita. Não estava à espera de tanto e não esperava, sobretudo, melhorar os meus resultados do ano passado.” Falando da última prova, Anna  confessa ter cometido muitos erros”. E explica: “Era um terreno com muito detalhe rochoso e onde era necessário proceder a uma leitura simplificada no mapa, no qual apenas as pedras maiores se encontravam representadas. Em certos sítios a única coisa que conseguia ver era um mar de pedras... Mas nunca baixei os braços. Nos últimos pontos procurei dar o tudo por tudo e consegui recuperar os segundos necessários para que conseguisse vencer, empatada com Violeta [Feliciano]. As últimas palavras vão para a sua adversária: “Foi especial empatar com a Violeta, no primeiro ano de sénior dela (!).  Foi bonito.


Ontem foi o nosso dia

Finalmente, um par de ideias mais circunstanciadas de Antonio Martinez: A prova de Estafeta foi emocionante e era aquela que mais queríamos ganhar, sobretudo Andreu [Blanes] e eu, pois desde que corremos na Elite conquistámos cinco vezes consecutivas a prata... Mas ontem foi o nosso dia e mesmo não fazendo provas deslumbrantes foi o suficiente para alcançarmos a vitória. Acredito muito nesta equipa e, inclusivamente, penso que poderemos lutar por um dos lugares de topo nos Campeonatos do Mundo se estivermos ao nosso melhor nível.” Ainda no tocante ao dia de ontem e à prova de Sprint, que Martinez ganhou de forma brilhante, eis o seu comentário: “A prova decorreu em floresta e correu-me de forma genial. Tive um pequeno erro de cinco segundos no primeiro ponto e depois de dez segundos no terceiro ponto mas, a partir daí, corri de forma precisa e pude fazer uma prova quase perfeita, com uma velocidade muito grande e uma leitura adequada do detalhe rochoso, numa prova apertadíssima, com o Andreu a ficar apenas a nove segundos e o Roger [Casal] a dezanove segundos.” 

A terminar, um comentário à prova de Distância Média e a uma nova vitória: “A última prova foi muito técnica, com muitas zonas rochosas e nas quais era fácil perder tempo se não se atacasse o ponto de forma precisa. Parti em ritmo 'conservador', procurando garantir os primeiros pontos de forma segura e que me permitisse uma boa adaptação à cartografia e só a partir do ponto 7 procurei aumentar um pouco mais o ritmo. Hoje foi mais uma prova em que todos cometeram pequenos erros, mas que se acumulam e acabam por se ver refletidos na classificação final. A chave da minha vitória residiu em garantir todos os pontos de forma segura e em momento algum perder o contacto com o mapa. Fisicamente não dei o máximo, antes adequei a velocidade a uma leitura cómoda do mapa.”



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: