segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

2012 EM REVISTA: AS 25 MAIS VISTAS!



Neste último dia do ano, lançamos um olhar sobre as 429 mensagens publicadas no espaço do Orientovar ao longo de 2012. Um olhar ao encontro de atletas, organizações e eventos inscritos sobre os mais diversos formatos naquelas que foram as 25 mais vistas. Recordemo-las pois!


1. THIERRY GUEORGIOU: "IT'S WITH CONFIDENCE THAT I FACE THE FUTURE"
He came, he saw, he conquered. Thierry Gueorgiou is once again among us and spoke to Orientovar. About the successful last season and the most beautiful medal ever, but also about the start of this new season and the way that it's being prepared. And about Portugal, of course, a country where he always returns with great pleasure. [ver mais...]

2. DIA NACIONAL DA ORIENTAÇÃO EM BRAGA
O Dia Nacional da Orientação celebra-se em Braga na tarde de domingo. A iniciativa tem a assinatura do .COM – Clube de Orientação do Minho e é aberta a todos, com ou sem conhecimentos da modalidade. [ver mais...]

3. I TAÇA COMOF 2012: PORTUGAL NA MÁXIMA FORÇA!
A Federação Portuguesa de Orientação divulgou a lista de atletas que representarão Portugal na I Taça da Confederação das Federações de Orientação Mediterrânicas COMOF 2012, que terá lugar na zona de Alicante, em 11 e 12 de Fevereiro próximos. [ver mais...]

4. JOAQUIM SOUSA: "NÃO QUERO QUE ME TIREM A MIM PARA DAR AOS OUTROS"
E público e notório ser Joaquim Sousa uma das maiores referências de sempre da Orientação nacional. Como notório e público é o facto de ser pessoa de não deixar para amanhã o que pode ser dito hoje. Falador, extrovertido, contundente, polémico, irreverente, o homem e o atleta diz de sua justiça ao Orientovar, numa grande entrevista que há muito se impunha. [ver mais...]

5. NASCEU O ORIEVENTS!
Nasceu o Orievents. Votado à organização, comunicação e apoio de eventos de Orientação, o projecto tem a assinatura de Fernando Costa e consubstancia-se na rica e vastíssima experiência daquele que foi, nos últimos doze anos, o timoneiro dessa grande nau chamada Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos. Apresentado ontem em Conferência de Imprensa, o Orievents assume a sua quota de pioneirismo num mercado difícil e revela uma faceta feita de vontade, arrojo e ambição. [ver mais...]

6. CAMPEONATOS DO MUNDO DE ORIENTAÇÃO DE DESPORTO ESCOLAR ISF 2013: DIVULGADOS CRITÉRIOS DE APURAMENTO E SELEÇÃO
O Gabinete Coordenador do Desporto Escolar distribuiu pelas Escolas de todo o País, na passada sexta-feira, o documento que define o processo de qualificação para os Campeonatos do Mundo de Orientação de Desporto Escolar ISF 2013. Um documento ao qual o Orientovar teve acesso e que passamos a esmiuçar. [ver mais...]

7. PORTUGAL O' MEETING 2012: THIERRY GUEORGIOU E SIMONE NIGGLI VENCEM E CONVENCEM
Grande ambiente no encerramento do Portugal O’ Meeting 2012. Dois milhares de participantes fizeram a festa em torno do Santuário do Senhor dos Caminhos, em Sátão, aplaudindo Thierry Gueorgiou e Simone Niggli como os grandes vencedores do evento. [ver mais...]

8. BIEL RÀFOLS: "CADA BALIZA QUE ENCONTRAMOS É ÚNICA"
Biel Ràfols vem duma família de orientistas e as suas performances fazem dele uma das grandes esperanças da Orientação espanhola. O 43º lugar alcançado na Final de Distância Média do Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre WOC 2011 eleva-o a um patamar de alto nível, confirmado pelo 112º lugar que ocupa no “ranking” mundial. Biel Ràfols é também um apaixonado por Portugal, país onde regressa vezes sem conta e onde se sente “como em casa”. É com ele que o Orientovar conversa hoje na Grande Entrevista. [ver mais...]

9. PLANO NACIONAL DE ÉTICA NO DESPORTO
Conjunto de iniciativas que visam promover os valores inerentes à prática desportiva e que se traduzem naquilo que de mais nobre o espírito desportivo encerra, assim se define o PNED – Plano Nacional de Ética no Desporto. Vamos conhecê-lo melhor. [ver mais...]

10. NAOM 2012: TÍTULOS NACIONAIS DE SPRINT PARA TIAGO LEAL E MARIANA MOREIRA
A comemorar os 500 anos do seu segundo Foral, a mui nobre e sempre leal vila de Marvão abriu as portas à Orientação e à sexta edição do Norte Alentejano O' Meeting. Um fim de semana recheado de emoções e ao longo do qual se ficaram a conhecer os novos campeões nacionais de Sprint e de Distância Média. [ver mais...]

11. LETICIA SALTORI: "SOU CAMPEÃ TODOS OS MEUS DIAS"
Do quase anonimato, Leticia Saltori saltou de súbito para a ribalta da Orientação brasileira ao sagrar-se vice-campeã sul-americana de Orientação 2011, apenas batida pela sueca Lena Eliasson. O "Espaço Brasil" não poderia abrir da melhor forma o ano de 2012, dando a conhecer a atleta e a pessoa. [ver mais...]

12. CAMPEONATOS NACIONAIS DE ORIENTAÇÃO DE DESPORTO ESCOLAR: TRIUNFOS BEM REPARTIDOS
Decorreu em Lisboa, no passado fim de semana, o Campeonato Nacional de Orientação de Desporto Escolar 2011/2012. Fique agora a conhecer as incidências desta empolgante jornada dupla, num texto do Professor Ricardo Chumbinho. [ver mais...]

13. CAMPEONATO NACIONAL DE ESTAFETAS 2012: ADFA E CPOC SÃO OS NOVOS CAMPEÕES
A ADFA em Seniores Masculinos e o CPOC em Seniores Femininos conquistaram hoje o título nacional de Estafetas 2012. Integrada nos “4 Dias do Minho”, a “festa” da Orientação regressou aos palcos da véspera e aos belos espaços do Monte de Santa Isabel, transformando-se numa jornada plena de competição sadia e emoções fortes. [ver mais...]

14. XX CAMPEONATO IBÉRICO DE ORIENTAÇÃO PEDESTRE: TÍTULOS PARA PEDRO NOGUEIRA E SUSANA ALVES
Dezasseis títulos individuais para Portugal contra três dos espanhóis e uma expressiva vitória coletiva para as nossas cores. Eis o resultado dos dois dias de provas que, este fim de semana, encerraram a 20ª edição do Campeonato Ibérico de Orientação Pedestre. Individualmente, Pedro Nogueira e Susana Alves foram os grandes vencedores na categoria Elite. [ver mais...]

15. RICARDO PINTO: "SEM EXPERIÊNCIA NÃO HÁ MILAGRES"
O comboio rodava velozmente a caminho de Londres. Naquela manhã cinzenta, chuvosa e fria, deixávamos para trás Dundee, os Campeonatos do Mundo de Orientação de Precisão WTOC 2012 e seis dias riquíssimos em contactos e experiências. Ricardo Pinto foi o meu companheiro nesta aventura inesquecível e um balanço dos Campeonatos impunha-se. Conversamos demoradamente, relembramos como tudo começou, as expectativas criadas com a participação nos Mundiais, as muitas alegrias e algumas desilusões ao longo do evento e olhamos para um futuro que se abre, auspicioso, ante os nossos olhos. Eis o resultado dessa conversa. [ver mais...]

16. PORTUGAL O' MEETING 2012: THIERRY GUEORGIOU E LINA STRAND VENCEM PROVA RAINHA
Num dia de autêntica Primavera, o Srº dos Caminhos em Sátão estendeu a sua bênção ao Portugal O’ Meeting. Terrenos fantásticos, muita emoção e um leque de competidores do mais elevado nível, fizeram desta prova um verdadeiro acontecimento. Thierry Gueorgiou e Lina Strand quedaram-se com os louros da vitória. [ver mais...]

17. DIA NACIONAL DA ORIENTAÇÃO: O' PORTO TURÍSTICO PARA ORIENTISTA VER
Turismo e Orientação de mãos dadas, ao encontro das belezas e encantos dum Porto sentido. Foi assim na manhã de hoje com o O’Porto Turístico, a fórmula encontrada pelo Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos para encerrar o 8º Troféu de Orientação do Porto e assinalar o Dia Nacional da Orientação. [ver mais...]

18. V ORI-BTT "ROTA DA BAIRRADA": DAVIDE MACHADO E HANA BAJTOSOVÁ VENCEM NO PRIMEIRO DIA
Numa tarde de sol e muito calor, a Orientação em BTT regressou à Bairrada e aos seus vinhedos, para uma exigente prova de Distância Longa. Em causa o V Ori-BTT “Rota da Bairrada” / VIII Campeonato Ibérico de Orientação em BTT, cuja ronda inaugural ficou pontuada pelas retumbantes vitórias de Davide Machado e Hana Bajtosová. [ver mais...]

19. CAROLINA DELGADO: "SOZINHOS NÃO VAMOS A LADO NENHUM"
Depois do título nacional de Sprint (Iniciados) em 2008/2009 e do 2º lugar no ranking da Taça de Portugal 2009/2010, no escalão D15, Ana Carolina Delgado repetiu a segunda posição no ranking da Taça de Portugal em 2011, desta feita no escalão D17. Isso e as presenças com a camisola das quinas em Itália, na República Checa e na Polónia, constituem o cerne duma conversa simples na forma, mas plena de conteúdo. [ver mais...]

20. ORIENTAÇÃO FAZ MEXER PALMELA
Teve lugar em Palmela, no passado sábado, a quarta prova local do Desporto Escolar da Península de Setúbal. A prova contou com o forte envolvimento do município local, teve na Orientação em BTT uma novidade que se saúda fortemente e é-nos aqui trazida pelo Professor Ricardo Chumbinho, um dos grandes dinamizadores da actividade. [ver mais...]

21. RAID PORTAS DE RÓDÃO: CLUBE MILLENNIUM BCP 2 CONQUISTA TÍTULO NACIONAL
O concelho de Vila Velha de Rodão foi palco da quinta edição do Campeonato Nacional de Corridas de Aventura / Raid Portas de Ródão. O desenho técnico do evento proporcionou intensos desafios e uma emocionante luta que se prolongou até à derradeira etapa, com as alternâncias na liderança a sucederem-se etapa a etapa. No final, o Clube Millennium BCP 2 quedou-se com os louros da vitória. [ver mais...]

22. MARIANA MOREIRA: "HÁ CADA VEZ MAIS JOVENS MOTIVADOS E A TREINAR BEM"
O ano de estreia de Mariana Moreira na Elite nacional feminina, apesar de muito marcado pelas lesões, trouxe com ele a primeira vitória numa prova de Nível 1 da Taça de Portugal, bem como um terceiro lugar final no 'ranking' respectivo. Além disso, Mariana Moreira acaba também de se lançar no espaço da blogosfera com uma página particularmente apelativa e que promete. É por aqui que começa a nossa conversa. [ver mais...]

23. V ORI-BTT ROTA DA BAIRRADA: TRIUNFOS DE DAVIDE MACHADO E KAROLINA MICKEVICIUTE
Num fim de semana marcado pelo tempo quente fora de tempo, a Orientação em BTT assentou arraiais na Bairrada. Espraiando-se pelas suas zonas florestadas, subindo e descendo as suas suaves encostas, foram mais de 250 os atletas que deram ao pedal em busca do melhor resultado. No final, Davide Machado e Karolina Mickeviciute foram os vencedores. [ver mais...]

24. II CIRCUITO DE ORIENTAÇÃO DE PRECISÃO "TODOS DIFERENTES, TODOS IGUAIS": ANA PAULA MARQUES ESTREIA-SE A VENCER
Ana Paula Marques fez o “pleno” e levou de vencida a 3ª etapa do II Circuito de Orientação de Precisão “Todos Diferentes, Todos Iguais”. Foi em Matosinhos, em mais uma grande festa do Desporto Adaptado. [ver mais...]

25. RUI ANTUNES: "FAZER UM MAPA É COMO PINTAR UM QUADRO SOBRE UMA TELA"
Rui Manuel Vieira Antunes é um dos mais conceituados cartógrafos portugueses da atualidade. O seu primeiro mapa, inteiramente desenhado à mão, surgiu em 1982 e foi utilizado nos Campeonatos da Força Aérea desse ano. Desde então desenhou um total de 125 mapas, verdadeiros “estádios” onde se desenrolaram Campeonatos Nacionais, Campeonatos Ibéricos, provas pontuáveis para o ranking mundial e mesmo Campeonatos do Mundo. Mais recentemente, o seu mapa e traçado de percursos do Portugal O' Meeting 2010, em Quiaios, recebeu uma distinção da comunidade internacional que o classificou na quarta posição entre os melhores do Mundo. Foi com esta figura incomparável que o Orientovar teve o privilégio de falar, aqui se reproduzindo o conteúdo duma conversa apaixonada e apaixonante. [ver mais...]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

domingo, 30 de dezembro de 2012

LEITURA AO PEQUENO-ALMOÇO: ORIENTEERING WORLD - EDIÇÃO 2012




À semelhança do que acontece todos os anos por esta altura, a Federação Internacional de Orientação acaba de lançar mais uma edição da sua revista oficial “Orienteering World”. Ainda que apenas de relance, propomos-lhe um olhar sobre o mais recente número desta publicação.


Acaba de ser publicada a edição 2012 da “Orienteering World”, a revista oficial da Federação Internacional de Orientação. Orgão de caráter generalista, definido pela sua editora-chefe Anna Jacobson como “voltado para fora”, este é um meio de divulgação por excelência da nossa modalidade junto dos muitos organismos que tutelam o desporto no mundo, dos Comités às Federações congéneres e, naturalmente, a todos os interessados.

Ao longo de 52 páginas, a “Orienteering World” 2012 debruça-se sobre os grandes acontecimentos que marcaram a temporada que agora finda, balanceando de forma equilibrada as notícias, as reportagens e as entrevistas. É nesta linha que encontramos um artigo de fundo dedicado à Orientação Pedestre, assinado por Erik Borg e intitulado “Uma grande medalha para um pequeno país” e no qual o letão Edgars Bertuks é o centro das atenções. Assinado por Joaquim Margarido e intitulado “Uma boa colheita!”, outro importante artigo é aquele que traça um retrato da temporada de Orientação em BTT, complementado com uma Entrevista ao campeão do mundo de Sprint em título, o austríaco Tobias Breitschädel. “Sucesso sueco na Orientação de Precisão” é assinado por Clive Allen e lança um olhar sobre os Europeus da Suécia e os Mundiais da Escócia, sem esquecer o TempO e uma entrevista com a grande estrela do momento, a sueca Marit Wiksell.


Mundiais ISF Algarve 2013 em destaque

Mas os mais jovens são o grande tema da Revista, colhendo o grosso das atenções ao longo das suas 19 páginas iniciais. É sobre eles que Brian Porteous, o Presidente da Federação Internacional de Orientação, faz incidir o seu artigo de abertura, lembrando que “a próxima geração deve ser uma prioridade de todos” e remetendo para a Assembleia Geral de Lausanne, em Julho passado, na qual foi apovado por unanimidade o documento de desenvolvimento estratégico para os próximos seis anos e no qual “a juventude é identificada como uma das maiores prioridades”.

Nos vários artigos que se debruçam sobre o assunto, podemos ver um apanhado de impressões de jovens orientistas do mundo inteiro e onde, entre outros, encontramos o “nosso” António Ferreira (COC) a afirmar que “quando corro, o mapa torna-se uma parte de mim”. A Internet e o “Catching Features”, atividades de treino para os mais jovens na Suécia e na Noruega e Orientação nas Escolas do mundo inteiro são matérias tratadas de forma integrada por Clive Allen, Erik Borg, John Brammall e Anna Jacobson e sobre as quais vale a pena refletir. Por último, temos ainda um artigo desenvolvido por Joaquim Margarido, dedicado ao Desporto Escolar e intitulado “Orientação de qualidade – e um tempo para fazer novos amigos”. Em jeito de complemento, há ainda uma Entrevista com Jorge Baltazar, a propósito dos próximos Campeonatos do Mundo de Desporto Escolar ISF 2013, que terão lugar em Abril próximo, no Algarve.

Resta dizer que a subscrição da “Orienteering World” pode ser feita diretamente junto da IOF, Radiokatu 20, FI-00093 SLU, FINLAND, ou através do e-mail iof@orienteering.org ou pelo fax +358 9 3481 3113. O custo é de EUR 13.50 (Europa, correio normal).



[Fotos publicadas com permissão da Federação Internacional de Orientação / published with permission from the International Orienteering Federation]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

sábado, 29 de dezembro de 2012

VALENTIN NOVIKOV: "CORRER, CORRER E CORRER"




Com particular atenção aos próximos dois ou três meses, o Orientovar falou com o Vice-Campeão do Mundo de Distância Média em título, o russo Valentin Novikov. Ele é um dos muitos orientistas estrangeiros que escolheu o nosso país para aqui treinar e competir neste período de pré-temporada. Ouçamos o que tem para nos dizer.


Orientovar - Quando atentamos no seu currículo e percebemos que foi o vencedor da prova de Estafeta do JWOC 1994 (Gdynia, Polónia), isso quer dizer que está no top da Orientação Mundial há muito, muito tempo. Como é que começou a fazer Orientação e o que há neste desporto de tão importante?

Valentin Novikov - Os meus pais eram treinadores de Orientação e continuam ainda a sê-lo com imenso gosto. As minhas memórias estão repletas de viagens constantes para Campos de Treino ou para as competições. É claro que, quando tinha apenas dois ou quatro anos de idade, tudo isto era uma grande aventura para mim. Na altura não corria, mas é desde então que estou em contacto com atletas, mapas e florestas. Ler mapas foi um processo de aprendizagem quase natural, assim como compreender os terrenos.Adoro este estilo de vida porque combina a rotina do treino com “montes” de viagens, o que me permite conhecer o mundo inteiro. E depois há, claro, as provas, onde posso gozar cada percurso, estar com os meus amigos e conhecer novas pessoas.

Orientovar - Nos dois maiores eventos da temporada – Campeonatos da Europa e Campeonatos do Mundo – podemos ver as suas extraordinárias performances nas provas de Distância Média, onde alcançou em ambas a medalha de prata. Onde reside o segredo de tão importantes resultados?

Valentin Novikov - Ainda conservo uma enorme motivação para me manter ao mais alto nível. Tento sempre melhorar graças às tecnologias de treino progressivas, ao encontro daquelas que melhor servem as minhas características. E, ao mesmo tempo, vou ganhando uma maior experiência.


Senti-me como que a voar”

Orientovar - Em três momentos diferentes, liderou o ranking mundial. Qual o momento mais importante da sua carreira, aquele que conserva com maior emoção?

Valentin Novikov - Para mim, esse momento é o da medalha de ouro na Estafeta dos Campeonatos do Mundo WOC 2006 (Aarhus, Dinamarca). Senti-me como que a voar na floresta. Quando acabei a prova tive a certeza de ter vivido uma experiência extraordinária.

Orientovar - Como avalia o atual momento da Orientação?

Valentin Novikov - Posso apenas desejar que mantenham o nível de dificuldade técnica em qualquer uma das distâncias. É isso que faz da Orientação um desporto em que é necessário saber usar a cabeça, um desporto extremamente atrativo e interessante para toda a gente.


Uma grande variedade de desafios”

Orientovar - Está prestes a regressar a Portugal para preparar a sua temporada. Porquê Portugal?

Valentin Novikov - No Inverno procuro Campos de Treino onde não haja neve e onde o clima possa ser o mais agradável possível. Este Inverno decidi-me por Portugal porque aqui podem encontrar-se terrenos interessantes e mapas atualizados e com uma grande variedade de desafios, o que é muito bom ao nível do treino. E depois há um bom número de competições, onde podemos avaliar a nossa velocidade.

Orientovar - Esta não é a primeira vez que vem a Portugal. Pode falar-me dalgumas boas recordações, nomeadamente do Portugal O' Meeting 2010?

Valentin Novikov - Nesse ano estava lesionado e apenas caminhei ou corri muito devagar na floresta, o que não me impediu de perceber as excelentes perspetivas que se abriam em termos de treinos no futuro. Foi possível apreciar que as organizações em Portugal procuram oferecer provas muito competitivas.

Orientovar - E quais são os seus planos, exatamente?

Valentin Novikov - Os meus planos são correr, correr e correr. Irei estar presente no Norte Alentejano O' Meeting, no Portugal O' Meeting e no Meeting de Orientação do Centro. Talvez não corra na máxima força em todos eles.


O caráter único do nosso desporto”

Orientovar - Quais os seus principais objetivos no tocante à póxima temporada?

Valentin Novikov - Procurarei focar-me nos Campeonatos do Mundo, nos Jogos Mundiais, Nos Mundiais Militares e nas grandes Estafetas escandinavas. Nessa altura estarei realmente no máximo da minha forma.

Orientovar - Estamos na viragem para um novo ano. Quer deixar um voto a todos os orientistas?

Valentin Novikov - Espero que todos percebam o caráter único do nosso desporto, quando comparado com tantos outros, e que o saibam valorizar. E um bom ano para todos!


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

JOÃO FERREIRA E CARLOS SIMÕES INSCRITOS NO REGIME DE ALTO RENDIMENTO




Depois de Davide Machado, Diogo Miguel e João Mega Figueiredo, é agora a vez de João Ferreira e Carlos Simões verem o seu nome inscrito no registo de praticantes em regime de Alto Rendimento, do Instituto Português do Desporto e Juventude. São novas oportunidades que se abrem, são os atletas e a Orientação portuguesa que estão de parabéns!


É oficial! João Ferreira e Carlos Simões, atletas do Desportivo Atlético de Recardães e do Clube de Orientação e Aventura do Litoral Alentejano, respetivamente, acabam de ascender ao estatuto de praticantes em regime de Alto Rendimento, juntando-se no nível A a Davide Machado (Clube de Orientação do Minho). Um feito notável e que surge na sequência do 8º lugar alcançado pela Estafeta portuguesa nos recentes Campeonatos do Mundo de Orientação em BTT, disputados em Vészprem (Hungria).

Conforme estaremos recordados, a seleção portuguesa teve um comportamento altamente meritório nestes Mundiais, alcançando no setor masculino os melhores resultados de sempre na Estafeta, Distância Média e Distância Longa. Elemento comum a estes feitos, Davide Machado viu a sua cotação subir no ranking mundial a um nível nunca antes alcançado por um atleta português, atingindo na altura a 7ª posição. Com ele estiveram João Ferreira e Carlos Simões nessa Estafeta de boa memória, que vale agora a ambos o registo no Alto Rendimento – Nível A e, consequentemente, um conjunto de condições ímpares que se irão, seguramente, traduzir em resultados de excelência para a Orientação portuguesa.


Um acréscimo de responsabilidade, rigor e exigência”

Para João Ferreira, esta foi “a cereja em cima do bolo” em relação à época que agora termina. Com efeito, pontuar a sua melhor época no escalão de Elite - 2º lugar no Ranking da Taça de Portugal de Orientação em BTT e 51º lugar no Ranking Mundial -, com o registo no regime de Alta Competição Nível A em 2013, é visto pelo atleta como “um prémio mais do que justo.” Na sua página no Facebook - http://www.facebook.com/jmp.ferreira -, João Ferreira confessa que “a motivação é brutal e o sentimento desta notícia foi uma injeção de motivação ainda maior para encarar a época de 2013 da melhor forma. Os objectivos são mais ambiciosos e só me resta treinar para alcançá-los.” Ainda uma palavra de agrdaecimento “a todos pelo vosso apoio durante toda a época, o trabalho é recompensado. Obrigado aos patrocinadores que me apoiaram em 2012 e obrigado aos novos patrocinadores que me irão apoiar em 2013.”

Foi igualmente com enorme contentamento que Carlos Simões recebeu a notícia. “É uma recompensa que traduz e glorifica todo o trabalho que tenho desenvolvido ao longo destes três anos de dedicação há modalidade e me faz acreditar que o rigor e empenho que tenho imposto a mim próprio são compensadores, nunca esquecendo que o desfecho alcançado foi fruto do trabalho de uma equipa”, afirmou o atleta a este propósito.
Reconhecendo que o Estatuto de Alto Rendimento acarreta “um acréscimo de responsabilidade, rigor e exigência” na forma como encara a competição, o atleta afirma, contudo, que ele é também “uma motivação extra para continuar a trabalhar com determinação e empenho como tenho feito até aqui.” As últimas impressões de Carlos Simões centram-se já na próxima época:
”Os objectivos passam por lutar pelos lugares cimeiros nos Campeonatos Nacionais, ser seleccionado para o próximo Mundial na Estónia e para o Mundial de Veteranos, que por ser no nosso país e em particular na Costa Alentejana irá merecer da minha parte uma especial atenção.”


Atletas de Alta Competição já eles eram”

Igualmente importante era auscultar as opiniões de Davide Machado e do selecionador nacional, Daniel Marques. Começando pelo primeiro: “Foi com enorme satisfação que soube da notícia aqui há uns dias atrás e este é um reconhecimento bem merecido pelo esforço e dedicação de ambos”. Davide Machado vai mesmo mais longe: “Pessoalmente acho que esse reconhecimento já só cresce no papel, pois atletas de Alta Competição já eles eram.” E quanto ao futuro, o melhor orientista em BTT português da atualidade é peremptório: “Será proveitoso para a modalidade, ainda para mais num ano em que vamos organizar a final da Taça do Mundo. Será mais uma dose de motivação para os três, da qual todos retiraremos certamente o maior proveito. A nível financeiro as coisas não estão fáceis mas a modalidade com mais dois atletas de alta competição no mínimo já merece uma maior atenção por parte de outras entidades e espero que assim seja.”

Para Daniel Marques, “a obtenção do Nível A por parte dos dois atletas é certamente uma enorme mais valia para a Orientação em BTT. Foi graças ao 8º lugar da equipa portuguesa de Estafetas no Mundial da Hungria que foi possível atingir este estatuto, foi um feito magnífico e deveremos continuar a construir em cima destes resultados, são marcos históricos que nos devem motivar.” Na qualidade de responsável pelas selecção nacional de Orientação em BTT, Daniel Marques espera que este trio “se mantenha em forma para o ano de 2013 e que este estatuto dê uma ajuda efectiva no fornecimento de melhores condições de treino do João Ferreira e do Carlos Simões, uma vez que ambos têm um enorme potencial e podem evoluir ainda mais se forem devidamente apoiados.”


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

NORTE ALENTEJANO O' MEETING 2013: UM NOVO CICLO QUE SE ABRE!




Falta pouco mais de um mês para a abertura da nova temporada de Orientação Pedestre e Nisa prepara-se para ser o palco das primeiras grandes emoções de 2013. É o regresso do Norte Alentejano O' Meeting aos terrenos de boa memória que o viram nascer há seis anos atrás.


Surgido em 2007, do crer e da vontade do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, o Norte Alentejano O' Meeting está de regresso para a realização da sua 7ª edição. Ao longo destes anos, o evento soube crescer e consolidar-se, graças ao prestígio crescente das suas organizações e ao apoio inequívoco das forças vivas dos vários municípios por onde foi passando, entre orgãos do poder local, proprietários dos terrenos, agentes económicos e dinamizadores culturais.

Dos afloramentos rochosos de Arez aos cerrados soutos do Vale de Ródão, contam-se em seis as edições do NAOM cuja oferta contempla alguns dos mais belos mapas e terrenos do mundo. Bem presentes na memória estão, entre outras, a etapa de Aldeia da Mata (Crato), aclamada pela generalidade dos participantes e distinguida como o sexto melhor percurso mundial em 2010, ou a etapa de Entre-Ribeiras (Portalegre), integrada no Portugal O' Meeting 2011 e na qual o francês Thierry Gueorgiou estabeleceu a segunda maior pontuação de sempre em provas do ranking mundial.

Mas voltemo-nos para esta edição 2013 do Norte Alentejano O' Meeting. Um pouco mais tarde que o habitual, a Taça de Portugal de Orientação Pedestre conhece em Nisa, no primeiro fim de semana de Fevereiro, as duas primeiras etapas. Com um popular Sprint Noturno de permeio, o programa do NAOM 2013 será constituído por duas provas de Distância Média, a última das quais igualmente pontuável para o ranking mundial da modalidade. Refira-se ainda que o evento abre um ciclo de provas internacionais no nosso país e que se estende, nas duas semanas seguintes, aos concelhos de Idanha-a-Nova e de Pombal, prometendo transformar Portugal, uma vez mais, na “Meca” da Orientação mundial.


Dmitriy Tsvetkov é cabeça de cartaz

Com presença confirmada, o russo Dmitriy Tsvetkov é, até ao momento, a grande figura deste Norte Alentejano O' Meeting 2013, ele que é o melhor atleta russo da atualidade e ocupa a 6ª posição do ranking mundial. Dois lugares abaixo no ranking temos o vice-campeão do mundo de Distância Média em título, Valentin Novikov, que já confirmou igualmente a sua presença em Nisa, regressando assim a Portugal e ao Norte Alentejo, depois de ter participado na quarta edição do NAOM (Crato, 2010). Mas estes serão apenas dois dos quase mil participantes que marcarão presença em Nisa para um fim de semana a prometer muita e boa Orientação.

Para os mais curiosos, refira-se que o facto de agrupar os melhores do mundo não retira ao evento esse caráter “generalista” e que permite a pessoas de qualquer idade ou condição física pisar, ao mesmo tempo, os mesmos palcos que os grandes nomes da Orientação. Já alguma vez se tinha imaginado a entrar em campo ao lado dum Cristiano Ronaldo? A organização tem preparados percursos para todos os níveis de dificuldade e ainda coloca à disposição dos estreantes um grupo de monitores que seguramente lhes irão mostrar todo o fascínio que um percurso de Orientação encerra. E após uma jornada plena de emoções, fica o convite a que espraie o olhar sobre as incríveis paisagens com o Tejo em pano de fundo, faça um programa de relaxamento nas Termas da Fadagosa, visite o Museu do Bordado e do Barro ou viaje pelos paladares alentejanos, ao encontro de dois polos da sua maior expressão, o Queijo de Nisa e o Queijo Mestiço de Tolosa.



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO


[Este artigo é patrocinado por Orievents e SERI]


quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

DUAS OU TRÊS COISAS QUE EU SEI DELA...




1. Teve início no dia 1 deste mês, estendendo-se até à vespera de Natal, mais uma edição do WoO Christmas O-Quiz. A iniciativa, da responsabilidade de Jan Kocbach e do seu World of O, lançou o desafio diário de descobrir em que país se situava cada um dos 25 mapas apresentados, num exercício que colocou à prova o conhecimento e as experiências de orientistas do mundo inteiro. Interessante neste WoO Christmas O-Quiz, foi saber a resposta no dia seguinte e acompanhar os comentários dos participantes, algo que poderá ser recuperado ainda em http://news.worldofo.com/. Depois de países como a Espanha (o célebre mapa de Guardamar Sur abriu as hostilidades), Nova Zelândia, Bulgária, Áustria, Letónia, Irlanda, Estados Unidos, Brasil, Japão, Rússia, Eslovénia ou Finlândia, o concurso teve em Portugal - e mais propriamente na ilha da Madeira – o seu ponto final. A título de curiosidade, refira-se que o mapa escolhido é de Janeiro de 2009, tem trabalho de campo e desenho de Rui Antunes e foi navegado, entre outros, por Thierry Gueorgiou.


2. A decisão era já esperada. O European Working Group (EWG) retirou a Israel a organização do Campeonato da Europa de Jovens EYOC 2013, agendado para o Vale de Jezreel e para a região da Baixa Galileia, de 31 de Outobro a 03 de Novembro, conforme pode ler-se em http://ob.skprostejov.cz/ewg/dok/ISR_letter4_final.pdf. E era esperada sobretudo depois de auscultadas as intenções das Federações nacionais acerca duma possível deslocação a Israel. À exceção da Espanha, Finlândia, Itália, Polónia e Suécia, todos os restantes 24 países que responderam a um questionário do EWG fizeram-no pela negativa ou mostraram interesse em participar embora não com equipas completas. Portugal foi um dos países que demonstrou indisponibilidade para estar presente em Israel, invocando razões “económicas e de segurança”. A questão da segurança pesou na decisão da grande maioria dos países, alguns deles baseando a sua posição em recomendações dos próprios governos. Espera-se agora pela decisão do EWG no sentido de se ficar a saber quem tomará o lugar de Israel à frente da organização do evento. O novo país organizador será indicado até 01 de Fevereiro de 2013.


3. O Comité organizador do Campeonato do Mundo de Júniores de Orientação Pedestre JWOC 2013 decidiu oferecer as inscrições na competição aos três primeiros países que se registem e que não tenham participado na edição anterior do JWOC, na Eslováquia. Isto mesmo pode ler-se na página oficial do evento, em http://www.jwoc2013.cz/news?id=25, a ter lugar em Hradec Králové, na República Checa, entre os dias 30 de Junho e 07 de Julho de 2013. Uma medida interessante do ponto de vista da promoção da modalidade, e que poderá vir a colher o interesse de alguns países emergentes, nomeadamente o Brasil, o Chile, o Uruguai ou a Coreia do Sul.


4. Na linha do “The Orienteering Achievement 2012”, iniciativa da responsabilidade do World of O e que consagrou Edgars Bertuks e Simone Niggli como os atletas a quem coube o grande feito da temporada que agora chega ao fim, Rual Ferra e o seu raulferra.blogspot.com lançaram idêntico desafio em Espanha. Incidindo sobre onze atletas na categoria masculina e seis na feminina, a votação esteve patente ao longo de nove dias, tendo recebido 680 votos. Contas feitas, António Martinez e Anna Serralonga sagraram-se os grandes vencedores, o primeiro batendo “ao sprint” Andreu Blanés (197 votos contra 188), a segunda triunfando por larga margem sobre Alicia Gil (462 votos contra 97). Numa iniciativa que se saúda, a pergunta natural é: E por cá, como seria? Diogo Miguel e Raquel Costa? Tiago Leal e Joana Costa? Pedro Nogueira e Patrícia Casalinho? Joaquim Sousa e Susana Pontes?


5. O Prémio Fair Play 2012, uma iniciativa da Confederação Nacional do Desporto da Suécia e da Associação Sueca de Jornalistas, foi atribuído à orientista Sofia Holmgård. Interromper a sua prova para auxiliar uma atleta em dificuldades ter-lhe-á custado a medalha de bronze nos Campeonatos Nacionais da Suécia de Distância Ultra-Longa, mas teve como contrapartida, em reconhecimento pelos seus méritos, um prémio pessoal de 5.000 coroas suecas e ainda um prémio para o Clube à qual a atleta pertence – Kils Orienteringsklubb – no valor de 50.000 coroas suecas e que será direccionado para a promoção do Fair Play no desporto. O incidente reporta-se à pequena vila de Örskogen, numa altura em que faltavam três pontos para o final e Sofia seguia na terceira posição. Foi então que a atleta percebeu que a sua mais direta adversária, Anna Forsberg (Göteborg Majorna OK), se encontrava presa nuns ramos. “Não podia simplesmente passar e deixá-la ali presa, tinha de parar e ajudá-la a libertar-se e foi o que fiz”, afirmou Sofia. Anna Forsberg acabou por ser a terceira classificada. O juri do prémio, na sua declaração, afirmou: “A atribuição deste prémio é especialmente gratificante uma vez que demonstra aos mais novos que ter uma atitude de Fair Play pode ser bem compensador.” Por seu lado, Sofia Holmgård declarou que “o quarto lugar e este prémio são bem mais saborosos que a medalha de bronze”, ela que, aos 42 anos, alcançou o seu melhor resultado de sempre na distância em provas nacionais. Tudo para ler em http://www.rf.se/Nyheter/Nyheter2012/Fairplay-prisettillorienteraresomhjalptevarstakonkurrenten/.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

6º ORIJUNIOR: PUXADO MAS PRODUTIVO




Eram 22, à conta para duas equipas de Messis e Ronaldos. Podiam ter ficado quatro dias aos pontapés à bola. Em vez disso, rumaram a Coruche para responder aos desafios do 6º OriJúnior, que decorreu de 18 a 21 de Dezembro nos mapas do Açude da Agolada, Lamarosa, Erra e Vale de Água.

Em jeito de balanço, Pedro Nogueira, responsável com Nuno Leite pela planificação do estágio, admitiu que ele foi “exigente (por vezes em demasia), quer do ponto de vista físico quer do ponto de vista técnico, no entanto, bastante produtivo no que concerne ao seu objetivo principal, nomeadamente ao nível da leitura e interpretação do relevo”.

Foi, na verdade, um programa intenso, próximo do excessivo, mas motivador, como atestam as palavras de Gonçalo Pirrolas: “Se fosse para descansar tinha ficado em casa”. Ele, que registara o melhor tempo em três dos treinos anteriores, esteve entre a maioria que não conseguiu concluir o último, porque Nogueira teve a lucidez de poupar ao derradeiro 'loop' todos os jovens que controlaram o ponto central depois de uma certa hora.

Para a história deste OriJúnior ficam os nomes dos cinco bravos que completaram as quatro velas desse moinho. Por esta ordem: Carolina Delgado, Ricardo Esteves, Beatriz Moreira, Diogo Delgado e Ricardo Nunes. A Carolina e o Esteves já tinham vencido etapas anteriores, à frente de outros nomes que também deram nas vistas: Bernardo Pereira, Bruno Almeida, Inês Gonçalves, Nina Roothans ou Osvaldo Silva. Mas a vitória menos esperada sorriu, na final do “Pente”, a Isac Brito e José Dores, a provar que “os homens não se medem aos palmos”, como enfatizou Pedro Nogueira aludindo à estatura dos dois concorrentes.

Para quem está menos familiarizado com este tipo de treino, que alguns consideraram o seu favorito, segue a explicação. O exercício desenvolve-se tendo como ponto de referência um caminho, de orientação E-W por hipótese. Colocam-se uns tantos pontos do lado norte, e exatamente o mesmo número do lado sul. Os participantes distribuem-se em equipas de dois. Um elemento faz os pontos do lado norte (ímpares); outro, os do lado sul (pares). Com um único mapa. Assim: enquanto o elemento “A” vai controlar o ponto 1, algures para norte, o elemento “B” avança pelo caminho até uma baliza sem “box” e espera aí pelo elemento “A”, recebendo dele o mapa para ir controlar o ponto 2, algures para sul. É então a vez de o elemento “A” seguir pelo caminho até à 2ª baliza sem “box”, esperando aí pelo elemento “B”, e assim sucessivamente. Chegados ao último reencontro, retrocedem por ordem inversa. Como as saídas das equipas se fazem com um curto intervalo, acontece que alguns elementos são apanhados pelos perseguidores e juntam-se depois, nos pontos de espera, elementos de várias equipas, o que aumenta o despique.

Nos quatro dias do OriJúnior, foram visitados mais de cem pontos de controlo ao longo de duas ou três dezenas de quilómetros, sem incluir um 'footing' extra, por conta de algum mau comportamento, e os exercícios no pavilhão da escola Armando Lizardo, onde funcionou o Solo Duro.

Para treinar a simplificação, precisão, antecipação, direção, concentração, pressão e outros atributos não terminados em “ão”, como a estratégia e a escolha de itinerário, houve etapas de diferente índole: curvas de nível, janelas, linha, sprint, score, pente, control-picking, loops.

Verificaram-se duas ou três situações em que a vegetação rasteira (e agressiva) tornou a progressão bem mais lenta (e dolorosa) do que os mapas faziam prever. Num dos casos, foi mesmo preciso abrir um corredor balizado no meio das silvas. Mas a generalidade dos terrenos foi bastante agradável e o tempo ajudou – chão macio e não choveu.

A Patrícia Casalinho, que fechou o triângulo da organização, nunca deixou acabar os flocos, leite, pão, queijo, doce, fiambre e fruta para as três refeições intercalares, além do almoço e jantar, servidos na cantina da escola. E se esta gente come! A dona Manuela, cozinheira, conquistou a simpatia de todos. Pouco falador, o sr. Henrique, motorista do autocarro municipal, recebeu talvez menos elogios, mas foi sempre pontual, eficiente e afável.


Mais 100 metros e rebentava”

No final do estágio, pedi aos participantes que escrevessem umas linhas sobre a forma como viveram esta experiência. E avisei logo que ia destacar só uma frase de cada um, para evitar redundâncias ou banalidades. A palavra “puxado” foi a mais comum.

Ricardo Nunes: “Nem muito leve nem muito pesado, foi mesmo no ponto, mais 100 metros e rebentava.”

Inês Alves: “Gostei muito da união que existiu entre todos, não havia grupinhos dentro do grupo. O treino que mais me agradou foi o Pente.”

Manuel Lopes: “Sinto que cresci como atleta, tornando as minhas decisões e atitudes mais fluidas e claras.”

António Horta: “O primeiro dia não me correu muito bem, mas a condição física foi melhorando apesar do cansaço. Aprendi muito e espero voltar.”

Pedro Gonçalves: “Aprendi muito sobre curvas de nível, mas para mim foi muito puxado.”

João Pedro Casal: “Nunca tinha feito o treino dos donuts e gostei, tal como do line-in e in-line. E gostei de levantar pontos, porque não ia com a pressão dos treinos a sério.”

Hugo Velhinho: “O meu treino favorito foi o Score-O e aquele que efetuámos no pavilhão.”

Joana Marques: “Foram quatro dias muito produtivos, quer a nível técnico quer a nível físico.”

Gonçalo Dias: “Este meu primeiro OriJúnior foi das melhores coisas que fiz na área da Orientação. Sinto que melhorei significativamente e que houve também uma grande mudança de atitude.”

Inês Gonçalves: “Um dos OriJuniores mais cansativos e puxados que já fiz, mas ao mesmo tempo um dos que mais me ajudaram a evoluir, melhorando a capacidade de leitura do relevo, simplificação e antecipação.”

Bernardo Pereira: “Treinos inovadores e em elevada quantidade e qualidade. Voltamos para casa satisfeitos apesar do cansaço.”

Carolina Delgado: “Muito produtivo. Aprofundamos diferentes técnicas de orientação. Apesar de muito cansativo valeu a pena.”

José Dores: “Os mapas eram difíceis e exigiam concentração. Melhorei a forma física.”

Ricardo Esteves: “Evoluí tecnicamente e fiz novas amizades. Gostei de correr sob pressão no treino do Pente.”

Beatriz Moreira: “Foi bastante motivador. Os participantes foram ficando cansados mas não baixaram a dedicação e empenhamento.”

Diogo Delgado: “Apesar do cansaço, não baixei o nível de concentração. Melhorei a corrida e ganhei mais resistência.”

Nina Roothans: “Foi, especialmente em termos físicos, o OriJúnior mais puxado em que estive, mas ao mesmo tempo aquele onde aprendi mais.”

A Ana Andrade, o Isac, o Osvaldo e o Bruno devem ter-se esquecido. Fica para a próxima. O Tiago Leal, enquanto monitor, não teve direito a depoimento. Fartou-se de pôr pontos e ainda treinou, foi um exemplo de amor à modalidade.

Manuel Dias

Clicar na imagem para ver as fotos

[Fotos gentilmente cedidas por Manuel Dias]

domingo, 23 de dezembro de 2012

LEITURA AO PEQUENO-ALMOÇO: O PRATICANTE Nº 48




Colocando um ponto final num ano que não foi nada fácil, aí está a nova e ultima edição de 2012 da Revista “O Praticante”, de novo com 116 páginas e um diversificado conteúdo a enriquecê-la. Aproveite o tranquilo espaço do pequeno-almoço e venha folheá-la connosco.


É uma “revista da casa”, já entrou nos nossos hábitos e a cada número publicado, folheamo-la sempre com a mesma ansiedade e emoção. “O Praticante” acaba de vir a público com a sua edição nº 48 e, com ela, 116 páginas de muita e boa informação, num grafismo cuidado e revelador do empenho e carinho posto neste projeto.

No Editorial, assinado por Amália Mendes, fala-se do caminho trilhado pela Revista ao longo de 2012, um caminho nada fácil e que determinou que as seis edições previstas para 2012 se confinassem a cinco. Todavia, “nem tudo foi mau, porque conseguimos, pela primeira vez num ano, duas edições com cento e dezasseis páginas, sinónimo dum trabalho duro, de um esforço conjunto de todos quantos se encontram envolvidos no projeto e de todos quantos têm colaborado na divulgação do mesmo.” Para 2013, “O Praticante” promete novos projetos e mais dinamização e divulgação do desporto. É nesse sentido que se insere “o surgimento do tão falado, desejado, esperado, que finalmente surge, o 'site' de 'O Praticante' a partir de Janeiro de 2013”, anuncia a Diretora da Revista.

Folheando agora este número, os dois primeiros terços são praticamente dedicados na íntegra a duas modalidades desportivas de referência no âmbito das modalidades ditas amadoras. Falamos do Atletismo, com a sua vertente de Trail cada vez mais apreciada e participada, e do Ciclismo, que alarga o seu âmbito de ação à BTT e ao Cicloturismo e onde se podem encontrar consideráveis franjas de adeptos. Artes Marciais, Jogos de Combate, Karting, Lutas Olímpicas e Nautimodelismo ocupam as páginas seguintes, até chegarmos à Orientação, com seis páginas repletas de informação sobre o XX Troféu Ori-Estarreja, o XX Campeonato Ibérico de Orientação Pedestre e o I Troféu Joaquim Sousa. Para o final fica a Pedagogia Desportiva, muitos e variados artigos sobre Saúde e ainda um curioso texto intitulado “Yoga em Família”.





Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

BOAS FESTAS!



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

sábado, 22 de dezembro de 2012

MULHERES E DESPORTO: "QUEM SOMOS?"




Secretário de Estado, Comité Olímpico, diretora disto e daquilo, profes, profas, seis horas de discursos, o peso institucional. Uma grande xaropada, pensei eu na véspera.” É desta forma que começa o texto de análise de Manuel Dias e onde se reflete sobre a Orientação portuguesa no feminino. Para ler com atenção!


Secretário de Estado, Comité Olímpico, diretora disto e daquilo, profes, profas, seis horas de discursos, o peso institucional. Uma grande xaropada, pensei eu na véspera.

Havia, pelo menos, um aliciante: ia ter oportunidade de, pela segunda vez na vida, trocar uma palavrinha ao vivo com Susana Feitor. Lembro-me de termos estado, a Rosário e eu, à conversa com a nossa marchadora olímpica nas bancadas do Estádio de Turku, poucas horas depois de Carlos Calado ter feito aquele salto de ouro que lhe deu o título europeu de sub-23. Ainda guardo a foto do ecrã, na cerimónia protocolar, com a marca dos 8,32 e, ao lado, a bandeira portuguesa no lugar mais alto do pódio. Foi em 1997, íamos nós a caminho da Suécia e do O-Ringen, depois de termos participado nos primeiros dois dias do Fin5.

Quinze anos depois, a Susana Feitor mantém a “atitude” e “convicção” (palavras suas) de uma triunfadora. Foi muito bom vê-la e ver como os olhos se lhe iluminaram ao som da palavra Turku.
Mas estou a começar pelo fim. Ainda não disse o quê, quando e onde: Seminário “Mulheres e Desporto”, 29 de Novembro 2012, Museu Nacional do Desporto, Palácio Foz, Lisboa. E vou ser franco: não foi a xaropada que eu temia.

Sem querer resumir as intervenções de dezena e meia de oradoras e mais quatro oradores – e a questão do género não é aqui despicienda, porque foi o leitmotiv de toda a jornada –,respigarei das minhas notas uns quantos números e ideias que nos façam pensar.

Antes, porém, fica o registo de que, durante a sessão inaugural, se procedeu à subscrição eletrónica da Declaração de Brighton sobre Mulheres e Desporto por parte do secretário de Estado Alexandre Mestre e dirigentes do IPDJ e Federação Equestre. Aprovada em 1994, esta convenção fora até agora ratificada apenas por três entidades portuguesas, incluindo o COI.


Retrato de família

Durante as seis horas que durou o seminário fui bombardeado com tantos números que senti a incomodidade de não ter elementos para comparar com o que se passa na Orientação. O remédio foi informar-me para deixar aqui o retrato da nossa família no que toca a géneros.

Em 2012, estão inscritos na FPO 1805 homens e 843 mulheres, pelo que estas representam 31,8% do universo total de praticantes. Segundo o que ouvi no Palácio Foz, é um número bastante acima da média.

Mas a vantagem esbate-se quando analisamos determinadas funções fundamentais para a organização de provas. Entre traçadores de percursos (Pedestre, BTT e Corridas de Aventura), supervisores, treinadores e aplicadores de sistema SI, estão habilitados com cursos da FPO 494 homens e 62 mulheres. Ou seja, elas representam apenas 11,2% desse pelotão técnico.

Um pouco mais animador é o panorama nas direções associativas. Considerando a participação nos três órgãos estatutários (direção, mesa da assembleia e conselho fiscal), as mulheres representam cerca de 22,5% dos responsáveis pelos nossos clubes. Este número foi obtido em resultado de uma consulta que eu próprio empreendi junto de três dezenas de clubes de orientação e acho que é uma amostra fidedigna.

Tinha prometido não divulgar o nome das entidades envolvidas nesta auscultação, mas, devidamente autorizado, sempre digo que o OriMarão é o clube onde mais mulheres tomam assento nos órgãos estatutários: 9 das 15 cadeiras. Em contrapartida, há 4 clubes sem representação feminina, o que de resto acontece também nos corpos gerentes da própria Federação. Só num dos outros dois órgãos sociais (Conselho Disciplinar) é que encontramos uma senhora. Não se trata, porém, de nenhum estigma da FPO. Se andarmos um pouco para trás, achamos gerências mais equilibradas neste aspeto, a começar pelos oito anos de exercício de Isilda Santos como secretária-geral (1994-2002).



Vicente Moura – “A fatia feminina da representação portuguesa nos Jogos Olímpicos de Londres ultrapassou a barreira dos 40%.”

Fátima Duarte – “No período 2005-2009, o número de mulheres federadas aumentou 33% enquanto o dos homens subiu apenas 7%.”

Alexandre Mestre – “As federações que mais apostarem no aumento da componente feminina verão majorada a contribuição que recebem do Estado.”

Paula Silva – “A participação das mulheres em 2009: 24,3% de federadas, 13,8% em órgãos estatutários; 20,1% na arbitragem; 15,4% de treinadoras.” E ainda uma frase retrógrada de Pierre de Coubertin: “O verdadeiro herói Olímpico, na minha opinião, é o indivíduo adulto masculino.” Talvez por isso, “a primeira maratona olímpica feminina só aconteceu em 1984.”

Paula Botelho Gomes – “As relações de género são relações de poder. Enquanto a dimensão do género não for matéria obrigatória de estudo na formação de professores e treinadores, não há maneira de se fazer um correto enquadramento da questão.”

Cristina Almeida – “A parcela feminina nos desportos com cobertura mediática representa apenas 5% e os patrocínios dados a mulheres só 0,5%.”

Isabel Cruz – “Os prémios do ténis no Estoril Open 2012 foram de 72 mil euros para homens e 37 mil para mulheres. E trata-se de uma competição com patrocínio oficial do Estado.”

Paula Gomes – “O corfebol, inventado na Holanda em 1902, é o paraíso da igualdade: joga-se com equipas de 8 elementos, sendo 4 homens e 4 mulheres.”

Daniela Gomes da Costa – “A taxa de feminização no ténis de mesa é de 23%, mas a nível de desporto escolar não ultrapassa os 12%.”

Mónica Jorge – A única mulher na Federação Portuguesa de Futebol acha que “a situação está a mudar para melhor.”

Susana Feitor – Duas marcas mundiais entre outras: ouro júnior em 1990 e bronze absoluto em 2005. Mas as medalhas não são tudo. É preciso, mesmo fora do treino, lutar por melhores condições. Por isso, encabeçou a Comissão de Atletas Olímpicos, única mulher entre nove homens. “Só falo daquilo que sei e só digo a verdade.”

Isaura Morais – Para a presidente da Câmara de Rio Maior, “o mérito, exigência e rigor não têm sexo.”

Quem tiver particular interesse nesta temática, pode, além da Secretaria de Estado do Desporto, buscar mais informação junto da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género e da Associação Portuguesa Mulheres e Desporto.



Manuel Dias

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

PORTUGAL O' MEETING 2013: FALTAM 50 DIAS!




Para os amantes da Orientação, Carnaval rima com Portugal e a festa e folia póprias desta quadra faz-se de bússola e mapa na mão, ao encontro dos nossos melhores mapas e terrenos. Assim será uma vez mais em 2013, em Idanha-a-Nova, com a realização do Portugal O' Meeting.


A cinquenta dias do maior evento regular de Orientação Pedestre realizado no nosso país, os preparativos para o Portugal O' Meeting 2013 rolam a velocidade de cruzeiro. De 09 a 12 de Fevereiro, o município de Idanha-a-Nova irá receber a 17ª edição do prestigiado evento, numa organização da Associação de Deficientes das Forças Armadas, Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Federação Portuguesa de Orientação e Federação Internacional de Orientação.

O programa competitivo engloba quatro etapas repartidas pelos mapas de Idanha-a-Nova e do Cidral, este último junto a Monsanto, a aldeia mais portuguesa de Portugal. Em ambos os casos, a qualidade dos terrenos, aliada à capacidade e rigor organizativo, a um enquadramento paisagístico ímpar e às benesses dum excelente clima, constituem o garante de mais um momento de altíssimo nível no panorama do desporto em Portugal.


Matthias Kyburz e Simone Niggli

Serão estes os principais atrativos dum evento que não pára de crescer e que irá trazer a ao nosso país atletas dos quatro cantos do mundo e cujos números prometem aproximar-se ou mesmo ultrapassar a barreira dos dois milhares de participantes. Dos 8 aos 88 anos, com maior ou menor nível técnico, mais ou menos preparação física, são muitos aqueles que irão marcar presença em Idanha-a-Nova numa competição que tem tudo para agradar a todos. Uma lufada de ar fresco para esta vasta região raiana, prometendo injetar na economia nacional, segundo estimativas baseadas em anteriores organizações, mais de 1,5 milhões de euros.

Olhamos finalmente os “artistas”, dos que têm ambições mais modestas àqueles cujas pretensões passam pela conquista dos títulos mundiais que se jogarão mais lá para Julho, na Finlândia. Mas para já, como afirma o gaulês Thierry Gueorgiou, “é no Inverno que se ganham as medalhas de Verão” e o Inverno é aqui, em Portugal e em Idanha-a-Nova, como em Nisa ou em Pombal, locais que receberão, igualmente em Fevereiro, competições de Orientação de nível internacional. As inscrições avançam a bom ritmo e uma das últimas novidades tem a ver com o atual líder do ranking mundial, o suiço Matthias Kyburz, que ontem mesmo confirmava ao Orientovar a sua presença no Portugal O' Meeting. Vencedora em quatro das dezasseis edições do evento realizadas até hoje e inquestionavelmente a melhor orientista de todos os tempos, a suiça Simone Niggli é outra das mais que prováveis presenças em Portugal, escolhendo novamente o nosso país para começar a sua época de preparação, depois de ter afirmado já não tencionar deslocar-se à Nova Zelândia onde, em Janeiro, terá lugar a ronda inaugural da Taça do Mundo de Orientação Pedestre.

Tudo para acompanhar em http://www.pom.pt/pt/.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO


[Este artigo conta com os apoios de Orievents, SERI e Câmara Municipal de Idanha-a-Nova]