sexta-feira, 16 de novembro de 2012

VIII CONGRESSO DE ORIENTAÇÃO: "ABRIR CAMINHOS DE FUTURO"




Está aí à porta o VIII Congresso de Orientação. Prestes a virar-se a página para um novo ano, a Federação Portuguesa de Orientação aposta numa iniciativa que promete transformar-se num polo de convergência de todos os agentes da modalidade, refletindo sobre o atual momento da modalidade e preparando os grandes embates do futuro.


Necessário se tornar recuar mais de sete anos nos anais da história para percebermos que é precisamente esse o tempo que medeia entre o anterior Congresso de Orientação (Vendas Novas, Outubro de 2005) e este que a Federação Portuguesa de Orientação, com o apoio do Instituto Politécnico de Leiria, acaba de anunciar para os dias 15 e 16 de Dezembro.

Convocando diversos olhares e diferentes perspetivas teóricas, metodológicas e concetuais, o VIII Congresso de Orientação pretende ser um espaço de partilha de experiências e conhecimentos, onde as quatro disciplinas da Orientação irão estar em foco. Palestras, debates e conferências darão corpo a um conjunto ambicioso de temas onde se reflete sobre o momento presente da modalidade, dimensionando-a num futuro que se abre a cada passo e se apresenta, tal como um percurso de Orientação, pleno de promessas e desafios.


Programa rico e variado

Dois dias amplamente preenchidos, tal é o aspeto dum programa que terá na Abertura e Encerramento um denominador comum: Augusto Almeida, Presidente da Federação Portuguesa de Orientação. Dois caminhos, o da “excelência organizativa” e o do “futuro”, serão estes os primeiros temas em foco, com intervenções, respetivamente, de António Amador, Diretor Executivo da Federação Portuguesa de Orientação, e Ricardo Chumbinho, Coordenador Nacional de Orientação de Desporto Escolar e Secretário da Direção da Federação Portuguesa de Orientação. A manhã do primeiro dia do Congresso encerra com Hélder Faísca a abordar “Um caso de Sucesso: Clube BTT Terra de Loulé”.

Após o intervalo para almoço, o período da tarde abrirá com quatro sessões paralelas, onde difícil será mesmo escolher entre elas, tantos e tão aliciantes são os temas que irão estar em cima das várias mesas. Coordenada por Bruno Nazário, da Direção Técnica Nacional (Orientação Pedestre), que abordará igualmente os assuntos “Pedagogia do Treino” e “Caminho para o Alto Rendimento”, a Sessão dedicada à “Formação” conta ainda com intervenções de Paula Serra Campos e Tânia Covas Costa (“Escolas Desportivas”) e Hélder Ferreira (“Competição nos Jovens”). Rui Morais coordenará a Sessão dedicada à “Organização e Supervisão”, com intervenções do próprio Rui Morais (“Papel do Supervisor”), de Fernando Costa (“Qualidade Organizativa”) e de Manuel Dias (“Avaliação de Provas”). Com coordenação de José Fernandes, Vogal da Direção da Federação Portuguesa de Orientação e figura de proa do Departamento de Cartografia, “Cartografia e Traçado de Percursos” é outra das Sessões deste início da tarde, com apresentações de Tiago Aires (“Cartografia Pedestre e Traçado de Percursos”) e de Alexandre Reis (“Cartografia BTT e Traçado de Percursos”). A quarta e última Sessão - “Corridas de Aventura” - será coordenada por André Ribeirete, da Direção Técnica Nacional (Corridas de Aventura), que se debruçará sobre a “Evolução das Corridas de Aventura e Futuro”. Seguir-se-á um período de debate sobre as sessões, durante o qual se esperam conclusões particularmente significativas e proveitosas nos diversos domínios abordados.


Recolher contributos”

O segundo dia do Congresso vai dedicar o primeiro espaço da manhã à mais jovem disciplina da Orientação no nosso País, com uma apresentação de Joaquim Margarido, da Direção Técnica Nacional (Orientação de Precisão) e subordinada ao tema “Orientação de Precisão – Desafios”, seguindo-se uma intervenção de Luís Santos sobre a “Evolução da Modalidade”. “O Impacte da Orientação nas Comunidades Vegetais - O caso do Grande Prémio de Terras de Bouro”, por Luis Quinta-Nova e Miguel Cardoso, “Projetos de investigação na área da Orientação desportiva”, por Marisa Barroso, Teresa Bento, Luis Coelho e David Catela, e, “Apostas de futuro”, pelo Presidente da Assembleia-Geral da Federação Portuguesa de Orientação, José Carlos Pires, antecederão a intervenção final de Augusto Almeida, subordinada ao tema “Desafios e Certezas”.

Grande dinamizador deste VIII Congresso de Orientação e seu principal responsável, José Fernandes revela, quanto aos motivos desta organização, que “a ideia surgiu numa reunião da Direção da Federação Portuguesa de Orientação e destina-se a recolher contributos de muitas pessoas que estão na Orientação com espírito de missão, que têm presentes e respeitam os regulamentos que nos regem e uma visão de futuro que nos dias que correm é fundamental.” E deixa-nos as suas mais íntimas expectativas: “Os resultados que esperamos desta iniciativa são principalmente assentar num modelo de organização das competições oficiais que não deixe dúvidas a ninguém que organiza, um conhecimento mais abrangente da modalidade com a recolha de estudos já efetuados por algumas pessoas e sobretudo abrir caminhos de futuro.”

Mais informações e inscrições (até 07 de Dezembro de 2012), em http://www.fpo.pt/www/images/fpo/comunicados/gerais/2012/VIIICONGRESSO12/viii_congresso.pdf.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: