sábado, 3 de novembro de 2012

MARIA GONZÁLEZ: "TOMEI O GOSTO DESDE QUE COMECEI E NUNCA MAIS PAREI"




Hoje cruzamos uma vez mais o Oceano ao encontro de Maria del Carmen González Correa, “a melhor atleta uruguaia de Orientação”. Foi desta forma que a Federação Espanhola e a Federação Uruguaia de Orientação a distinguiram recentemente e é precisamente por aí que começa a nossa conversa.


Orientovar - Recentemente, foi homenageada pela FEDO e pela FUO na sua terra natal, Tacuarembó, como “a melhor atleta uruguaia de Orientação”. Como recebeu esta distinção?

Maria Gonzalez - Sou uma simples particante de Orientação porque lhe tomei o gosto desde que comecei e nunca mais parei. Estou muito, mas mesmo muito grata a todos aqueles que tornaram possível este meu sonho e espero prosseguir correndo e colaborando no esforço de desenvolvimento da Orientação no nosso país. Espero não os defraudar. Só tenho palavras de agradecimento.

Orientovar - Como tomou contacto com a Orientação e o que viu neste desporto que a prendeu?

Maria Gonzalez - Conheci a Orientação na Escuela Militar em Toledo, Departamento de Canelones, mas só em 2004 dedici dedicar-me à competição, numa altura em que comecei a treinar e a competir, primeiro em provas nacionais e complementando-as depois com provas no estrangeiro, sobretudo no Brasil.


Estamos a receber a ajuda e o apoio permanente da FEDO”

Orientovar - O que é ser orientista no Uruguai?

Maria Gonzalez - No Uruguai, é possível tomar a decisão de ser orientista apenas pelo facto de poder desenvolver uma atividade desportiva em contacto permanente com a natureza. Mas é, sobretudo, uma questão de paixão, espírito de sacrifício e persistência, uma vez que no nosso país a Orientação não é muito conhecida, ou melhor dizendo, não é muito praticada, embora se encontre, felizmente, em franco desenvolvimento.

Orientovar - E como estão a fazer para desenvolver a modalidade?

Maria Gonzalez - Estamos a trabalhar com a nossa Federação (F.U.O.) para que a Orientação possa chegar a mais pessoas, que possa vir a ser praticada por toda a gente. Estamos a receber a ajuda e o apoio permanente da FEDO – Federação Espanhola de Orientação, através do seu Vice-Presidente José Angel Nieto, quer através de Cursos de capacitação nos vários domínios, quer por meio de palestras de apresentação da modalidade.


É necessário termos mais participantes”

Orientovar - Recebem algum apoio das autoridades departamentais ou nacionais?

Maria Gonzalez - Tanto nas palestras como nos cursos ministrados pelo Vice-Presidente da FEDO, como nas provas que vamos organizando no nosso país, existe sempre uma coordenação com as autoridades departamentais e, felizmente, temos tido uma boa aceitação e a colaboração tem surgido sempre que é necessária. Mas é verdade que necessitamos de mais apoios e de pessoas que queiram participar tanto nas organizações como nas próprias provas.

Orientovar - O ano passado, a Taça Mercosul decorreu no Uruguai. Que conclusões retiraram do evento e que resultados se projetam em termos de futuro?

Maria Gonzalez - Sim, é verdade. No ano passado recebemos a Taça Mercosul, mais exatamente no Departamento de Maldonado. Contámos com a participação de atletas da Argentina, Brasil, Guatemala e Uruguai, mas é necessário termos mais participantes. Não é fácil organizar uma prova e quando se assume o compromisso de organizar uma competição com esta envergadura esperamos ter um grande número de atletas a competir. Aquilo que retiramos, no imediato, é que necessitamos de investir mais na divulgação, na promoção dos nossos eventos e fazer um esforço maior de coordenação de forma a articular com os diversos calendários, para que todos os países com assento na Taça Mercosul possam estar presentes a disputá-la.


Uma experiência memorável”

Orientovar - O Uruguai foi um dos seis países presentes na Taça dos Países Latinos de Orientação Pedestre, em 2010 e recordo-me bem da Maria del Carmen ter estado também presente em Leiria. Que memórias guarda dessa jornada?

Maria Gonzalez - Uma experiência memorável, por sorte documentada em fotos e muitas recordações. Guardo na memória os terrenos muito diferentes daquilo a que estamos acostumados tanto no Uruguai como no Brasil. E bom, tratámos de aproveitar cada momento, cada treino e cada prova, com o intuito de melhorar, uma vez que temos consciência plena das nossas diferenças óbvias no que diz respeito à nossa capacidade física e técnica. Em todo o caso, tentamos sempre dar o nosso melhor e aprender com aqueles que têm mais experiência na modalidade.

Orientovar - Ainda no que diz respeito à Taça dos Países Latinos, a edição de 2013 terá lugar no Uruguai. O que podemos esperar?

Maria Gonzalez - Antes de mais, creio não estar equivocada ao afirmar que no próximo ano a Taça do Países Latinos terá lugar na Roménia, na qual procuraremos estar novamente presentes. E em 2014, sim, ela terá lugar no Uruguai! Trataremos de cumprir com o objetivo principal da Taça dos Países Latinos de Orientação, que sempre tem sido o de reunir, integrar durante as três jornadas, as diferentes delegações presentes, fomentar o convívio e a amizade entre os competidores e, naturalmente, oferecer-lhes bons mapas, percursos interessantes, oferecer-lhes uma experiência diferente, fazê-los sentir-se em casa!


Tomar posição na linha de partida”

Orientovar - O O-Zine, a newsletter da Federação Internacional de Orientação, deu o devido destaque ao Uruguai no seu número de Dezembro de 2011. Como viu este interesse por parte da IOF?

Maria Gonzalez - Foi excelente para nós, organizadores e atletas. Foi muito bom para a Orientação no Uruguai e sentimo-nos muito honrados pelo facto de termos merecido este destaque. E isto foi também um impulso para que avançássemos muitíssimo na promoção da Orientação no Uruguai.

Orientovar - Gostaria de fazer um voto ao Uruguai e ao Mundo com vista ao futuro do nosso desporto?

Maria Gonzalez - É claro que sim. E a mensagem é a de que se aproximem, questionem e que, finalmente, tenham a coragem de tomar posição na linha de partida. É para isso que trabalhamos em prol do desenvolvimento da Orientação no Uruguai, quer com os trabalhos que vamos desenvolvendo a nível nacional, quer pela experiência que vamos colhendo através da participação em provas internacionais. Precisamente neste momento estamos em França a participar na Taça dos Países Latinos de Orientação 2012. Este é o quarto ano consecutivo em que participamos, com muito esforço da nossa parte mas também com muita vontade de superação. Assim, em frente e boa sorte para todos aqueles que queiram orientar-se!


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Anónimo disse...

Felicitaciones Maria !!!! Con su valor, disciplina y dedicacion, el deporte de orientacion sigue haciendose fuerte en Uruguay. Cordialmente, Cnel. Juan C. Acuna.