domingo, 16 de setembro de 2012

PARK WORLD TOUR 2012: AS EMOÇÕES DA ORIENTAÇÃO DE REGRESSO À CHINA




Øystein Kvaal Østerbo e Timo Sild, nos Homens, e Liis Johansson e Léa Vercellotti, nas Senhoras, foram os grandes vencedores das duas provas que marcaram o arranque do Park World Tour, em terras da China. Um evento que conta este ano com a presença do português Miguel Silva e que faz hoje a manchete no Orientovar.


Partindo da iniciativa de sete entusiastas da Orientação, todos eles oriundos de países nórdicos, o Park World Tour surgiu com o intuito de dar um novo fôlego à modalidade e de torná-la mais visível. Apostando num modelo que quase poderia ser definido como uma Taça do Mundo de Sprint, a ideia era criar uma competição que trouxesse os orientistas para o centro das cidades, que os misturasse com as pessoas, que os pusesse a correr no meio da multidão.

Com determinação - e uma grande dose de idealismo à mistura -, foi assim que, em 1996, surgiu a primeira edição do Park World Tour, distribuída por quatro provas. No ano imediato, as seis provas que constituíram o evento já conseguiam atrair cinco milhares de espectadores e em 1998 quebravam-se barreiras históricas, ao conseguir levar à China, pela primeira vez, um evento de Orientação. Graças às suas virtualidades e méritos, o modelo acabaria por vingar, atraindo as atenções das instâncias internacionais que tutelam a modalidade. E foi com base neste exemplo que, em 2001, a distância de Sprint foi acrescentada ao Programa dos Campeonatos do Mundo de Orientação, assim se mantendo até aos dias de hoje. De Vasa, a primeira cidade a acolher uma etapa do Park World Tour, a cidades emblemáticas como Viena, Xangai, Sidney ou Budapeste, é toda uma história de sucesso aquela que é contada ao longo dos seus 16 anos de existência.


Østerbo e Johansson vencem primeira etapa

Este ano o Park World Tour está de regresso à China. Três cidades, seis etapas, oito dias de competição e um pouco mais de quatro dezenas de atletas de Elite, são estes em traços gerais os números da edição 2012 que teve ontem o seu início. A cidade de Changchun acolheu as duas primeiras etapas do programa, integrando-as nesse evento maior que é o Vasa Orienteering Festival.

Disputada na distância de Sprint, no lindíssimo espaço do Jing Yuetan Park, a primeira etapa disputada ontem teve no norueguês Øystein Kvaal Østerbo e na estoniana Liis Johansson os grandes vencedores. Os escassos vinte segundos que separaram os quatro primeiros classificados dão nota das dificuldades de Østerbo em levar de vencida a etapa, ante atletas tão combativos como o são o suiço Matthias Müller, o checo Tomas Dlabaja ou o finlandês Mårten Boström. No setor feminino a luta foi maior ainda, com Liis Johansson a impor-se à chinesa Zhu Mingyue pela diferença de um segundo apenas.


Estonia regressa ao topo do pódio, desta vez em Homens Elite

No segundo dia de provas, já esta manhã, os triunfos sorriram ao estoniano Timo Sild e à francesa Léa Vercellotti. O Jing Yuetan Park voltou a ser o palco de todas as emoções, desta feita para uma prova de Distância Média bem disputada e onde os vencedores demonstraram real supremacia ante os seus opositores. Com uma prova quase perfeita, Sild bateu por margem superior a três minutos o suiço Matthias Müller e o checo Tomas Dlabaja, segundo e terceiro classificados respetivamente, e que assim repetiram as posições alcançadas no dia de ontem. Já no setor feminino, Vercellotti terminou com uma vantagem muito próxima do minuto e meio ante a nossa bem conhecida Ona Ráfols, que desta forma alcançou o melhor resultado de sempre dum atleta espanhol em 16 edições do Park World Tour.


Um top-5 num Sprint é uma meta alcançável”

Quanto a Miguel Silva, ontem foi o 20º classificado entre 26 competidores, tendo melhorado um lugar no dia de hoje, no conjunto de 28 participantes. O Orientovar falou com o atleta que começou por referir que, “depois de uma longa viagem, fiz o primeiro Sprint em solo chinês, onde tive a oportunidade de alinhar à partida com alguns dos melhores orientistas do mundo. Senti-me fisicamente bem mas cometi três grandes erros de 22, 28 e 30 segundos nos pontos 4, 7 e 11.” Admitindo que “são erros demais para um sprint”, o atleta português explica que “no ponto 4 bati no pequeno lago e hesitei a contornar os privados pouco delimitados. No ponto 7 aconteceu-me algo que nunca me tinha acontecido: segui a linha do norte (também a magenta) até ao ponto 9, apercebendo-me então do erro. No ponto 11 falhei na zona.” Apesar de tudo, o atleta mostra-se seguro: “Um top-5 num Sprint é uma meta alcançável e é isso que vou continuar a tentar.”

Já no tocante ao dia de hoje, Miguel Silva começou por se referir à zona onde a prova decorreu, “um parque muito bonito de floresta tipo nordica e um mapa interessante, na sua maioria verde, o que dificultou muito a navegação.” Nesta prova, o nosso atleta acusou a falta de treino com mapa - “não pego num mapa desde o WOC” - e cometeu vários erros. Para Miguel Silva, “vale-me ter constatado que fiz splits semelhantes aos melhores nos pontos em que não errei e que se trabalhar esta parte técnica poderei subir significativamente na tabela classificativa.”


Resultados

1ª Etapa (Changchun, prova de Sprint)

Homens Elite
1º Øystein Kvaal Østerbo (Noruega) 14:23
2º Matthias Müller (Suiça) 14:36
3º Tomas Dlabaja (República Checa) 14:39
4º Mårten Boström (Finlândia) 14:43
5º Milos Nykodym (República Checa) 15:12
(…)
20º Miguel Silva (Portugal) 16:43

Damas Elite
1º Liis Johansson (Estónia) 15:22
2º Zhu Mingyue (China) 15:23
3º Lea Vercellotti (França) 15:36
4º Ona Ráfols (Espanha) 15:40
5º Fanny Gyurko (Hungria) 15:54


2ª Etapa (Changchun, prova de Distância Média)

Homens Elite
1º Timo Sild (Estónia) 29:42
2º Matthias Müller (Suiça) 32:45
3º Tomas Dlabaja (República Checa) 32:58
4º Øystein Kvaal Østerbo (Noruega) 33:06
5º Yannick Michiels (Bélgica) 34:08
(…)
19º Miguel Silva (Portugal) 40:54

Damas Elite
1º Lea Vercellotti (França) 34:36
2º Ona Ráfols (Espanha) 36:01
3º Denisa Kosova (República Checa) 36:23
4º Liis Johansson (Estónia) 37:02
5º Lenka Poklopova (República Checa) 37:29


Seguem-se agora alguns dias de demonstração de Orientação e a competição estará de regresso na próxima quinta-feira, em Chongqing, a maior cidade do mundo, com 32 milhões de habitantes. Tudo para acompanhar em http://www.pwt.org/ ou aqui, no seu Orientovar.

[Mapa da prova de Sprint gentilmente cedido por Miguel Silva]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: