domingo, 9 de setembro de 2012

NORT 2012: MATTHIAS KYBURZ E SIMONE NIGGLI, VITÓRIA VEZES DOIS




Foi em ambiente de enorme festa e animação que chegou ao fim a terceira edição do NORT – Nordic Orienteering Tour. Em Vuokatti, palco dos próximos Campeonatos do Mundo WOC 2013, Matthias Kyburz e Simone Niggli chamaram a si os louros da vitória, coroando uma temporada absolutamente inesquecível para ambos.


Depois de Oslo e Gotemburgo, chegou a vez das cidades finlandesas de Kajaani e Vuokatti receberem o NORT 2012, para a realização das decisivas etapas. Cinquenta e três atletas masculinos e quarenta e oito femininos rumaram ao país dos mil lagos para as quarta e quinta etapas do certame, aquelas que iriam consagrar em definitivo os vencedores do “grand slam” nórdico. Em causa estavam também as contas da Taça do Mundo 2013, aqui a conhecer igualmente as duas últimas etapas. Após cinco anos consecutivos em solo helvético, a decisão da Taça do Mundo assentava arraiais na Finlândia pela vez primeira, com o norueguês Olav Lundanes e a suiça Simone Niggli na “pole position” à entrada para os derradeiros embates.

Dividida em séries qualificatórias e finais, tanto no setor masculino como no feminino, a quarta etapa teve lugar na cidade de Kajaani, sob a forma de Sprint urbano. Dessa primeira parte do programa vem a vitória do suiço Matthias Kyburz por escassa margem ante o francês Frédéric Tranchand, naquilo que pode ser visto como uma reedição do duelo da final de Sprint, três dias antes, em Gotemburgo. Quanto à série qualificatória feminina, a vitória coube à dinamarquesa Ida Bobach, uma atleta a quem se augura um futuro brilhante mas que permaneceu algo afastada dos grandes momentos da presente temporada. Helena Jansson (Suécia) e Simone Niggli (Suiça) ocuparam por esta ordem os lugares imediatos. A grande surpresa desta ronda foi o afastamento da final masculina do norueguês Øystein Kvall Østerbø.


Matthias Kyburz e Simone Niggli na dianteira

Na final, Simone Niggli não esteve com meias medidas e foi a grande vencedora. Helena Jansson até começou melhor, mas uma má opção pouco antes do final da primeira metade da prova levou-a a perder preciosos segundos para a sua adversária mais direta. A partir daí, Simone Niggli não mais viria a perder a liderança, concluindo os 3,4 km do seu percurso em 14:03, menos 11 segundos que Helena Jansson e menos 17 segundos que a sueca Annika Billstam e que a dinamarquesa Emma Klingenberg, que concluiram ex-aequo. A final masculina fica marcada por esse momento dramático que resultou na desqualificação por “mp” daquele que até aí liderava a Taça do Mundo 2012, o norueguês Olav Lundanes. Campeão Europeu de Sprint em título, o sueco Jonas Leandersson viria a valer-se da sua extraordinária ponta final para levar de vencida a prova, cumprindo os 4,1 km do seu percurso em 14:53. O suiço Fabian Hertner foi um dos grandes animadores da etapa graças ao duelo que manteve com Leandersson, mas o segundo lugar acabaria por pertencer a Matthias Kyburz, a 9 segundos do vencedor. Hertner e o sueco Jerker Lysell concluiriam na terceira posição, creditados com o mesmo tempo de 15:03.

À entrada para a decisiva etapa do NORT 2012 as contas do setor feminino eram fáceis de fazer. A vantagem de 224 pontos registada por Simone Niggli ante a finlandesa Minna Kauppi conferiam-lhe virtualmente a vitória, a oitava nas últimas dez edições do certame. Bastava saber se iria conquistar igualmente o triunfo nesta terceira edição do NORT, segurando os 3:13 de vantagem sobre Helena Jansson, com que partiria para uma derradeira etapa de Distância Média, um “chasing start” com tanto de empolgante como de decisivo. Já no tocante aos homens, as coisas mudavam ligeiramente de figura. Matthias Kyburz apresentava à partida uma vantagem de 3:22 para gerir, mas com atletas da estirpe dum Olav Lundanes ou dum Thierry Gueorgiou imediatamente atrás de si, quem poderia sentir-se seguro? Aliás, os 16 pontos de vantagem que Kyburz tinha sobre Lundanes valiam por dizer que, até ao quarto lugar, bastava o norueguês ficar à frente do suiço uma posição que fosse para quer tudo se invertesse.


Dobradinha” da Suiça

No final não foi isso que aconteceu. Lundanes viria a terminar na terceira posição, atrás do francês Thierry Gueorgiou e de Matthias Kyburz, o grande vencedor. Matthias Kyburz não lidou da melhor forma com a “caçada”, vindo mesmo a perder tempo para um grande número de adversários diretos (fez apenas o 22º melhor registo), mas acabou por conseguir gerir a pressão e segurar alguma da vantagem inicial, afinal a suficiente para chegar na frente do NORT e, concomitantemente, vencer a sua primeira Taça do Mundo. No final das cinco etapas do NORT 2012, Matthias Kyburz contabilizou um total de 1:58:41, sendo as posições imediatas ocupadas por Thierry Gueorgiou e Olav Lundanes, com mais 0:49 e 1:04, respetivamente. Quanto ao setor feminino, Simone Niggli reforçou a sua veia ganhadora. À semelhança de Matthias Kyburz, Simone também não se deixou “caçar”, apesar de não ter ido além do oitavo melhor tempo no percurso. No final, vitória da multi-campeão suiça com um tempo total de 1:54:39 e uma vantagem de 3:04 e 3:59 sobre, respetivamente, Helena Jansson e a finlandesa Minna Kauppi.

A Suiça sai duplamente vitoriosa da Taça do Mundo 2012, repetindo os sucessos de 2009 e 2010, então com Daniel Hubmann e Simone Niggli como grandes protagonistas. Quanto ao segundo lugar, ficou na posse de Olav Lundanes e Minna Kauppi. Lundanes que alcançou assim a sua melhor posição de sempre em Taças do Mundo (tinha sido o quinto classificado em 2010), ao passo que Kauppi igualou o segundo lugar de 2008 e do ano transato. Na terceira posição classificaram-se o suiço Matthias Merz e a russa Tatyana Riabkina. Merz que igualou aqui os seus melhores resultados de sempre, alcançados igualmente em 2008 e em 2011, enquanto Riabkina piorou em relação ao seu melhor resultado anterior, um segundo posto em 2004, imediatamente atrás de... Simone Niggli!



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: