sexta-feira, 24 de agosto de 2012

WMTBOC 2012: IMPRESSÕES (IV)




No final de mais um dia pleno de emoções, reproduzimos as impressões de Davide Machado e João Ferreira, que nas respetivas páginas do Facebook partilham connosco a sua visão duma Estafeta histórica. Embora com algum atraso – mas porque encerra algumas curiosidades –, aqui ficam também as impressões de Luís Barreiro.


Hoje foi dia de Estafetas e com ele chegou um resultado histórico para Portugal, um 8º lugar que bate o melhor resultado anterior (9º em 2010) e acima de tudo trás um certo “ar fresco” para nós atletas, motivando-nos e capacitando-nos de que muita coisa é possível. A competição teve inicio às 10h20 com o arranque dos primeiros elementos das 35 equipas presentes. No nosso caso foi o João Ferreira, conseguindo fazer uma boa prova e passar o testemunho ao segundo elemento, Carlos Simões, na 18º posição. Este não perdeu o andamento e ainda conseguiu recuperar lugares, entregando-o a mim na 15ª posição. Entrei bem no mapa e, focado nos objetivos, fiz alguns pequenos erros iniciais, mas assim que vi a equipa australiana e a segunda equipa italiana vi também a possibilidade de fazermos história e dei tudo o que tinha. Mesmo fazendo alguns erros ainda consegui alcançar a primeira equipa italiana e aí posicionar-me na 7ª posição “oficial”. No entanto, na parte final, quando seguia com o italiano na minha roda, passo o penúltimo ponto de controlo, o italiano faz o mesmo, mas assim que damos por ela ele volta-se mais rapidamente pica o ponto e sai disparado para o “finish”. Ainda tentei recuperar no Sprint final, mas foi de todo impossível ficando a escassos 10 segundos da 7ª posição. A nível de mapa e percurso eram interessantes, o terreno em si não tinha grande altimetria mas o piso e a exposição total aos 40º C de temperatura dificultavam bem as coisas fisicamente. A nível técnico era acessível, mas com algumas “rasteiras” em áreas abertas com pontos extra, o que tornava a concentração fundamental.

Dado o resultado alcançado não posso classificar como uma má prestação, como equipa foi excelente (o melhor até então). No entanto, individualmente, ainda não fiquei totalmente satisfeito. A este nível, quaisquer pequenos erros são fatais e pequenos segundos fazem grandes diferenças. Por isso vou esperar que a Longa seja a minha prova “limpa”.

Amanhã será o último dia de competições com a grande Final de Distância Longa, aquela que é considerada por todos como a “etapa-rainha” de qualquer Campeonato do Mundo, sendo que eu também a considero como a minha favorita e onde tenho conseguido fazer os melhores resultados.
Espera-se uma prova extremamente dura, principalmente a nível físico, onde o tipo de terreno muito irregular e as altas temperaturas previstas irão fazer mossa ao longo dos 40 km de prova. Tecnicamente terá também a sua dificuldade, não estivéssemos nós a disputar um Campeonato do Mundo. Por isso esperam-se algumas difíceis opções, grandes pernadas e pontos colocados em sítios estratégicos para dificultar as coisas, assim como uma parte final urbana no centro da Cidade de Veszprém, com o final no Castelo. Quanto a expectativas pessoais, o desejado seria igualar o resultado do ano passado em Itália (top-5). No entanto - e embora tenho conseguido um 3º lugar na qualificação - as coisas estão ainda mais difíceis e como tal vou fazer os possíveis e os impossíveis para conseguir entrar no top-8. O meu esforço máximo é garantido, por isso espero ter sorte que também faz falta e aguardar pelo resultado final. Mais uma vez irei levar o dispositivo de GPS e por isso poderão seguir a minha prova “limpa” a partir das 12h13 (11h13 portuguesa) e acompanhar todo o seu fascinante desenvolvimento.

Davide Machado


Melhor resultado de sempre na Estafeta Masculina: 8º lugar no Campeonato do Mundo de Orientação em BTT. Hoje fizémos história. Eu, o Carlos Simões e o Davide Machado, alcançámos o melhor resultado de sempre e melhorámos o 9º lugar realizado em 2009. Fui o primeiro a partir, parti bem e chego ao triângulo na terceira posição. No ponto 5 vou em oitavo lugar mas quebro fisicamente e a parte final da prova não correu tão bem. Mesmo assim entrego o testemunho em 13º lugar, a cinco minutos do primeiro mas a pouco mais de dois minutos do top-6. O Carlos Simões fez uma boa prova e quando passa o testemunho já íamos na 9ª posição. O Davide Machado foi fantástico, recuperou mais um lugar e ficámos na oitava posição. O ambiente é o de dever cumprido e de satisfação por melhorar o resultado anterior.

Amanhã é a última prova. Amanhã, os melhores 60 atletas dos 100 à partida na qualificatória irão disputar a Final de Distância Longa. Eu e o Davide qualificámo-nos nos Homens Elite, a Rita Madaleno nas Damas Elite e o Miguel Pires em Juniores. Parto às 10:04 horas húngaras, 09:04 em Portugal. Esperamos uma prova muito muito difícil, extremamente física, dura e técnica. Serão três mapas com bastante detalhe e o calor a rondar os 40º C irá dificultar em muito a nossa tarefa para os 40 km de prova esperados. Irei dar o meu melhor com o objectivo de alcançar os 33 primeiros, o que me daria apuramento directo para escalão B de Alta Competição. Sei que é algo muito difícil dadas as condições da prova, a competitividade que existe este ano e o meu estado físico que não é o melhor depois de uma semana a tomar antibiótico e anti-inflamatorio com dores de garganta; vou dar o meu melhor. Obrigado a todos os que me apoiam. Parabéns à nossa selecção. Parabéns Davide e Carlos.

João Ferreira


Quando se diz que um dia é de descanso para um ciclista, o que realmente se quer dizer é que não há competição. Durante esta tarde aproveitei para ir fazer um treino com mapa junto ao lago Balaton, em ritmo calmo para apreciar as paisagens e deliciar-me com a floresta que é bem diferente daquilo que temos em Portugal. Foram 1 hora e 45 minutos muito bem passados.

Se nos dias de competição é preciso acordar cedo e o ambiente é sempre algo stressado, hoje deu para ficar na cama até mais tarde. Quando se iniciou a prova de Damas 40 colámo-nos aos computadores para seguir em directo no site dos campeonatos a prova da Susana Pontes. Está visto que o futuro da modalidade passa pelo acompanhamento dos atletas em directo com GPS. Foi preciso sofrer até ao final para a vermos obter a medalha de bronze, mas foi com grande alegria que vimos o nome dela aparecer em terceiro lugar.

Ainda se ponderou que eu fosse na Estafeta de amanhã, mas depois de reunirmos ficou decidido manter o plano original. Vai o João em primeiro, depois o Carlos e o Davide. O objectivo é os 8 primeiros para ser o melhor resultado de sempre, mas na realidade não devemos chegar ao top-ten. Nas senhoras vai a Tânia, a Margarida e a Rita. A organização estima que as melhores mulheres façam cerca de 40 minutos cada, enquanto que os homens mais capazes farão o seu percurso em cerca de 50 minutos. Para acompanhar a partir das 10:20 (9:20 em Portugal) no sítio do costume. Certamente será emocionante de seguir, pois nesta prova parte tudo ao mesmo tempo e a primeira equipa a chegar é a vencedora.

Para terminar, quem é que é capaz de adivinhar qual é a selecção aqui no cenas que quando chega ao local da prova já tem as bikes todas lavadinhas e prontas a andar, é só pegar nelas e arrancar. Não será só por isso que têm obtido os lugares cimeiros, mas certamente ajuda.

Luís Barreiro


[Foto gentilmente cedida por Daniel Marques]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: