sexta-feira, 6 de julho de 2012

WUOC 2012: SUIÇOS, OS GRANDES DOMINADORES




Chegaram ao fim os 18º Campeonatos do Mundo Universitários de Orientação Pedestre WUOC 2012. Na segunda metade da prova a Espanha fez vincar o fator casa, mas foi a Suécia quem assumiu a maior dose de protagonismo ao intrometer-se fortemente na luta pelas medalhas.


A festa das Estafetas colocou hoje um ponto final nos 18º Campeonatos do Mundo Universitários de Orientação Pedestre WUOC 2012, que decorreram em Alicante (Espanha) ao longo da semana. Conforme o Orientovar noticiou, as duas primeiras provas – Sprint e Distância Longa – foram inteiramente dominadas por checos e helvéticos, que fizeram questão de repartir entre si as medalhas em disputa.

Na segunda metade dos Campeonatos, porém, veio ao de cima o poderio sueco e a República Checa como que se eclipsou. A Suiça manteve-se em excelente plano, acabando por alcançar cinco das oito medalhas de ouro em disputa, enquanto a Espanha fez uma “gracinha”, inscrevendo o seu nome no Quadro de Honra por duas vezes. Mas vamos por partes.


O surgimento da Suécia

Depois dum espetacular Sprint na passada quarta-feira, o dia de ontem foi ocupado com a prova de Distância Média. O mapa de Gran Alacant – Santa Pola ofereceu desafios muito interessantes aos competidores, devido sobretudo ao grende número de detalhes rochosos e de relevo, numa zona agreste mas onde a progressão era por vezes fácil e permitia uma corrida muito rápida.

A prova contou com a participação de 112 atletas no setor masculino e 80 na competição feminina, tendo no suiço Martin Hubmann e na sueca Lilian Forsgren os grandes vencedores. Ainda a saborear a vitória da véspera, Hubmann não esteve pelos ajustes e chegou à sua segunda medalha de ouro nestes mundiais ao cumprir os 5,4 km do seu percurso (19 pontos de controlo, 180 metros de desnível) em 32:49. Uma vitória folgada, já que o húngaro Zsolt Lenkei, segundo classificado, apenas viria a terminar 2:21 mais tarde, enquanto o terceiro classificado, o checo Adam Chromy, completaria o seu percurso com mais 2:52 que o vencedor. No setor feminino, Lilian Forsberg também não sentiu grandes dificuldades em levar de vencida a concorrência, ao percorrer os 4,0 km do seu percurso (15 pontos de controlo, 125 metros de desnível) em 29:39. A sua companheira de equipa, Anna Forsberg, e a espanhola Anna Serralonga Arqués, respetivamente segunda e terceira classificadas, gastaram mais 1:59 e 2:56 que a vencedora.


A confirmação da Suiça

A prova de Estafetas colocou, como já dissemos, o ponto final nos Campeonatos. O mapa Cap de L'Aljub, Barranc del Salt Y Gran Alacant recebeu a presença de 40 equipas no setor masculino e 28 no feminino, proporcionando intensos desafios e confirmando a Suiça e a Suécia como os grandes ganhadores dos Campeonatos.

A competição masculina ficou marcada pelo intenso duelo entre as segundas equipas da Suiça e da Suécia. E se o primeiro percurso evidenciava já que ambas as equipas estavam ali para disputar o ouro, isso viria a ser mais evidente no segundo percurso, onde o sueco Albin Ridefelt esteve imparável e conquistou preciosos segundos ao suiço Jonas Mathys. Com apenas 33 segundos de vantagem para gerir, Erik Liljequist teve de ser bater com um “raçudo” Andreas Kyburz, acabando por deixar fugir a medalha de ouro para a Suiça pela escassa margem de dezoito segundos. Com o tempo de 1:46:22 a Suiça chegou assim ao ouro pela quinta vez nos Campeonatos, deixando a prata para a Suécia e o bronze para a Noruega, com mais 2:22 que os vencedores.


Espanha chega de novo ao bronze

A Suécia teve a sua “vingança” na prova feminina, com Anna Forsberg, Anna Bachman e Lilian Forsgren a conquistarem uma vitória com tanto de suado como de saboroso. Começou melhor a Suiça, com as atletas responsáveis pelos primeiros percursos – Sabine Hauswirth e Brigitta Mathys - a entregarem o testemunho na frente, embora com 4 e 6 segundos apenas de diferença da sueca Anna Forsberg. No segundo percurso, Julia Gross (Suiça 2) esteve irrepreensível, grangeando uma importante diferença e lançando Sarina Jenzer para o decisivo percurso com uma vantagem de 39 e 43 segundos, respetivamente, sobre a Suiça (1) e a Suécia. A verdade é que a sueca Lilian Forsgren fez um derradeiro percurso de altíssimo nível, enquanto Sarina Jenzer (Suiça 2) tudo fazia para segurar pelo menos a medalha de prata e Bettina Aebi (Suiça 1) derrapava irremediavelmente. Vitória finla das suecas com o tempo de 1:50:25, contra 1:54:31 da Suiça e 1:58:38 da... Espanha! Na verdade, Ona Rafols Perramon esteve muito bem no primeiro percurso, Alicia Gil Sanchez também não comprometeu no segundo percurso e Anna Serralonga Arqués acabou por abrir caminho à medalha de bronze com uma prova de altíssimo nível, à semelhança, aliás, do que tinha feito no dia anterior.

Contas feitas, a Suiça acabou por ser a grande ganhadora destes Campeonatos, ao conquistar cinco medalhas de ouro, quatro de prata e uma de bronze. Seguiram-se-lhe a Suécia, com duas medalhas de ouro e duas de prata e a República Checa, com uma medalha de ouro, uma de prata e quatro de bronze. O medalheiro dos Campeonatos fica completo com a medalha de prata da Hungria, as duas medalhas de bronze da espanha e a medalha de bronze da Noruega.


[Foto extraída do Álbum da Federação Espanhola de Orientação no Facebook, em http://www.facebook.com/photo.php?fbid=294260330671724&set=a.294236160674141.62031.244711335626624&type=3&theater]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: