segunda-feira, 2 de julho de 2012

EYOC 2012: AS ESTAFETAS DO NOSSO DESCONTENTAMENTO




Voltaram a quedar-se aquém das expectativas os resultados alcançados pelos atletas portugueses no derradeiro dia de provas do Campeonato da Europa de Jovens de Orientação Pedestre EYOC 2012. Para a história fica esse 7º lugar de Vera Alvarez na final de Sprint, duas medalhas perdidas de forma inglória e, seguramente, um belo punhado de momentos para mais tarde recordar.


A nona edição dos Campeonatos da Europa de Jovens de Orientação Pedestre EYOC 2012 chegou ao fim. O dia de ontem ficou marcado pela realização das provas de Estafeta, naquele que constituiu um final em festa para as 30 comitivas presentes, num total aproximado de quatro centenas de atletas. A tónica dos títulos “repartidos irmamente” manteve-se – nenhuma seleção logrou alcançar mais do que uma medalha de ouro em cada uma das três jornadas competitivas – e Portugal voltou a ocupar posições na segunda metade da tabela.

Começando precisamente pelo desempenho das Estafetas portuguesas, o melhor que conseguimos foi um 16º lugar no escalão D18, com uma equipa que teve de se socorrer duma atleta do escalão inferior, no caso Beatriz Moreira. Apesar de ter perdido o combóio da frente no primeiro percurso, Vera Alvarez esteve muito bem e entregou o testemunho no 7º lugar. A partir daí as coisas complicaram-se e, tanto a jovem Beatriz como Carolina Delgado não foram capazes de segurar as respetivas posições e daí um resultado que iguala aquele alcançado na Sérvia (Kopaonik, 2009), mas que está a uma enorme distância do 4º lugar de Sória, no ano seguinte.

Em H16, assistiu-se um pouco ao mesmo filme, com Daniel Catarino a não comprometer no primeiro percurso, mas com António Ferreira a fazer o pior tempo entre os 20 atletas que completaram o percurso intermédio e depois Diogo Barradas a ter de suar muito para segurar o 17º lugar final da nossa seleção. A Estafeta portuguesa em H18 acabou por ser desclassificada graças a um “mp” de Luís Silva logo no primeiro percurso, ao passo que em D16 as nossas duas representantes, Daniela Pires e Joana Fernandes, fizeram equipa com a lituana Laura Leiboma, levando de vencida a prova Aberta no seu escalão.


O terceiro ouro da Polónia

O dia ficou marcado pelas vitórias de Polónia, República Checa, Rússia e Suécia nos escalões de H16, D16, D18 e H18, respetivamente. A Polónia (com Radoslaw Piotrowski, Lukasz Wisniewski e Krzysztof Rzenca) logrou uma vitória apertada sobre a Dinamarca (Thomas Knudsen, Martin Illum e Mikkel Aaen, este último Bi-Campeão da Europa de Jovens de Distância Longa), tendo completado o percurso em 1:50:31, contra os 1:50:50 dos seus opositores diretos. Esta foi a terceira medalha de ouro da Polónia nos Campeonatos, confirmando-a como a grande vencedora do medalheiro geral. Com Arnaud Perrin e Adrien Delenne em excelente nível, a Estafeta francesa teve em Quentin Rauturier o elo mais fraco, não indo além da 6ª posição.

Em D16 a vitória coube à República Checa, naquela que é a 20ª medalha de ouro do seleccionado checo em 9 finais de Estafetas dos Campeonatos (só em 2008 a República Checa não chegou aos títulos). Petra Hancová, Zuzana Kozinova e Anna Sticková necessitaram de 1:32:28 para completar o seu percurso, deixando a seleção da Suiça (Barbara Köhle, Sonja Borner e Paula Gross) a 36 segundos de diferença. A Vice-Campeã da Europa de Distância Longa, Anna Sticková, foi mesmo a grande protagonista desta final, impondo-se à Vice-Campeã da Europa de Sprint, Paula Gross, acabando por virar o resultado a favor da República Checa nos metros finais do derradeiro percurso. A França – com Solène Droin, Chloé Haberkorn e Mathilde Body - chegou aqui a uma das medalhas mais aclamadas nestes Campeonatos, ao ser terceira classificada com o tempo de 1:34:46, depois de ter alcançado a medalha de prata no ano transato, na República Checa. Capaz do melhor e do pior, a Campeã da Europa de Sprint e de Distância Longa, Angelika Maciejewska, fez aqui um primeiro percurso para esquecer, entregando o testemunho a dez minutos da liderança e arrumando em definitivo com as aspirações da Polónia que acabou por não ir além do 9º lugar final.


Triunfo histórico da Suécia

No escalão D18 , a russa Ekaterina Savkina juntou à medalha de ouro alcançada na prova de Sprint da passada sexta-feira um triunfo na Estafeta, de parceria com as suas companheiras de equipa Daria Korobeynik e Daria Krasilnikova. Krasilnikova, Vice-Campeã Europeia de Sprint, que teve de suportar o fortíssimo ataque da norueguesa Gunvor Hov Høydal, Vice-Campeã da Europa de Distância Longa, a qual logrou recuperar 1:25 no derradeiro percurso, terminando com o tempo de 1:49:47 e a escassos seis segundos das vencedoras.

E chegamos finalmente ao escalão H18 onde a Suécia, com uma formação constituída por Assar Hellström, Ludvig Ahlund e Ludwig Ljungqvist, chegou pela primeira vez à medalha de ouro numa prova de Estafetas do Campeonato da Europa de Jovens de Orientação Pedestre, depois de Frida Sandberg ter garantido no ano passado o primeiro título da Suécia ao vencer a final de Distância Longa no escalão D18. A turma sueca necessitou de 1:49:29 para completar a sua prova, deixando atrás de si a Finlândia (Kristian Kannus, Eeli Viholainen e Topi Raitonen) naquele que foi o triunfo mais folgado dos quatro que preencheram a jornada derradeira dos Campeonatos. A República Checa, com Jonás Hubácek, Jan Grundmann e Marek Minár, quedou-se pela terceira posição, a seis segundos dos finlandeses e a 3:33 dos vencedores.



Resultados completos e demais informações em http://www.eyoc2012.fr/.



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: