sexta-feira, 29 de junho de 2012

EYOC 2012: UM "DOCE-AMARGO" SPRINT




Portugal esteve muito perto de abrir a sua participação nos Campeonatos da Europa de Jovens 2012 com duas presenças no pódio e, quiçá, duas medalhas. A verdade é que a sorte não quis nada com os nossos atletas e de vitórias morais não reza a história!


Teve início na manhã de hoje, em Meymac (Corrèze), a 11ª edição dos Campeonatos da Europa de Jovens EYOC 2012. A prova de Sprint contou com a participação de 348 atletas e foi disputada nos escalões de Juvenis e Cadetes, masculinos e femininos. Com uma formação ambiciosa, Portugal fez alinhar na prova os seus treze atletas, com as expectativas colocadas nas prestações de todos e de cada um mas, sobretudo, em Vera Alvarez e Luís Silva. Não apenas pela experiência de ambos – Vera Alvarez cumpre aqui o seu quinto EYOC, enquanto Luís Silva está presente na competição pela quarta vez -, mas também porque se trata, indiscutivelmente, de dois atletas de elevada craveira e que figuram, por direito próprio, no galarim das grandes esperanças da Orientação mundial.

A verdade é que as expectativas acabaram por sair francamente defraudadas. Não porque os dois atletas não tivessem feito provas de altíssimo nível, mas a verdade é que falharam onde não poderiam ter falhado e, desta forma, viram escapar por entre os dedos de ambas as mãos duas medalhas que lhes assentariam que nem uma luva.


Quase tudo bem feito

Alinhando no escalão D18, Vera Alvarez foi uma das últimas atletas a partir. O percurso, na distância de 1,8 km, com 16 pontos de controlo e 45 metros de desnível, teria de ser atacado com a frieza que se exige numa prova deste nível. Mais do que “vingar” a 19ª posição de 2011, Vera Alvarez tinha em mente o querer e a vontade de fazer uma prova ao seu nível, uma prova que a colocasse entre as seis primeiras, fazendo dela a primeira atleta portuguesa, a título individual, a alcançar um diploma e, quem sabe, uma medalha na competição.

E Vera Alvarez esteve impecável, do primeiro ao penúltimo ponto. Nunca chegou a liderar a prova, mas teve sempre “debaixo de olho” as suas mais diretas adversárias. E quando, a dois pontos do final, os 11:35 de tempo de prova lhe davam o terceiro lugar, com seis confortáveis segundos de vantagem para a quarta classificada, o impensável aconteceu: Vera Alvarez gastou 39 segundos para o ponto antes do Finish, quando as suas mais diretas adversárias o fizeram em 20 segundos, pouco mais ou menos. O penúltimo ponto antes do Finish tinha o código 100 e o último ponto tinha o código 255, o que poderá evidenciar alguma desatenção por parte da atleta e, consequentemente, o fatal desempenho. Ainda assim Vera Alvarez concluiu na 7ª posição, naquele que constitui o melhor resultado de sempre duma atleta portuguesa no EYOC, mas os 12 segundos que a separaram do pódio fazem com que este resultado, por excelente que seja, não deixe de ter um travo amargo.


Tempo de levantar cabeça

Também Luís Silva esteve impecável em todos os pontos... menos num. Ao contrário de Vera Alvarez, aqui foi o ponto inicial o “carrasco” do atleta. A presença de dois pontos na proximidade um do outro, em elementos iguais embora com códigos diferentes, terá levado Luís Silva a controlar o ponto errado. A partir daí já nada havia a fazer, embora o atleta português só tivesse tomado conhecimento do “mp” no final. Nem dava para acreditar! O tempo de 12:43 colocava-o de bronze ao peito. E agora?

Agora é levantar a cabeça e pensar que, se no melhor somos capazes do pior, no pior também seremos capazes do melhor. Amanhã é outro dia e outra prova. Importa manter presente que a nossa capacidade de superação se vê precisamente nestes momentos e, unindo esforços, saberemos mostrar o valor e a raça de ser português. À Vera e ao Luís aqui fica o testemunho da nossa compreensão, o reconhecimento do extraordinário valor das provas de ambos no dia de hoje e a certeza dum resto de Campeonato ao melhor nível.


Daniel Catarino e um 17º lugar... histórico!

Mas a prova de Sprint não se resumiu às provas de Vera Alvarez e Luís Silva, competindo destacar a performance de Daniel Catarino, 17º classificado em H16 com o tempo de 12:37. Com este resultado, o atleta do CLAC – Entroncamento estabelece o melhor resultado de sempre dum atleta português no seu escalão, na prova de Sprint, em oito participações de Portugal nesta competição.

Quanto aos restantes portugueses, as suas classificações foram as seguintes: D16 – 56º Daniela Pires, 59º Joana Fernandes, 64º Beatriz Moreira: H16 – 41º Diogo Barradas, 53º André Esteves, 73º António Ferreira; D18 – 70º Carolina Delgado; H18 – 82º Samuel Leal, 90º Filipe Augusto, mp Miguel Ferreira.


Ouro bem distribuído

No cômputo geral, o ouro esteve muito bem repartido no primeiro dia dos Campeonatos. A grande surpresa vem da Bélgica e dá pelo nome de Tristan Bloemen, o grande vencedor no escalão H18. Bloemen que era até hoje um ilustre desconhecido – 45º classificado na prova de Sprint do EYOC 2010 e ausente em 2011 – e que soube impôr-se por cinco e sete segundos, respetivamente, ao russo Dmitry Polyakov (outro ilustre desconhecido) e ao polaco Krzysztof Wolowczyk, medalha de bronze do último EYOC, no escalão H16. A França pode festejar de forma exuberante o comportamento dos seus atletas em H16, com Adrien Delenne a chegar ao ouro e Arnaud Perrin a quedar-se com a medalha de prata, a sete segundos do seu companheiro. A terceira posição neste escalão coube ao polaco Krzysztof Rzenca.

Nas senhoras, a russa Ekaterina Savkina não esteve com meias medidas e revalidou o título europeu de jovens no escalão D18 alcançado há um ano em Jindrichuv Hradec (já tinha sido medalha de bronze, quando se estreou no EYOC em Kopaonik, na prova de Distância Longa e no escalão D16). Atrás de si ficaram, a cinco segundos, a também russa Daria Krasilnikova e a letã Liga Valdmane, com mais 22 segundos que a vencedora. Finalmente, em D16, a vitória sorriu à estreante Angelika Maciejewska (Polónia), batendo por dois segundos a suiça Paula Gross e deixando a terceira classificada, a ucraniana Olena Postelniak, a 15 segundos de diferença.

Tudo para acompanhar em http://www.eyoc2012.fr/.



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: