segunda-feira, 14 de maio de 2012

EOC/ETOC 2012: PORTUGUESES FALHAM FINAL DE DISTÂNCIA MÉDIA




Pontapé de saída nos Campeonatos da Europa de Orientação Pedestre EOC 2012. Em Hökberg, correram-se esta manhã as séries qualificatórias de Distância Média, envolvendo 126 atletas masculinos e 88 femininos. Numa competição onde a Espanha é uma ilustre ausente, Portugal não teve o melhor dos arranques e Miguel Silva, no 30º lugar da 3ª série, acabou por ser o nosso melhor atleta.


Correndo na primeira série de qualificação, Manuel Horta e Tiago Leal não conseguiram melhor que o 38º e o 40º lugar, respetivamente, entre os 42 competidores em prova. Manuel Horta terminou com o tempo de 32:44, enquanto Tiago Leal gastou mais 2:20 que o seu companheiro de equipa. Com o tempo de 26:05, Valentin Novikov (Russia) foi o grande vencedor desta série, iniciando da melhor forma a defesa do seu título europeu na distância.

Ao Orientovar, Tiago Leal referiu o seguinte: “Após o mês passado, em que tive lesões, o treino físico não foi o mais adequado e estando à espera duma prova dura o resultado não foi o ideal. No entanto, também perdi algum tempo tecnicamente. No Sprint, sendo uma prova menos dura fisicamente, espero fazer um melhor resultado.” Manuel Horta também nos deixou as suas impressões: “Era na prova de Distância Média que eu depositava maiores expectativas, mas as coisas não correram conforme o desejado, provavelmente por ter estado doente na última semana. Parti bastante rápido e comecei logo a falhar para os dois primeiros pontos; nos pontos seguintes comecei a desenvolver o ritmo e senti algumas dificuldades a respirar, o que me impediu de fazer o resto da prova a um bom ritmo. Espero que com o descanso de amanhã recupere para estar em melhor forma no Sprint.”


Mesmo com uma prova limpa, ficaria a mais de um minuto da final”

Tiago Aires e Paulo Franco participaram na segunda série de qualificação, tendo alcançado resultados ligeiramente melhores que os anteriores competidores. Numa prova superiormente dominada por Olav Lundanes (Noruega), Tiago Aires viria a concluir na 32ª posição, com o tempo de 31:17. Entre 42 participantes, Paulo Franco seria o 37º classificado com um registo de 34:34.

“Estou bastante desiludido com a minha prestação, pois perdi dois minutos logo para o primeiro ponto, numa zona que deveria ser simples. O resto da prova não cometi mais nenhum erro.” Foi desta forma que Tiago Aires, o melhor orientista português da actualidade, viu a sua prestação. E acrescenta: “É duro cometer um erro tão básico logo no início. Agora há que pensar nos 17 pontos que correram bem, pois amanhã há a qualificatória da Longa e espero conseguir melhor performance. A reflectir é que, mesmo com uma prova limpa, ficaria a mais de um minuto da final.” Paulo Franco deixou-nos igualmente as suas impressões: “Dadas as características do terreno e o tempo previsto para o primeiro atleta, imaginei que a prova fosse bastante rápida. A minha estratégia era começar seguro e tentar aumentar o ritmo no desenrolar da prova. Perdi cerca de 30 segundos para o primeiro ponto, mas nos três pontos seguintes consegui voltar a controlar a navegação. No total da prova perdi cerca de quatro a cinco minutos em erros e hesitações.” E conclui: “Para além dos erros na navegação e do handicap físico, senti que a diferença para os melhores esteve na capacidade de progressão neste tipo de terrenos. É um tema que temos de trabalhar bastante e ganhar mais experiência.”


Falta de experiência a correr nestes terrenos”

Miguel Reis e Silva correu a terceira e última série de qualificação, tendo alcançado o melhor resultado entre os portugueses. O seu 30º lugar final, com o tempo de 30:32, deixou-o a 2:52 do apuramento, a 4:53 do Campeão do Mundo de Distância Média em título, Thierry Gueorgiou (França) e a 5:08 de Johan Runesson (Suécia), surpreendente vencedor desta série qualificatória.

No final, o atleta português declararia: “Depois de uma semana de treinos em terrenos fantásticos que me reanimaram o gosto pela Orientação, entrámos no período de competição. Perante um mapa fácil onde se poderia perder tempo, o meu objectivo foi o de fazer uma prova limpa. Consegui apenas errar cerca de 30 segundos para o ponto 5. Tendo conseguido dominar a navegação, o resto do tempo perdido foi claramente falta de experiência a correr nestes terrenos de progressão mais difícil.”


Suécia e Noruega na máxima força

No sector feminino, Minna Kauppi (Finlândia) venceu a série A com enorme à-vontade, batendo a suiça Ines Brodmann pela diferença de 1:59. Na série B, Anna Margrethe Hausken Nordberg (Noruega) impôs-se à campeã da Europa de Distância Média em título, a suiça Simone Niggli, pela margem de 23 segundos. Finalmente, na terceira série de qualificação, a vitória coube à sueca Helena Jansson, com 45 segundos de vantagem sobre a sua compatriota Tove Alexandersson.

A organização deparou-se com problemas técnicos referentes à tomada de tempos da série A feminina, decidindo, “por uma questão de justiça”, apurar 20 atletas para a final A nesta série. Assim, na Arena de Skattungbyn, na próxima quinta-feira, teremos 51 atletas à conquista do título europeu no sector masculino e 54 no feminino. Com seis atletas cada, a Suécia e a Noruega são as formações mais numerosas na final masculina, enquanto entre as senhoras Finlândia, Suécia e Noruega mantém as suas equipas intactas para a finalíssima.

Tudo para acompanhar em http://www.eoc2012.se/

[Foto de Anders Öberg]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: