quarta-feira, 16 de maio de 2012

EOC/ETOC 2012: MIGUEL SILVA FALHA FINAL DE SPRINT POR UM SEGUNDO



Portugal não terá qualquer representante nas finais A individuais dos Campeonatos da Europa de Orientação EOC 2012. A derradeira hipótese gorou-se esta manhã, no decurso da séries de Sprint, nas quais Miguel Reis e Silva falhou a qualificação por um escasso segundo.


Cumpridos que estão três dias de Campeonatos, chegaram ao fim as séries qualificatórias das disciplinas individuais que compõem o programa dos Europeus. Distância Média, Distância Longa e Sprint atrairão as atenções nos próximos dias, com finais que se antevêm emocionantes e que permitirão proclamar os novos Campeões. Ausentes das grandes finais individuais, só no domingo os portugueses voltarão à grande competição, com a disputa da final de Estafetas. Até lá, teremos de nos contentar com as Finais B.


E as coisas até poderiam ter sido algo diferentes, não fosse a sorte ser “madrasta” a Miguel Reis e Silva que, correndo em Dalavallen a primeira série qualificatória de Sprint, acabou por quedar-se a um segundo do apuramento. Miguel Reis e Silva concluiu o seu percurso no 18º lugar com o tempo de 16:08, mais um segundo que o russo Roman Ryapolov, 17º classificado, e mais três segundos que o britânico Richard Robinson, que terminou no 16º lugar. Vice-Campeão nacional de Sprint em título e 39º classificado no mais recente Campeonato do Mundo, o atleta português perde assim uma oportunidade soberana de se bater na final do próximo sábado com todos os grandes nomes da Orientação mundial e de se juntar a Marco Póvoa na galeria dos “históricos”, ele que é o único atleta português até ao momento a correr uma Final A dum Campeonato da Europa (22º classificado na final de Sprint EOC 2004, disputada em Roskilde, Dinamarca).


O que está feito está feito”

Praticamente “em cima da hora, o Orientovar recolheu as impressões de Miguel Silva que começaria por afirmar: “Tinha confiança nesta qualificatória. O inicio era em floresta e parti com um ritmo demasiadamente lento, perdendo valiosos segundos nos primeiros 4 pontos. Consegui ir acelerando ao longo da prova enquanto ia ganhando confiança. Podia ter sido mais forte na parte final e falhei a qualificação para a Final A por menos de 1 segundo, o que foi muito frustrante.” E a taerminar: “O que está feito está feito e agora resta-me erguer a cabeça e dar o meu melhor nas restantes Finais B que se avizinham.”

No tocante aos restantes atletas portugueses, Paulo Franco correu igualmente a primeira série de qualificação, tendo concluído na 33ª e última posição com o tempo de 20:31. Sortes diferentes para Manuel Horta e Tiago Leal, na segunda série, com Horta a concluir na 28ª posição com o tempo de 16:13, ao passo que Leal viria a ser desqualificado. Numa série que contou com a participação de 34 atletas, Manuel Horta quedou-se a 1:07 do austríaco Robert Merl, 17º classificado. Finalmente, na terceira e última série, entre 34 participantes, Tiago Aires não conseguiu fazer melhor que o 27º lugar, com o tempo de 16:12 e a distantes 1:12 do húngaro Zsolt Lenkei e da qualificação.


Vitórias de Helena Jansson e Simone Niggli deixam antever um duelo de gigantes

Também Tiago Aires e Tiago Leal partilharam connosco as impressões da prova. O primeiro declarou: “Consegui correr rápido em quase todo o percurso, apenas tive dificuldade em pequenas partes de floresta mas nada de especial. A nível técnico perdi na única opcão com alguma dificuldade (ponto 4, perto de 50 segundos); o resto foi perfeito, mas numa prova destas, estes erros são fatais. Agora vou fazer repouso ao dedo do pé nos próximos dias.” Quanto a Tiago Leal, não escondeu a sua estupefação face ao “mp” com que foi creditado no final: “Sendo a prova de Sprint uma prova em que me sinto mais a vontade, estava bastante concentrado à partida e sabia o que tinha de fazer. Parti rápido e consegui fazer uma prova bastante positiva, no entanto uma má opcão para o quarto ponto e um pequeno desvio no sétimo ponto na floresta fizeram-me perder algum tempo. Para minha surpresa, quando cheguei ao fim estava com mp. A verdade e que piquei o ponto errado, a apenas 10 metros do meu, pois não controlei a sinalética.” E, a pensar já nos Nacionais de Marvão, uma última nota: “Apesar deste desfecho menos positivo creio que, após um mês de mau treino, não estive mal do ponto de vista físico, pelo que espero não ter mais problemas até junho e, aí sim, fazer uma boa prestação nesta disciplina.”

À semelhança do que tinha acontecido nos Mundiais de França, o gaulês Thierry Gueorgiou foi o grande ausente das séries qualificatórias de Sprint. Ele e o Campeão Europeu de Sprint em título, o suiço Fabian Hetner. No sector masculino, os suiços Martin Hubmann e Matthias Kyburz e o sueco Jerker Lysell venceram as respetivas séries. Quanto ao sector feminino, as vitórias couberam às suiças Judith Wyder e Simone Niggli e à Campeã Europeia de Sprint em título, a sueca Helena Jansson.

Tudo para acompanhar em http://www.eoc2012.se/

[Foto gentilmente cedida por Tiago Aires]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: