segunda-feira, 23 de abril de 2012

II OPEN DE ORIENTAÇÃO DE PRECISÃO DO HOSPITAL DA PRELADA APRESENTADO EM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA




O Auditório do Hospital da Prelada acolheu na manhã de hoje a Conferência de Imprensa de apresentação do II Open de Orientação de Precisão do Hospital da Prelada. Uma cerimónia muito concorrida e da qual o Orientovar aqui dá nota detalhada.


Foi na presença de jornalistas, convidados e muitos utentes e colaboradores do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada que decorreu ao final da manhã de hoje, no Auditório daquela instituição de saúde, a apresentação do II Open de Orientação de Precisão do Hospital da Prelada. Etapa de encerramento do II Circuito de Orientação de Precisão “Todos Diferentes, Todos Iguais” e pontuável para a Taça de Portugal de Orientação de Precisão, o II Open de Orientação de Precisão do Hospital da Prelada terá lugar no dia 5 de maio, com os percursos a desenrolarem-se através do espaço envolvente do Hospital e a estenderem-se para os terrenos do Parque da Prelada que lhe são adjacentes.

Para abordar a prova e o seu significado, a organização, a cargo do DAHP - Núcleo de Desporto Adaptado do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada, convocou a Comunicação Social, apresentando na mesa da Conferência de Imprensa duas personalidades deveras emblemáticas: Diana Coelho e Fernando Gomes. A primeira, uma atleta da “cantera” do DAHP e atual líder da Taça de Portugal de Orientação de Precisão. O segundo, um dos melhores pontas de lança de sempre do Futebol português e que, ao serviço do Futebol Clube do Porto, conquistou o prestigiado troféu “Bota de Ouro” nas épocas de 1982/83 e 1984/85


Repetir uma jornada de convívio e de alegria”

Aberta por José Caiano, Vice-Provedor da Misericórida do Porto e Presidente da Comissão de Apoio Executiva do Hospital da Prelada, a Conferência de Imprensa teve no Diretor do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada o seu primeiro orador. Rúben de Almeida começou por referir que “ao longo de quase 24 anos de existência, já passaram pelo Serviço muitos doentes, uma importante parte dos quais com deficiência motora. Ora, é unanimemente aceite a importância do Desporto neste tipo de pessoas, não apenas como factor de entretenimento e de promoção da saúde, mas também como factor da sua reintegração social. Atentos a este problema, sendo nós o segundo ou terceiro maior Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do País, não poderíamos deixar de dar uma importância fundamental ao Desporto Adaptado nos programas de reabilitação.”

Fazendo questão de lembrar que “o grande passo foi dado no ano passado com a realização do nosso I Open” Rúben de Almeida fez vincar a ideia de que “esta segunda edição vem na linha da anterior”, tendo como objetivo “repetir uma jornada de convívio e de alegria, mas também proporcionar o contacto com uma modalidade que consideramos que se adapta maravilhosamente aos programas de reabilitação para pessoas com mobilidade reduzida.”


Um modesto contributo em prol da Sociedade”

De seguida usou da palavra Fernando Costa, Diretor Técnico do II Open de Orientação de Precisão do Hospital da Prelada que, em nome do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, referiu ser “uma honra colaborar uma vez mais com o Hospital da Prelada na realização destas atividades.” Realçando o pioneirismo do DAHP na reintrodução em Portugal da Orientação de Precisão, Fernando Costa vai mais longe ao afirmar que, “se hoje temos um Circuito de Orientação de Precisão solidamente implementado e está em curso a primeira edição da Taça de Portugal de Orientação de Precisão, isso deve-se à vontade e ao querer das pessoas deste Hospital, que descobriram nesta atividade uma forma interessante de ocupar os tempos livres e de criar empatia e amizade entre todas as pessoas envolvidas.”

Fernando Costa considerou ainda que, “para uma associação como o Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, que se dedica basicamente à Orientação Pedestre, este é um modesto contributo em prol da Sociedade, estando nós sempre disponíveis para colaborar em todas as atividades que o Núcleo de Desporto Adaptado do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada achar por bem levar por diante.”


Vamos ajudar na festa do próximo dia 5 de maio”

Mas não apenas de Orientação de Precisão se falou nesta Conferência de Imprensa, visto o evento incluir também uma demonstração de Atividade de Orientação Adaptada. Nascida no seio do DAHP, esta é uma modalidade voltada para a Deficiência Intelectual e na qual o nosso país é pioneiro a nível mundial. Presidente em exercício da Associação Nacional do Desporto para a Deficiência Intelectual, José Costa Pereira começou por agradecer “em nome da ANDDI – Portugal e da própria Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência, a inclusão da Deficiência Intelectual no projeto do Núcleo de Desporto Adaptado do Hospital da Prelada.”

Referindo-se em concreto à Atividade de Orientação Adaptada, José Costa Pereira salientou ser este “o primeiro de quatro anos dum ciclo que fazemos coincidir com o ciclo olímpico e embora a Atividade de Orientação Adaptada esteja ainda numa fase experimental, o balanço é deveras positivo. As dez provas já realizadas, centradas sobretudo no Grande Porto, mas que tiveram lugar também em Vieira do Minho, em Viseu, na Marinha Grande e em Torres Vedras,envolveram, até ao momento, muito perto de um milhar de participantes.” E deixou uma garantia: “Vamos ajudar na festa do próximo dia 5 de maio, certos de que estes números irão ser significativamente ampliados.”


Desporto adaptado existe um pouco em cada um de nós”

Também no uso da palavra, Gonçalo Borges, médico fisiatra e a figura que preside aos destinos do Núcleo de Desporto Adaptado do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada, salientou que “desporto adaptado existe um pouco em cada um de nós, porque qualquer amante do desporto tem de o fazer adaptando a sua idade e a sua capacidade à atividade a que se propõe. Portanto, aquilo que estamos a fazer aqui é ajudar as pessoas que, por algum motivo, se tornam diferentes, a serem iguais a qualquer outro indivíduo no acesso à prática desportiva.”

Para Gonçalo Borges, “a criação do Núcleo de Desporto Adaptado do Hospital da Prelada é o resultado dessa nossa postura, contando para isso com pessoas muito envolvidas e com um extraordinário dinamismo.” E neste particular aspecto deixa uma referência especial ao Enfermeiro Joaquim Margarido e à Dra. Liliana Rocha e aos próprios utentes do Hospital da Prelada, “que se envolveram, não só como pessoas mas como atletas, contribuindo para que o DAHP tenha chegado onde chegou. A eles se deve a excelência dos resultados alcançados nos diversos eventos por onde temos passado.”


Há muita vontade de fazer mais e melhor”

Diana Coelho, atleta do DAHP e uma das convidadas de honra na mesa desta Conferência de Imprensa, fez com que o discurso sentido e vivido na primeira pessoa se transformasse num dos momentos altos desta cerimónia de apresentação do II Open de Orientação de Precisão do Hospital da Prelada. “Ter estado três anos e meio internada aqui no Hospital da Prelada dá-me o direito de falar um pouco por todos aqueles que praticam esta modalidade”, começou por afirmar, adiantando que “apesar de todo o apoio, não é fácil estar internado e são muitos os pensamentos dolorosos que nos passam pela cabeça.” Daí a importância destas provas que, para a atleta do DAHP, “fazem com que estejamos com outras pessoas, partilhemos experiências e sejamos um apoio uns para os outros.”

Para Diana Coelho, “existe uma ideia errada de quem pode praticar desporto. Basta acreditarmos em nós próprios e, com o nosso exemplo, conseguimos mudar muitas mentalidades.” A terminar, um desejo: “Isto é um sonho tornado realidade, são muitas as pessoas que gostam de praticar Orientação de Precisão e peço que dêem condições para que o Núcleo de Desporto Adaptado do Hospital da Prelada possa continuar a crescer, porque garanto que há muita vontade de fazer mais e melhor.”


Lá estaremos a competir brevemente”

Fernando Gomes, o "padrinho" da prova, começou por se referir ao seu clube: “O Futebol Clube do Porto é uma instituição que está sempre disponível para apoiar este tipo de eventos, entendidos como importantes não só para o desenvolvimento físico mas também como fatores de integração social e intelectual.”

Confessando sentir-se honrado pelo convite, o renomado “bi-Bota de Ouro” baseou-se na sua experiência para deixar alguns conselhos àqueles que irão competir dentro de alguns dias: “Vocês como eu, ou eu como vocês, sem trabalhar muito, sem ter grande força de vontade e sobretudo sem ter disciplina, naturalmente que não conseguirão nada. Mas toda essa força de vontade, todo esse trabalho constante, diário, e o saber ouvir aqueles que sabem mais do que nós, farão naturalmente com que as dificuldades sejam ultrapassadas e com que possamos conseguir atingir todos os nossos objetivos.” E termina com “o desejo das maiores felicidades para todos e lá estaremos a competir brevemente.”


Não queremos ser a excepção”

Joaquim Margarido, Diretor da Prova, encerrou a Conferência de Imprensa, salientando ser o Desporto Adaptado “uma fonte de inclusão por excelência”. Traçando um caminho de três anos recheado de emoções – desde o “histórico 14 de Março de 2009, data que marca o relançamento da Orientação de Precisão em Portugal, até aos nossos dias -, Margarido salientou que o grande objetivo se centra no “criar as condições necessárias para que o Núcleo se fortaleça, se consolide e vá por diante.”

Classificando o Open de Orientação do Hospital da Prelada como “uma grande festa dos nossos utentes, mas também das suas famílias e do seu círculo de amigos, nos quais os colaboradores do Hospital gostam de se sentir incluídos”, Joaquim Margarido deixa um repto a todos os presentes, mas em particular à Comunicação Social: “Não é comum vermos no espaço dum Hospital a dinâmica duma prova com estas características, mas não queremos ser a excepção. Ajudem-nos a espalhar este exemplo de solidariedade e inclusão para que possamos ter uma sociedade mais justa e mais equilibrada, num ideal de partilha, todos diferentes, todos iguais.”


Não falte!

A prova está apresentada e o convite a que todos se possam associar a uma jornada inesquecível do Desporto Adaptado fica feito. Dia 5 de maio, todos os caminhos vão dar ao Hospital da Prelada. Saiba mais em http://dahp.webnode.pt.





Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: