domingo, 22 de abril de 2012

I TROFÉU DE ORIENTAÇÃO DA MAIA: JORNADA HISTÓRICA NO PARQUE DO AVIOSO




O concelho da Maia recebeu, pela primeira vez na sua história, um evento de Orientação. A prova teve lugar na manhã de ontem nesse extraordinário “pulmão” que é o Parque do Avioso e, para além da grande festa que encerrou, deixou no ar a promessa dum futuro pleno de Orientação por terras do Lidador.


Missão cumprida! Depois dum longo “namoro”, a Câmara Municipal da Maia e o Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos “juntaram os trapinhos” e, na manhã de ontem, levaram a efeito no Parque do Avioso a primeira edição do Troféu de Orientação da Maia. O evento reuniu 550 participantes e encerrou o quadro competitivo de Orientação do Desporto Escolar da Direção Regional de Educação do Norte. O Desporto Adaptado e, em particular, os alunos com necessidades educativas especiais, não foram esquecidos e expressamente para eles a organização montou mais uma Atividade de Orientação Adaptada, que contou com a excelente presença de 35 participantes.

Apesar da chuva que teimou em cair até meio da manhã, não se percebeu que houvesse qualquer desmobilização por parte dos participantes, que fizeram questão de espalhar, em gritos e correrias pelos belos e verdejantes espaços do Parque do Avioso, toda a sua energia e alegria de viver. Traçados num mapa absolutamente precioso, pelo que encerra de belo e de técnico, os vários percursos dirigiram-se às qualidades e capacidades de todos e de cada um, desde os escalões de promoção aos mais exigentes Médio e Difícil. A organização voltou a ser exímia na disponibilidade demonstrada e no bem receber, fazendo desta sua prova um extraordinário cartão de visita dum Parque onde imperioso se torna regressar e duma cidade apostada em fazer da sustentabilidade e da qualidade de vida as suas principais bandeiras.


A juventude superou a experiência

A competição foi pautada pela excelente luta travada entre Albino Magalhães (GD4C) e Joaquim Sousa (COC), no escalão Difícil Masculino. Desta feita, a experiência e o saber de Joaquim Sousa foram insuficientes para superar a maior frescura física de Albino Magalhães, a qual acabaria por vir ao de cimo já na segunda metade do percurso. A diferença de 43 segundos, porém, espelha de forma eloquente o cerrado duelo que ambos travaram pela vitória.

Para o atleta do GD4C, “ganhar aqui perante um atleta da craveira do Joaquim Sousa foi uma agradável surpresa.” Referindo-se ao espaço de S. Pedro do Avioso, Albino Magalhães recorda que “já há uns anos tinha visitado este Parque e a noção com que fiquei é que se tratava dum espaço maravilhoso para a prática da Orientação. Tem zonas de verdes, zonas técnicas, rápidas, ou seja, tem tudo aquilo que é necessário para que um mapa de Sprint tenha qualidade.” Mas os elogios ao mapa não se ficam por aqui: “Também na vertente de Orientação de Precisão este é um espaço único, com o detalhe técnico requerido aliado a uma excelente rede de caminhos para aqueles que se deslocam em cadeira de rodas.” A finalizar, para um especialista do Trail Running como é Albino Magalhães, “Orientação e Trail são modalidades complementares. A concentração que é exigida na Orientação é exigida no Trail, devido aos trilhos muito técnicos. Por isso, aconselho vivamente os praticantes de Trail Running a que venham conhecer a Orientação. Tenho a certeza que não sairão daqui defraudados.”


Vale a pena o esforço”

Em Difícil Feminino, Tânia Covas Costa (EBS Vieira do Minho / EDOM) confirmou o favoritismo que lhe era atribuído e venceu com alguma facilidade o seu escalão, impondo-se a Ana Paula Serra Campos (.COM) pela margem de 2:20. Repartindo os seus interesses entre a Orientação Pedestre e a Orientação em BTT, em cujas Taças de Portugal da presente temporada tem alcançado desempenhos deveras interessantes, Tânia Covas Costa é acima de tudo Professora de Educação Física e foi nessa qualidade que aqui marcou presença com os seus alunos.

É sempre bom vencer, principalmente quando trago miúdos também do Desporto Escolar. É uma forma de lhes transmitir o exemplo e fazer passar a mensagem de que vale a pena o esforço.” Foi desta forma que Tânia Covas Costa começou por se referir ao seu triunfo neste Troféu de Orientação da Maia, adiantando que “temos a noção que uma prova de Parque é sempre mais fácil e, na verdade, não foi bem assim. Em termos físicos, o percurso apresentava grandes desafios devido ao desnível e custou-me um bocadinho, embora em termos técnicos fosse bastante acessível.” Quanto ao balanço geral da prova, Tânia Costa classifica esta participação e da sua Escola como “muito boa, embora os miúdos tenham feito alguns erros. Mas estou muito contente, o grupo é bastante estável, está comigo há três anos, não se assusta com o mau tempo e vai a todas. Foi muito bom, portaram-se bem!”


Mais e melhor exercício quase sem se dar por isso”

O Oientovar ouviu também Hernâni Ribeiro, Vereador com os Pelouros do Desporto e Juventude da Câmara Municipal da Maia, para quem o Troféu de Orientação da Maia “tem um significado especial, porque esta é uma modalidade nova mas que está a ganhar adeptos a cada dia que passa, não deixa indiferentes aqueles que gostam de desporto e tem para nós essa componente que consideramos fundamental que é a parte do Desporto Adaptado e no qual temos investido bastante nos últimos anos.” Do querer e da vontade de desenvolver trabalho nesta área se fez esta primeira edição do Troféu, com Hernâni Ribeiro a refutar a ideia de que este foi um parto difícil: “A pretensão do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos chegou ao meu Gabinete há três meses e, desde logo, abri as portas da Maia a esta prova. Passados três meses cá estamos, com tudo preparado e num Parque que me parece ter as condições ideais para a prática desta modalidade.”

Classificando a manhã como “perfeita”, Hernâni Ribeiro partilhou a experiência de ter feito, também ele, um percurso: “Esta modalidade tem uma coisa muito boa que é o facto de não ser difícil fazer-se a iniciação. Qualquer pessoa percebe a dinâmica da modalidade e facilmente se inicia. É óbvio que, chegar ao nível competitivo, obriga a muito treino, como em qualquer desporto. Mas fazer iniciação é fácil e parece-me que é por aí que a Orientação tem angariado um número cada vez maior de adeptos.” E deixa uma ideia deveras interessante, de quem assimilou perfeitamente um dos conceitos base da modalidade: “Pode-se caminhar ou correr, de acordo com as capacidades de cada um, mas faz-se exercício físico quase sem nos apercebermos. Estamos, no fundo, entretidos a ver os pontos, a ver o mapa, e quando damos por ela já caminhámos dois, três, quatro quilómetros. Sinto que faz-se mais e melhor exercício quase sem se dar por isso.” Conservar a Orientação no concelho da Maia é um propósito forte deste Executivo e, para isso, nada melhor do que a implementação dum percurso permanente de Orientação no Parque do Avioso, prevista para muito em breve: “Desde a primeira hora, transmiti essa vontade aos responsáveis do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos e estamos apostados em levar o projeto por diante. O Parque do Avioso possui vários circuitos Pedestres e para Bicicletas, temos um ginásio de manutenção ao ar livre à disposição de todos aqueles que nos visitam e queremos enriquecer este espaço também com um percurso permanente de Orientação, como mais um serviço a disponibilizar no futuro.”


Tornar a Câmara autónoma na montagem de actividades de Orientação”

No lavar dos cestos do Troféu de Orientação da Maia, também Fernando Costa, do clube organizador, traça um balanço “extremamente positivo, apesar das condições climatéricas adversas e que fizeram com que tivéssemos aqui menos duzentos participantes em relação ao previsto, sobretudo do Desporto Escolar.” Referindo-se ao espaço do Parque do Avioso, Fernando Costa classifica-o de “fantástico, mais um mapa às portas do Porto e uma mais-valia para a Câmara da Maia ter esta ferramenta agora à sua disposição”. Confiante nos frutos que possam vir a surgir do bom relacionamento com a autarquia maiata, aquele responsável aposta nas “ações de formação que possamos vir a agendar, no sentido de tornar a Câmara autónoma na montagem de actividades de Orientação as mais variadas e ter as condições necessárias para tirar inteiro partido deste mapa.”


Resultados

Difícil Masculino
1º Albino Magalhães (GD4C) 24:00
2º Joaquim Sousa (COC) 24:43
3º Daniel Ferreira (AD Cabroelo) 27:29
4º José Fernandes (.COM) 28:29
5º José Pereira (CP Armada)

Difícil Feminino
1º Tânia Covas Costa (EBS Vieira Minho / EDOM) 37:44
2º Paula Serra Campos (.COM) 40:04
3º Fátima Saraiva (DA Recardães) 45:59
4º Helena Sousa (OriMarão) 47:35
5º Manuela Marques (EBS Rio Caldo / EDOM) 58:04

Vencedores outros escalões

Fácil M/F – André Calhau (Individual) e Natália Lages (ES Senhora da Hora)
Médio M/F – César Silva (Individual) e Maria Santos Bernardino (.COM)
Promoção Fácil – Daniela T + Jéssica D (EB Valpaços)
Promoção Difícil – Jens R + Laura D (Individual)

Mais informações sobre o I Troféu de Orientação da Maia em http://www.gd4caminhos.com/tom2012. Uma reportagem fotográfica alargada do evento encontra-se disponível em https://plus.google.com/u/0/photos/108054301526873509793/albums/5734109403325056081


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
 

Sem comentários: