quinta-feira, 22 de março de 2012

ANNA SERRALONGA: "OS RESULTADOS VÃO APARECER"




Anna Serralonga é uma lutadora. Fazendo da Orientação parte integrante de si mesma, a atleta não cessa de progredir e é hoje um dos valores seguros da jovem e promissora selecção feminina espanhola. Do brilharete na final de Distância Longa dos Mundiais de França à recente passagem pelo Portugal O' Meeting, é todo um percurso de vida que se projecta nesta conversa feita de sinceridade e certezas.


Orientovar - Tal como em muitos outros casos, também para si a Orientação é um desporto da família. Quer dizer-me como é que tudo começou e que importância tem este desporto na sua vida?

Anna Serralonga – Todo começou com o meu pai. Ele fazia corridas de montanha, maratonas e também Orientação. Foi assim que, desde pequenos, tanto eu como o meu irmão começámos a fazer também Orientação, embora apenas em provas perto de casa. Até que as coisas evoluiram, começámos a participar em provas da Liga Nacional e acabámos por integrar as selecções jopvens de Espanha. Desde então nunca mais parámos de treinar e de competir e espero poder continuar assim por muitos e muitos anos.

Orientovar - Para além da Orientação, que outros gostos tem?

Anna Serralonga – Adoro a montanha. Os meus pais têm um apartamento nos Pirinéus e costumamos deslocar-nos aí com alguma frequência. Gosto de subir ao cume das montanhas e descobrir os seus pequenos lagos.


É fantástico termos uma competição desta envergadura na Península Ibérica

Orientovar - Estou a colocar-lhe estas questões no Dia Internacional da Mulher. Ser mulher e ser orientista, que significado especial tem para si?

Anna Serralonga – Creio que a Orientação é um desporto que dá igual importância tanto aos homens como às mulheres. Este é o principal motivo por que me orgulho de ser orientista.

Orientovar - Muito recentemente esteve em Portugal, onde alcançou um brilhante 10º lugar no Portugal O' Meeting 2012. Como avalia o evento na generalidade e, em particular, as suas prestações?

Anna Serralonga – Foi a segunda vez que participei no Portugal O' Meeting e penso que é uma competição fabulosa. É fantástico termos uma competição desta envergadura na Península Ibérica. É uma grande oportunidade de nos podermos comparar com os melhores orientistas mundiais no início de cada temporada.


Correr em Portugal é como correr em casa

Orientovar - Que especial carinho sente por Portugal?

Anna Serralonga – Já estive por diversas vezes em Portugal e guardo excelentes recordações de todas as competições. Portugal tem uma enorme variedade de terrenos e, além do mais, está muito próximo de Espanha. Esses são dois bons motivos pelos quais gosto tanto de vir a Portugal! Também conheço muitos orientistas portugueses pelo facto de nos juntarmos nas provas e, por tudo isto, correr em Portugal é como correr em casa.

Orientovar - Apesar de curta, a sua experiência como orientista está marcada por alguns belos momentos, entre os quais, seguramente, está a presença – juntamente com a Esther e a Annabel – na final A de Distância Longa dos Mundiais de 2011, em França. Que recordações guarda desses momentos e depois, da Final, e do seu 26º lugar?

Anna Serralonga – Foi uma grande surpresa classificar-me para a Final de Distância Longa. Tinha treinado para isso mas não estava segura de que seria capaz. Foi um dia muito feliz. Sabia que a final seria demasiado longa para mim, mas como era a minha primeira final o objectivo era chegar ao fim e desfrutar da prova ao máximo. Daí que foi absolutamente fantástico terminar na 26ª posição num terreno tão difícil.


A Espanha tem algo que aprender com Portugal

Orientovar - É possível fazer melhor este ano na Suiça?

Anna Serralonga – Nunca competi na Suiça mas sei que os terrenos serão muito rápidos. Não sou propriamente uma boa corredora, pelo que não antevejo nada fácil melhorar esse meu 26º lugar. Daí que os meus objectivos este ano passem por fazer um bom Campeonato Mundial Universitário, que terá lugar em Espanha. Mas claro que procurarei entrar numa final dos Campeonatos do Mundo WOC, na Suiça.

Orientovar - Portugal e Espanha, duas realidades distintas, uma mesma modalidade. O que nos aproxima e o que nos separa?

Anna Serralonga – Creio que somos países muito parecidos. Temos o mesmo clima e uma enorme diversidade de terrenos ao longo de toda a Península. Ambos estamos progredindo ao mesmo tempo e estou certa que, pouco a pouco, os resultados vão aparecer. Mas a Espanha tem algo que aprender com Portugal, nomeadamente como organizar grandes eventos, à medida dum Portugal O' Meeting.


Espero regressar muito rapidamente!

Orientovar - Vamos voltar a vê-la brevemente em Portugal?

Anna Serralonga – Sou de Barcelona, mas este ano estou a viver em Madrid. Daí que Portugal, por agora, fica mais perto. Gosto muito dos terrenos em Portugal e, desta forma, espero regressar muito rapidamente!


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: