quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

ULTIMATE ORIENTEERING: UMA PAUSA OU O PONTO FINAL?




Lançado há quatro anos, o prestigiado Ultimate Orienteering faz uma pausa. Ponto final na página ou apenas o tempo de ganhar novo fôlego? Niels-Peter Foppen, a alma do projecto, responde a esta e outras questões.


Orientovar – Como é que surgiu o Ultimate Orienteering e quais as ideias que presidiram à criação da página?

Niels-Peter Foppen – O lançamento do Ultimate Orienteering deve-se a uma verdadeira paixão pelo desporto e à crença de que a Orientação não é apenas uma excitante e cativante modalidade, mas também algo que deve ser acompanhado, que deve ser falado. Rebobinando o filme, em 2007 eu e o meu irmão, Wouter Foppen, planeámos criar um site internacional de notícias de Orientação. No panorama noticioso em torno da Orientação, sentiamos que faltava um site que visasse uma audiência internacional. A maioria das páginas centrava-se em notícias dos próprios países. O nosso objectivo foi trazer aos orientistas do mundo inteiro aquilo que de melhor se faz ao nível da Elite através de bons artigos e de belas imagens.

Até 2007, eu administrava uma pequena página de notícias de Orientação e essa actividade deu-me a necessária experiência e confiança para dar o passo seguinte. Foi uma altura em que me encontrava lesionado e sem possibilidade de treinar ou de competir. Tive, assim, tempo de sobra para me dedicar ao site e ao seu lançamento. Durante o Inverno de 2007, trabalhei na sua concepção. E, Fevereiro de 2008, o sonho tronou-se realidade. Percebi desde logo que necessitávamos duma equipa de colaboradores, com vista a conseguirmos ter notícias actualizadas de todas as partes do globo: pessoas que partilhassem a mesma paixão pela Orientação. Procurei algumas colaborações no início, até que conseguimos envolver Lucie Babel neste projecto. Nos anos seguintes, uma série de colaboradores e repórteres acabou por se juntar ao grupo. Uma vez mais, agradeço a todos a forma como abraçaram esta causa. É um orgulho falar desta equipa, feita de gente de todas as partes do mundo, escrevendo no Ultimate Orienteering e demonstrando a sua paixão pela Orientação.


Sinto-me orgulhoso

Orientovar – Que avaliação faz de quase quatro anos de vida do site?

Niels-Peter Foppen – Sinto-me orgulhoso por aquilo que conseguimos ao longo deste tempo. Desenvolvemos um elevado número de artigos de qualidade e construímos uma bela galeria fotográfica cobrindo eventos maiores da Orientação mundial. Foi pela qualidade dos seus artigos e das suas fotos que o Ultimate Orienteering conseguiu afirmar o seu nome no panorama das páginas dedicadas à Orientação. O Ultimate Orienteering acabou por ver este seu trabalho reconhecido pelos orientistas de elite que sempre se disponibilizaram em colaborar connosco, dando entrevistas ou fornecendo elementos para a redação de artigos. O interesse manifestado por uma enorme variedade de revistas e de outros sites no sentido de utilizarem as nossas fotos foi igualmente muito bom.

Orientovar – Quais os momentos mais significativos e gratificantes deste percurso?

Niels-Peter Foppen – Gostei particularmente dos momentos passados com a minha máquina fotográfica no meio da floresta ou na zona das chegadas, à espera dos atletas. Acarinhei a cooperação com os restantes elementos da equipa durante eventos de maior duração e Campeonatos (O-Ringen, World Cup, WOC, JWOC). Sinto-me um privilegiado por ter conhecido uma série de pessoas fantásticas nestes últimos anos, algumas das quais se tornaram queridos amigos.


Penso que o futuro se afigura brilhante

Orientovar – Porquê esta paragem no Ultimate Orienteering?

Niels-Peter Foppen – Em Janeiro decidi parar devido a algumas mudanças na minha vida pessoal. As lesões que me afectaram neste último ano e meio estão debeladas e estou finalmente capaz de treinar e de competir. Agora pretendo focar-me mais nos treinos e nas provas. Combinando isto com um trabalho a tempo inteiro, há que atender às prioridades.

Orientovar – Como avalia o actual momento da Comunicação e Imagem na nossa modalidade?

Niels-Peter Foppen – Ao longo dos últimos anos, temos assistido a um enorme desenvolvimento na cobertura de eventos. Novos meios de comunicação e tecnologias, emissões ao vivo, acompanhamento por GPS, headcam's e outros permitem uma cobertura sob múltiplos aspectos e, ao mesmo tempo, com uma enorme qualidade. Penso que o futuro se afigura brilhante. Este desenvolvimento, porém, obriga a que os jornalistas saibam adaptar os seus artigos. Uma cobertura on-line, por exemplo, implica que os espectadores em casa, frente aos seus computadores, recebam toda a informação acerca do evento. Isto significa que qualquer um, na qualidade de jornalista, não se possa limitar à disponibilização dos resultados. É necessário encontrar maneira de levar aos assistentes dessas emissões toda a informação que não possuem, estando longe do terreno.


Não excluo a possibilidade de podermos relançar o site um dia

Orientovar – Concorda com as propostas da IOF no seu programa “WOC in the Future” como forma de mediatizar a Orientação?

Niels-Peter Foppen – Pessoalmewnte tenho muitas dúvidas acerca do projecto “WOC in the Future”. Aliás, apoiei inteiramente o protesto iniciado por Eva Jurenikova logo no início deste processo. Não creio que este seja o projecto certo para tornar a Orientação mais visível e global. Um desporto deve ser, em primeiro lugar, “ancorado” a um país e é necessário atingir um certo grau de popularidade até que os meios de comunicação social lhe possam prestar a devida atenção. Se a IOF pretende alargar a sua “quota de mercado” deve, primeiramente, ajudar as Federações a conseguirem as ferramentas necessárias para o desenvolvimento da modalidade nos seus países.

Orientovar – O Ultimate Orienteering irá regressar ou estamos mesmo perante o fim duma bela experiência?

Niels-Peter Foppen – Farei uma pausa no Ultimate Orienteering ao nível daquilo que ele foi nos últimos anos. A página e a galeria fotográfica no Flickr, todavia, permanecerão activas. Não excluo a possibilidade de podermos relançar o site um dia... Estou a pensar numa iniciativa nova, de menor dimensão, mas ainda é cedo para dizer muito mais acerca disso.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: