quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

PORTUGAL O' MEETING 2012: FALTAM 9 DIAS!




O PORTUGAL O' MEETING

De 21 a 24 de Fevereiro de 2009 teve lugar a 14ª edição do Portugal O’ Meeting. Mora revelou-se um digno anfitrião do maior evento de Orientação Pedestre que tem lugar no nosso País, mostrando encanto no bem receber e dando a conhecer alguns dos seus mais belos e mágicos recantos. A ganhar saíram os 1581 atletas – record de participações à data - que, ao longo de quatro intensos dias, tiveram o privilégio de gozar o muito que este Portugal O’Meeting teve para oferecer. Demonstrando qualidade e capacidade organizativa, o Clube Português de Orientação e Corrida soube tornear naturais dificuldades e fazer destes quatro dias uma festa permanente. Excelentes mapas, percursos desafiantes, cenários de sonho e um tempo absolutamente primaveril constituíram ingredientes dum evento que ficará guardado na memória de muitos como um dos melhores jamais realizados em Portugal. Na vertente competitiva assistiu-se a uma dupla vitória dinamarquesa. Signe Søes e Rasmus R. Søes fizeram da regularidade a sua grande arma e souberam impor-se aos demais competidores. A prova de Distância Longa do segundo dia, pontuável para o ranking mundial, viu os suíços Mathias Merz e Simone Niggli subirem ao lugar mais alto dos respectivos pódios. Joaquim Sousa, na 10ª posição e Maria Sá, no 22º lugar, foram os melhores portugueses. Colectivamente, a vitória sorriu ao Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos.


A REGIÃO

O Museu Almeida Moreira foi a casa do fundador do Museu Grão Vasco, António Francisco de Almeida Moreira, que em testamento a legou à cidade com a finalidade de funcionar como Casa de Cultura Museológica. Francisco António Almeida Moreira nasceu em Viseu a 25 de Novembro de 1873 e foi professor e critico de arte, organizador e director do Museu Grão Vasco de Viseu. Estudou no Colégio Militar, onde foi premiado nas cadeiras de Desenho, da Escola Politécnica, e de Infantaria na antiga Escola do Exército. Iniciou a sua carreira de Professor na antiga Escola Normal de Viseu, e fez parte de várias comissões administrativas da Câmara Municipal desta cidade, onde exerceu o cargo de vice-presidente. Encarregado da secção artística da Exposição Internacional que teve lugar no Rio de Janeiro em 1922-1923, a sua principal actividade foi a organização do Museu de Grão Vasco, que o consagrou, através da enorme competência, gosto e carinho que a este dedicou. A Almeida Moreira se deve a conservação e classificação de inúmeras e ricas espécies artísticas. Aberta ao público em 1965, a Casa-Museu Almeida Moreira mantém a fisionomia de uma velha mansão da Beira, compreendendo uma colecção de objectos de mero valor afectivo, até pinturas dos melhores mestres nacionais. Possui um magnífico recheio de pintura contemporânea - Silva Porto, Malhoa, Columbano, João Vaz, Bonvadot, Luciano Freire, além de outros. Também se pode aqui encontrar porcelanas e faianças - da Companhia das Índias e quase todos os fabricos portugueses – escultura, mobiliário, peças em vidro, ourivesaria, colchas de Castelo Branco e bordados antigos de Alcafache. A biblioteca conta com mais de 5.000 volumes.


A FIGURA

Diretor Técnico do Portugal O' Meeting 2012 e Speaker do Evento, Bruno Nazário conheceu a Orientação em 1992, na Escola Básica 2,3 Martins Correia, na Golegã, pela mão do Prof. José Leote. Filiou-se no CLAC – Clube de Lazer, Aventura e Competição do Entroncamento e em 2004 iniciou a sua ligação ao Clube de Orientação de Estarreja. Desde então colabora nas organizações do Clube, salientando-se o trabalho enquanto traçador de percursos do POM 2007. Do ponto de vista pessoal as organizações que mais prazer retira são as ORI-6 Relay, sobretudo pelo desafio inerente ao traçado de percursos de uma Estafeta deste género. Enquanto Speaker, desde 2008, no WRE em Cantanhede, que regularmente faz os comentários dos eventos do Clube de Orientação de Estarreja. Além destes, foi Speaker no WMOC 2008 e no Meeting Internacional de Arraiolos em 2011 e fez uma “perninha” no POM2010 e no WRE em Pataias 2009. Quanto ao POM 2012 a dupla função de traçador de percursos e speaker fazem com que espere com ansiedade pelo dia do WRE, onde, pelos atletas inscritos, se espera um espetáculo ao nível de um Campeonato do Mundo de Distância Média.


A TÍTULO DE CURIOSIDADE

As pernadas são o elemento mais importante de um percurso de Orientação e determinam a sua qualidade. Boas pernadas oferecem problemas de Orientação interessantes, conduzem os orientistas através de bom terreno, dando alternativas para opções individualizadas e escolha da informação necessária para navegar. A escolha de boas pernadas facilita também a dispersão dos atletas.
Num mesmo percurso devem existir diferentes tipos de pernadas, alternando a necessidade de pormenorizada leitura do mapa com opções mais fáceis e rápidas. Deve também haver variações no que diz respeito à extensão e dificuldade das pernadas, para forçar o atleta a usar diferentes técnicas de orientação e velocidades de corrida. Deverão, sempre que possível, existir pernadas que ofereçam ao orientista a possibilidade de seleccionar, entre várias opções de itinerários numa pernada, a que se adequar melhor às suas capacidades. O traçador de percursos deve também provocar alterações na direcção geral de pernadas consecutivas, pois isto força os atletas a se reorientarem frequentemente. Cada tipo de percurso existente (longa, média ou sprint) tem as suas características próprias que terão de ser tidas em consideração pelo traçador de percursos.

Saiba tudo em http://www.pom.pt/pt/


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: