sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

PORTUGAL O' MEETING 2012: FALTAM 15 DIAS!




O PORTUGAL O' MEETING

O Portugal O' Meeting 2012 desenrolar-se-á em três mapas distintos. Nos dois primeiros dias do POM 2012, as provas terão lugar no mapa "Sra. do Crasto – Viseu", produzido por Tiago Aires (Maio, Junho e Novembro de 2011). Trata-se dum mapa com uma área de 7,1 km2 e um perímetro de 11,7 km, desenhado à escala 1:15.000 (equidistância 5 metros). Os dois últimos dias do POM 2012 decorrerão no mapa "Sr. dos Caminhos – Sátão", produzido igualmente por Tiago Aires (Julho e Agosto de 2011). É um mapa que abrange também uma área substancial, com 6.7 km2 e um perímetro de 12.5 km. Está desenhado à
escala de 1:15.000, com equidistância de 5 metros. Finalmente temos o mapa de “Viseu”, abrangendo uma área de 5,7 km2 (números muito pouco usuais para um mapa urbano) e com um perímetro de 10.8 km, da autoria de Raquel Costa (Agosto e Setembro de 2011). O mapa está desenhado à escala 1:5.000, com equidistância de 5 metros e é nele que se irão disputar as provas de Sprint, Orientação de Precisão e Orientação Adaptada.


A REGIÃO

Afastado da povoação de Rãs e da estrada que liga Sátão a Aguiar da Beira, podemos encontrar um dos maiores centros religiosos da região – o Santuário do Senhor dos Caminhos. Fica num lugar que em tempos foi passagem obrigatória para os viajantes que se deslocavam à freguesia de Romãs ou em peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa. Aí, inicialmente foi construído um nicho, onde os almocreves depositavam as esmolas que, com o passar do tempo, foram aumentando. Com elas edificou-se a construção da capela de Nosso Senhor dos Caminhos. Esta arquitectura religiosa apresenta o seu exterior em granito e possui, ainda, as famosas imagens e grupos esculturais de Nosso Senhor dos Caminhos, em número do doze, a representar a vida de Cristo, desde a Anunciação até ao Calvário. É precisamente aqui, no Senhor dos Caminhos, que no Domingo da Santíssima Trindade (8º Domingo depois da Páscoa), se realiza a segunda romaria da Beira Alta, chegam a acorrer para cima de vinte mil pessoas e milhares de viaturas, vindas de todos os distritos do litoral e do centro do país. Num enquadramento natural de grande beleza, sobranceiro a uma austera penedia e junto ao rio Vouga que corre ainda límpido a pouca distância, o parque do Nosso Senhor dos Caminhos é bastante utilizado para piqueniques durante os meses de verão, aproveitando as mesas e bancos de pedra existentes para esse efeito e servido por várias fontes de nascente. Será este o local de acolhimento dos participantes nos terceiro e quarto dias do Portugal O' Meeting 2012.


A FIGURA

Tiago Aires começou a praticar orientação em 1997, numa prova na Praia da Vieira, numa organização da FPO. Nunca demonstrou grande aptidão para a prática da Orientação, mas sempre foi um amante do desporto, praticando de tudo um pouco, do Judo ao Futebol, do Andebol, ao Atletismo, Basquetebol, Natação, Remo e Escalada.
Curiosamente, apesar da falta de capacidade para a Orientação, foi esta a modalidade que mais o fascinou, tendo passado nos primeiros três anos por uma fase de erros atrás de erros, sem conhecer quem o pudesse ajudar neste caminho de aprendizagem. Correu inicialmente pelos “Perdidos do Barreiro” (1998-1999), clube que nunca existiu oficialmente mas que juntava vários amigos da terra onde nasceu. Depois foi para o Clube Montanhismo da Arrábida (2000-2001), onde mais a sério começou a tentar realizar treinos para os sócios do clube. Até que aceitou o convite para ajudar a formar uma secção de Orientação no Clube Costa do Estoril (2002-2004), tendo começado logo por fazer pequenas actualizações de mapas. Por essa altura, foi Director Técnico e Traçador de Percursos de uma prova nacional em Monsanto. Em 2004 fez parte do grupo de pessoas que formaram o CPOC – Clube Português de Orientação e Corrida. Mais tarde fundou o Gafanhori (2008). Como atleta tem marcado presença nas mais recentes edições do POM, tendo subido ao pódio em 2005, graças ao terceiro lugar alcançado. No ano transacto, a nível interno, venceu três das quatro etapas disputadas. A sua ligação ao Portugal O' Meeting como cartógrafo resumia-se a 2009 (foi o responsável pelos mapas dos dois últimos dias) e foi com enorme orgulho e responsabilidade que recebeu o convite para ser o cartógrafo de todos os dias do POM deste ano. O seu maior desejo é que os atletas gostem dos mapas e que esta tenha sido mais uma excelente experiência na sua evolução como profissional da cartografia.


A TÍTULO DE CURIOSIDADE

Gilbert H. Grosvenor, editor da National Geographic Magazine, afirmou um dia que “o Mapa é o maior dos poemas épicos. As suas linhas e cores mostram a realização de grandes sonhos.” Uma das características da Orientação enquanto modalidade desportiva é a cartografia específica necessária, tanto para a Orientação Pedestre, como para a Orientação em BTT em Esqui ou de Precisão. Nos primeiros anos de existência da Orientação, os atletas utilizavam qualquer tipo de mapas disponíveis, normalmente mapas topográficos locais. Por exemplo, nos anos 40, realizavam-se eventos na Escandinávia onde se utilizavam mapas na escala 1:100.000 (1 cm = 1 Km), geralmente a preto e branco e sem curvas de nível para mostrar o relevo do terreno. Nos países onde não existiam mapas topográficos com uma escala grande, eram utilizados frequentemente mapas turísticos. O primeiro mapa de Orientação a cores, com trabalho de campo e desenho feito especificamente para a prática da Orientação, foi publicado na Noruega em 1950. Gradualmente começaram a ser desenhados mapas que respondessem às características específicas da Orientação, ou seja, com informação mais detalhada. Jan Martin Larsen foi o grande pioneiro no desenvolvimento de mapas específicos de Orientação, tendo presidido à primeira Comissão de Mapas de IOF, em 1965. Esta Comissão de Mapas é a responsável, entre outras funções, por desenvolver os ISOM’s, tendo no ano da sua fundação criado a primeira versão desta especificação. Uma grande inovação na produção de mapas de Orientação foi o surgimento de programas informáticos específicos para o desenho dos mapas que levou à simplificação desta tarefa. O líder destes programas é o OCAD, actualmente utilizado de forma generalizada pelos cartógrafos de Orientação a nível mundial.

Saiba tudo em http://www.pom.pt/pt/


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: